quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Cultura do lixo em Rio Branco

POR TIAGO DOS SANTOS 


Prezado Altino,

Há alguns meses acompanho teu blog e gosto muito das tuas publicações, mesmo que, em alguns casos, os textos não sejam produzidos por você. Como estamos em uma democracia, acho muito interessante a tua maneira de colocar as notícias, dando oportunidades para todos, independente da situação em que se encontre.

Moro no conjunto habitacional Manoel Julião há dois anos e estou verificando uma situação que achei impossível não fotografar e mandar para você, sugerindo que seja feita uma reportagem sobre o assunto.

Como pode ser observado na foto, tirada nesta terça-feira (10), às 6h da manhã (horário do Acre), na Rua Luiz Z. da Silva, nas proximidades da parada final do ônibus, numa das principais vias do bairro, havia uma quantidade enorme de lixo espalhada, fora das caixas apropriadas, bem como uma quantidade grande de entulho que permanece esperando alguém para retirar do local.

A sujeira é tanta que ônibus e veículos pequenos que circulam pelo local têm que usar a pista contrária (andar na contramão) para desviá-la.

Com relação ao lixo, percebo que os caminhões até fazem o recolhimento, mas depois de recolhido, deixam as caixas coletoras no meio da rua, atrapalhando o trânsito. Em algumas situações isso é feito por causa do estado das caixas, pois não possuem mais “rodinhas” que facilitariam a colocação das mesmas em local apropriado.

Outro detalhe é que algumas pessoas, que imagino sejam proprietárias de casas de carne, colocam as ossadas nessas caixas, gerando mal cheiro e trazendo para o local diversos animais indesejados, como ratos e baratas.

Olhando a quantidade de entulho que está à espera de ser retirado, também pode ser observado o descaso, pois, pelo conhecimento que tenho sobre o assunto, não há nenhuma obrigação do poder público (prefeitura) de recolher entulhos. A obrigação é de quem gerou o mesmo, mas existe uma cultura que só conheço no Norte do País, onde as prefeituras fazem o recolhimento do entulho em vez de fiscalizarem e punirem quem coloca a sujeira em via pública.

4 comentários:

Carlos Floresta disse...

Só uma perguntinha: essa cidade tem prefeito? Ou só aparece na época de campanha?

rommer456 disse...

Carlos Floresta, isso não é simplesmente culpa da prefeitura. O que mais se vê em Rio Branco é pessoas limpando dia e noite a cidade. O que ocorre é a enorme quantidade de "cidadãos" que não tem o menor respeito por si mesmos e pelas outras pessoas e jogam lixo em qualquer lugar sem o menor discernimento. Ando sempre de ônibus, e noto que as pessoas (principalmente mães com crianças pequenas e adolescentes) andam com comida nas mãos, e depois que terminam a refeição jogam o lixo pela janela ou no chão do ônibus. Mesmo quando tem uma lixeira a fácil alcance. Nas ruas é ainda pior e qualquer um quer prestar a atenção, vê as pessoas sujando a cidade. Já que tanta gente (não todos) não respeitam a cidade, é preciso de uma lei forte e eficiente que fiscalize e aplique elevadas multas a quem faz questão de sujar a nossa cidade. O pior é você vir com essa desculpa esfarrapada, sendo que se vê claramente que as pessoas (novamente, não todos) sujam a cidade e fica por isso.

Carlos Floresta disse...

Prefeito num tem não, mas assessoria midiática atenta, ah, isso tem!
Só uma perguntinha: quem vai resolver o problema? O prefeito, quando existir...

rommer456 disse...

Carlos Floresta, não seja infantil e nem venha querer transformar isso em um jogo político. Não faço parte de nenhuma assessoria. Sou um estudante e não tenha admiração por nenhum dos segmentos políticos (posição/situação) do Acre. Mas, não vou ficar mentir e fingir que uma boa boa parcela da população não suja a cidade. Você sabe disso, e é completamente imaturo da sua parte querer tirar a responsabilidade do cidadão. Sabe por que eu friso tanto nisso? Desde criança, minha família me ensinou a nunca jogar lixo no chão e nem sujar as coisas. Seja em casa ou na rua. Isso é algo básico. E principalmente numa cidade que todos dividem o mesmo ambiente, o mínimo era se ter respeito. Enquanto não for feita uma lei punindo quem faz esse ato, a situação tende a piorar. Enquanto isso, o governo uso o seu poder para defender a quadrilha do G7 e a oposição para defender um ex-prefeito que usou dinheiro público indevidamente. É cada um pior que o outro.