quarta-feira, 23 de outubro de 2013

As raízes do mal

POR MARCIO BITTAR

Hitler, Mussolini e Hirohito, o Imperador japonês, perderam a Segunda Grande Guerra Mundial. Nazistas e fascistas foram julgados e suas patológicas ideologias banidas, restando caricaturas fragmentadas nos dias de hoje. Infelizmente, Stalin, o sanguinário ditador soviético, aliado de primeira hora dos nazistas e fascistas, não teve o mesmo destino; sua ideologia se espalhou dominando parte significativa do mundo.

A ideologia disseminada por Karl Marx e outros teóricos foi bem sucedida em domar milhões de seres humanos, fazê-los embarcar em falsificações históricas repetidas ad nauseam em sindicatos, partidos, praças, escolas, jornais e igrejas. Hoje, os socialistas não mais pegam em armas para assaltar o poder. Fazem a revolução na cabeça das pessoas, solapam as democracias por dentro. O novo estratagema foi elaborado pelo comunista italiano Antonio Gramsci ao escrever suas receitas revolucionárias no cárcere.

Mesmo após a queda do muro de Berlim e a derrocada econômica e moral da cortina de ferro, o socialismo vive e se expande utilizando o estratagema de Gramsci. Os mestres da propaganda até inventaram um socialismo bonzinho, que prega igualdade. Com desfaçatez, esquecem os milhões de mortos, os extermínios, revisam a historia e se reinventam.

Jovens latino-americanos desavisados vestem camisetas com estampas de rostos de revolucionários socialistas responsáveis por assassinatos a sangue frio. O mais famoso deles é figura carimbada. Che Guevara, o mesmo que disse em Assembleia Geral da ONU, em 9 de dezembro de 1964: "Execuções? É claro que executamos! E continuaremos executando enquanto for necessário! Essa é uma guerra de morte contra os inimigos da revolução!".

Quantos jovens brasileiros embarcaram na loucura e foram as vias de fato no Brasil dos anos 60 e 70? Quantos perderam sua juventude e vigor para implantar o socialismo que acreditavam ser o portador da verdade histórica? Quantos não jogaram bombas, assaltaram bancos e sequestraram pessoas em nome da ditadura do proletariado? Certamente, muitos.

Nos anos 80 e 90, facções socialistas e comunistas formaram o Partido dos Trabalhadores, o PT. O partido inventou que tinha o monopólio da ética na política e passou a caçar com difamações todos os adversários, considerados por eles como inimigos. O espírito autoritário é parte da natureza dos socialistas e consequentemente do PT. São herdeiros de Stalin, de Fidel Castro, de Che Guevara, de Mao Tsé-Tung e de tantos outros responsáveis por atrocidades em seus países e pela expansão mundialista do mal.

Em 1990, o PT, representado pelo ex-presidente Lula e em parceria com Fidel Castro, montou o Foro de São Paulo. Estava inaugurada a instituição que iria estabelecer as estratégias de expansão do socialismo na América Latina. Partidos, movimentos sociais e movimentos terroristas revolucionários da América Latina e do Caribe passaram a se reunir no afã de implantar o socialismo em todas as Américas. Atualmente, participam dos encontros do Foro mais de cem instituições, a última reunião se deu em São Paulo, nesse ano. São 16 países governados por membros do Foro de São Paulo. Vivem o novo socialismo, igual ao velho em essência.

O enredo e o desenrolar dessa novela pode ser visto retroativamente no Acre. O Estado vive seu calvário socialista desde 1999. E o receituário é idêntico ao velho: perseguição brutal aos opositores, aumento progressivo de impostos sufocando a iniciativa de empresários, desrespeito à propriedade privada, populismo e assistencialismo, controle de todos os meios de comunicação, sujeição dos políticos de pensamento contrário, aparelhamento partidário dos órgãos governamentais, propaganda baseada em falsidades, desrespeito e desmoralização de representantes do Judiciário e imposição do medo a todos que se atrevem a contestá-los. Lamentavelmente, não há nessas palavras nenhum exagero.

Acredito que a esperança sempre vence o medo. Em 2014, o povo brasileiro e acreano terão, novamente,  nova chance de dizer não ao medo, à opressão e à derrocada econômica. As armas para derrotar o socialismo tupiniquim, no país e no Acre, serão a verdade e o voto. Com elas será retomado o caminho da democracia, do progresso e da liberdade.

Marcio Bittar é deputado federal, presidente da Executiva Regional do PSDB no Acre e Primeiro-Secretário da Câmara dos Deputados

11 comentários:

Altemar disse...

Rapaz,
agora me deu uns 03 tipos de medo.

Isaac Melo disse...

Acredito ser necessário reinventar a oposição no Acre. O governo atual está há anos no poder, porque a oposição é um fiasco. Tauteiam como cegos em tiroteio. Sequer apresentam um projeto concreto em relação ao que está aí.
Não quero este governo atual, muito menos essa oposição que se apresenta.
No mais, toda a mudança não passará de uma troca de patrão. E, aonde o nobre deputado vê esperança, só vislumbro mais confusão.
Quanto ao texto acima, me lembra texto do século passado, obsoleto. Faz uma miscelânea de conceitos e pré-juízos que não são tão simples assim. Não precisamos distorcer a história para termos a história do nosso lado.
O texto está bem à altura do político brasileiro. Entendam-me!

Abraços, Altino!
E bom trabalho!

joaomaci disse...

Cinismo, xenofobia, insensatez preconceito, desinformação e/ou mentiras dão o tom deste textinho pra lá de fundamentalista.
Stalin como representante do socialismo marxista?!? Governo socialista do PT?!? Este cidadão-deputado federal é doido, desinformado, ou o quê?
Sem entrar no mérito do que seria melhor, mas este cidadão não enxerga que milhares de jovens são executados diariamente devido ao que seria o antídoto para o que ele classifica como inferno socialista?
Sinceramente, se esse cara, tendo acesso somente a uns poucos veículos de comunicação aqui no Acre publica insanidades como esta, imagina o que ele faria se ganhasse o governo e toda a grana destinada a comunicação?!!
Ia esquecendo: deputado, o senhor esqueceu que os comunistas também "matam e comem criancinhas"! Fala sério?!

Alberto Bardawil Neto disse...

Altino,
Concordo com a parte histórica e desde já admito que poucos como o Márcio podem falar de Socialismo e Stalinismo, com a consequente via de demonização de quem pensa diferente. O Deputado estudou na antiga União Soviética, portanto, sabe o que diz. Discordo levemente desse "calvário" social/fascista/stalinista/leninista, acho que há muito tempo as coisas se acomodaram e nem mesmo a velha mania de chamar o governo de perseguidor pega mais. As coisas eram, como você bem sabe, diferentes antes do PT, as coisas se resolviam de outra maneira, na bala e na ameaça aberta. Por óbvio que o PT tem problemas intestinos com crítica, mesmo que a verdade desabe sobre um deles dificilmente reconhecerão qualquer erro. Mas vejo não apenas os problemas, os milhares, mas sinto e vivencio como o Estado evoluiu e melhorou. Não é o melhor lugar do mundo, nem da região norte para se viver, embora o Acre seja um lugar melhor, e muito.
Será que se em 98 o vencedor fosse outro estaríamos reclamando de cerceamento ou de coisas piores? Como não posso nem ao menos realizar esse exercício de puro achismo, creio que a oposição tem, desta vez, uma enorme oportunidade de colocar suas ideias e planos à nossa disposição (falo como eleitor). Penso apenas que seria interessante ao menos saber como eles pretendem executar, colocar em prática seus planos. Espero ansiosamente.

Alberto Bardawil Neto disse...

Altino,
Concordo com a parte histórica e desde já admito que poucos como o Márcio podem falar de Socialismo e Stalinismo, com a consequente via de demonização de quem pensa diferente. O Deputado estudou na antiga União Soviética, portanto, sabe o que diz. Discordo levemente desse "calvário" social/fascista/stalinista/leninista, acho que há muito tempo as coisas se acomodaram e nem mesmo a velha mania de chamar o governo de perseguidor pega mais. As coisas eram, como você bem sabe, diferentes antes do PT, as coisas se resolviam de outra maneira, na bala e na ameaça aberta. Por óbvio que o PT tem problemas intestinos com crítica, mesmo que a verdade desabe sobre um deles dificilmente reconhecerão qualquer erro. Mas vejo não apenas os problemas, os milhares, mas sinto e vivencio como o Estado evoluiu e melhorou. Não é o melhor lugar do mundo, nem da região norte para se viver, embora o Acre seja um lugar melhor, e muito.
Será que se em 98 o vencedor fosse outro estaríamos reclamando de cerceamento ou de coisas piores? Como não posso nem ao menos realizar esse exercício de puro achismo, creio que a oposição tem, desta vez, uma enorme oportunidade de colocar suas ideias e planos à nossa disposição (falo como eleitor). Penso apenas que seria interessante ao menos saber como eles pretendem executar, colocar em prática seus planos. Espero ansiosamente.

Alberto Bardawil Neto disse...

Altino,
Concordo com a parte histórica e desde já admito que poucos como o Márcio podem falar de Socialismo e Stalinismo, com a consequente via de demonização de quem pensa diferente. O Deputado estudou na antiga União Soviética, portanto, sabe o que diz. Discordo levemente desse "calvário" social/fascista/stalinista/leninista, acho que há muito tempo as coisas se acomodaram e nem mesmo a velha mania de chamar o governo de perseguidor pega mais. As coisas eram, como você bem sabe, diferentes antes do PT, as coisas se resolviam de outra maneira, na bala e na ameaça aberta. Por óbvio que o PT tem problemas intestinos com crítica, mesmo que a verdade desabe sobre um deles dificilmente reconhecerão qualquer erro. Mas vejo não apenas os problemas, os milhares, mas sinto e vivencio como o Estado evoluiu e melhorou. Não é o melhor lugar do mundo, nem da região norte para se viver, embora o Acre seja um lugar melhor, e muito.
Será que se em 98 o vencedor fosse outro estaríamos reclamando de cerceamento ou de coisas piores? Como não posso nem ao menos realizar esse exercício de puro achismo, creio que a oposição tem, desta vez, uma enorme oportunidade de colocar suas ideias e planos à nossa disposição (falo como eleitor). Penso apenas que seria interessante ao menos saber como eles pretendem executar, colocar em prática seus planos. Espero ansiosamente.

Altemar disse...

Manin,
meus medos aumentaram. Esse sujeito é acrEano de onde?

Carlos Floresta disse...

Talvez Bittar ou algum assessor queira ter se referido às origens de outrora em contraponto aos "desvios ideológicos" atuais. Ter estudado na URSS não garante cadeira até porque os tais "desvios" iniciaram justamente por lá criando uma aristocracia "socialista". Nos moldes da mesma que vemos no Acre, atualmente.
Mas hei de concordar que por Antônio Gramsci nesse lugar-comum, é insensato. Gramsci é vanguarda. Todo o resto é desvio e oportunismo político-partidário.

Isac disse...

Nunca vi tanta baboseira. Pelo visto nunca leu uma linha de Gramsci. Ainda bem que, pelo que viu pelos comentarios até aqui, não impressiona ninguém, a não ser pelos arrepios e medos, como diz o colega aí em cima.

Jozafá Batista disse...

Quanto nonsense em um artigo só. Todas as conexões estão erradas.
.
1 - Stalin se aliou também com os EUA para vencer justamente Hitler - com quem tinha assinado pouco antes, é verdade, um tratado de não-agressão.
.
2 - A concepção de construção do socialismo por meio da disputa política-eleitoral é bem anterior a Gramsci. É uma estratégia originada nos partidos social-democratas europeus, nomenclatura da qual o partido de Bittar, o PSDB, faz parte!
.
3 - Revoluções matam gente: nos EUA contra a Inglaterra, no Brasil contra Portugal, no Acre contra a Bolívia e, claro, em Cuba, na China, na Rússia czarista etc. O argumento é uma falácia.
.
4 - A formação do PT nada teve a ver com inspirações comunistas ou socialistas. Aliás, isso é válido para qualquer partido trabalhista: na França, na Inglaterra, nos EUA há partidos trabalhistas e em nenhum deles há inspiração revolucionária ou comunista. Eles se ligam a movimentos sociais e sindicais e no caso do PT, à igreja católica. No Brasil, são também trabalhistas: PDT, PRTB, PTB e outros. É o básico saber disso antes de escrever um artigo assim? Obviamente, é o básico.
.
5 - O argumento mais obtuso do texto é aquele sobre o Foro de São Paulo. Ora, se o PT pretendesse implantar o socialismo por meio da suposta metodologia de convencimento "inventada" pelo Gramsci, que risco os homens de bem estariam correndo, a não ser o de ter mais debate, mais propaganda, mais tentativas de influenciar o voto dos eleitores? Que artigo nonsense! A propósito: PSB e PPS - esta última, sigla a que o deputado pertencia há pouco -, também integram o Foro de São Paulo! Cadê o pluralismo democrático do parlamentar?
.
6 - O tutelamento da sociedade civil é uma velha prática pluripartidária na América Latina. Getúlio Vargas, Perón, Campos Salles, Álvaro Uribe, José Sarney etc, todos controlam ou controlaram imprensa, atacam o judiciário, aparelham o Estado com seus lacaios e assim por diante. Há uma literatura vasta a esse respeito, o que torna esse artigo ainda mais bisonho. Ou seja, o PT acreano reproduz práticas históricas amplamente disseminadas na política brasileira e latino-americana. É algo que não nasceu com o PT e que não vai morrer com ele: é algo herdado culturalmente, faz parte de segmentos dominantes da nossa Latinoamerica.
.
7 - Há várias outras coisas bizarras nesse artigo. Mas não vou comentar pra não me estender. O básico todo mundo já sacou: o deputado quer surfar na onda de impopularidade do governo Tião Viana aqui no Acre. Curiosamente, com esse artigo, mostrou o seu total despreparo como surfista. Deveria estudar, antes de fazer conexões teóricas sem pé nem cabeça.

vilmar boufleuer disse...

é esse ai o candidato da oposição? kkkkkkkkkkkkkkk é por isso que nunca derrotarão a FP!