quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Aldeia alimenta turistas com carne de caça

Foto: Odair Leal / Framephoto

Conversei com alguém sobre o festival de resgate cultural da etnia yawanawa, que reuniu centenas de pessoas na semana passada, na aldeia Nova Esperança, na Terra Indígena Rio Gregório. Como turistas e políticos participaram da festa, indaguei quanto cada visitante pagou.

- Cobram dos turistas, por exemplo, para a contratação de caçadores brancos. É necessário alimentar a todos com carne de caça da mata. Uma coisa é caçar para alimentar as famílias; outra coisa são as caçadas predatórias para alimentar turistas. Além disso, nada a ver mesmo misturar umbanda e candomblé nos rituais. Isso tudo faz explodir o egocentrismo de alguns parentes.

A fonte acrescentou e fez uma indagação:

- E todos figuram de naturalistas, adeptos da vida na floresta. Você acha que uma pessoa séria, espiritualizada, precisa disso?

Um indígena yawanawa revelou ao blog que um dos caçadores  foi picado por cobra surucucu quando caçava para alimentar os turistas.

3 comentários:

Lindomar Padilha disse...

Caro Altino,

Mesmo estando em viagem, não posso me furtar de dar meu pitaco sobre este post.

Gostaria de lembrar primeiramente o que diz o Artigo 231 da Constituição Brasileira, § 2.º "As terras tradicionalmente ocupadas pelos índios destinam-se a sua posse permanente, CABENDO-LHES O USUFRUTO EXCLUSIVO das riquezas do solo, dos rios e dos lagos nelas existentes".

Então, segundo o texto constitucional, os povos indígenas possuem o usufruto "exclusivo", o que significa que não podem vender, doar, distribuir... as riquezas contidas em seus territórios.

De outro lado, exige-se bom senso. Naturalmente que um visitante eventual pode e até deve, como sinal de partilha e respeito, se alimentar daquilo que a comunidade se lhe oferece. Entretanto, caçar para alimentar turistas e políticos fere de morte o usufruto exclusivo e é, no mínimo, abuso.

Portanto, o que esses senhores estão fazendo é, antes de tudo, um CRIME

Lindomar Padilha disse...

Caro Altino,

Devo acrescentar que a terra dos Yawanawa é partilhada também com os Katukina, logo, a questão do usufruto exclusivo se agrava no caso da caça para alimentar turistas e políticos.

Lindomar Padilha

Carlos Floresta disse...

Os visitantes são "ECO": Ecocapitalistas de apetite voraz.