terça-feira, 28 de maio de 2013

Operação G-7: desembargadora Denise Bonfim está ameaçada de morte

O presidente da Associação dos Magistrados do Acre (Asmac), Raimundo Nonato da Costa Maia, disse que a desembargadora Denise Castelo Bonfim está ameaçada de morte. As ameaças já foram comunicadas ao presidente do Tribunal de Justiça do Acre, desembargador Roberto Barros.

- A desembargadora,  que atingiu pessoas que exercem cargo de relevância na administração, de repente se vê atacada e, pior, se vê ameaçada. Ela tem recebido ligações não identificadas, em seu celular, a ameaçando de morte, além de um boato, promovido dentro da penitenciária, que ela deveria ser eliminada. Quero dizer bem claro que esse tipo de intimidação em nenhum momento vai fazer qualquer juiz recuar ou deixar de cumprir o seu dever. Nós, quando assumimos esse papel de magistrado, prestamos um juramento perante a sociedade, a Constituição e as leis. Nós iremos cumprir a nossa missão, doa a quem doer, sem recuar em nenhum momento. Nós hipotecamos total apoio à desembargadora, deixando bem claro que não é nenhuma ameaça que vai intimidar o Poder Judiciário do Acre e seus juízes – afirmou o juiz Raimundo Maia.

O presidente da Asmac acrescentou que vai pedir a intervenção do presidente do Supremo Tribunal Federal no caso.

A desembargadora Denise Bonfim foi quem autorizou a Polícia Federal a realizar prisões preventivas, busca e apreensão e de condução coercitiva, bloqueio de bens e compartilhamento de provas durante a Operação G-7, que já prendeu 15 empreiteiros e secretários do governo do Acre envolvidos com o grupo de sete empresas de construção civil que atuava de modo articulado para fraudar licitações de obras públicas no Acre.

A Polícia Federal já indiciou 22 pessoas por formação de um suposto cartel para fraudar licitações e contratos no governo do Acre. Entre os indiciados, dois secretários de Estado, além de  Tiago Viana Neves Paiva, sobrinho do governador Tião Viana (PT)

A PF anexou relatório complementar com citações ao governador e uma conversa telefônica dele com um dos investigados para que o Tribunal de Justiça avalie se abre apurações sobre seu suposto envolvimento no caso ou encaminha o material ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O presidente da Asmac relatou as ameaças durante uma entrevista coletiva a respeito das "declarações acusatórias" por parte de políticos acerca da atuação de magistrados, bem como do judiciário acreano, na investigação da Operação G7, da Polícia Federal.

O governador Tião Viana e os senadores Anibal Diniz e Jorge Viana, ambos do PT, têm criticado duramente a atuação da Polícia Federal e da Justiça. No sábado (25), durante plenária do partido em desagravo ao governador, Diniz atacou a Polícia Federal, o Ministério Público e a Justiça por causa das investigações da Operação G-7.

- Um ano e seis meses de gravação, de procura com lupa, como cães farejadores tentando encontrar alguma marca de corrupção neste governo (…) A Polícia Federal, o Ministério Público e o Tribunal de Justiça estão a serviço de uma oposição que quer, a todo custo, tomar o poder a custa de mentiras.

6 comentários:

I D A I L D O disse...

Será que o esquadrão da morte voltou??
Não temas, não recue!!!

Joana D'Arc disse...

De Volta ao Começo : O Ônus da Prova Cabe ao Senador Sem Votos Comprovar e Provar Inequívocamente Suas Acusações!
As Acusações Institucionais do Senador Sem Votos ' Não Foram Proferidas com o
Aparato da Imunidade ' e, Certamente, Responderá Perante às Instituições Aviltadas : É desabonador o desserviço Anti Cidadão deste Ilegalista Sujeito!!!
Exijo Como Cidadã e Apuração das Acusações
Feitas Pelo Senador Sem Votos!
AS AVILTANTES INSINUAÇÕES do SENADOR SEM VOTOS INCITARAM O ÓDIO INSTITUCIONAL e CONVOCARAM SUA MILITÂNCIA Ao TERRORISMO INTIMIDATÓRIO e SEPARATISTA Entre GRUPOS POLÍTICOS No ACRE!!! Reajam Instituições...O Chamaneto Para o Caos Já Foi Feito Pela Banacada do Poder daMais Respeitǘel casa Legislativa da República : Os Senadores... O Silêncio Nos Incomoda à Todos...

Eu Sou Joana D'Arc Valente Santana, Presidente da ONG Org. Organização Universalista em Direitos

Mari@d@acre disse...

O senador com votos deveria pensar num projeto de concurso pra chegada dos senadores no senado, desembargadores nos TJ, ministros no STF, etc... Afinal, o acre não deve ser lembrado só pelas (mesmas) notícias ruins de antigamente (e de hoje)!

Lindomar Padilha disse...

O SENADOR (ainda que sem votos) ANIBAL DINIZ FEZ GRAVÍSSIMAS ACUSAÇÕES À POLÍCIA FEDERAL, TRIBUNAL DE JUSTIÇA E OUTRAS INSTITUIÇÕES QUE, SEGUNDO ELE ESTÃO A SERVIÇO DA POLITICAGEM DE OPOSIÇÃO. DEIXOU CLARO QUE TODOS QUE SÃO A FAVOR DO COMBATE À CORRUPÇÃO QUE CAMPEIA NOS DIVERSOS SETORES DO GOVERNO SÃO INIMIGOS DO ESTADO (Aqui o Estado se equivale às forças políticas que se apropriaram dele há mais de 14 anos, lideradas pelo Partido dos Trabalhadores). TAIS ACUSAÇÕES SEMEIAM A DISCÓRDIA ENTRE AS INSTITUIÇÕES, PREGAM A VIOLÊNCIA ENTRE A MILITÂNCIA E MANCHAM A JÁ TÃO FRÁGIL DEMOCRACIA, QUE AQUI NO ACRE, A DEPENDER DAS AFIRMAÇÕES DO SENADOR, NÃO EXISTE.

Como cidadão também repudio as afirmações do senador, ao tempo que que exijo que ele apresente as provas para que não pairem dúvida alguma sobre a atuação especialmente da Polícia Federal e do tribunal de justiça. Anibal se sentiu "O Senador" quando fez as acusações, agora está na hora de se mostrar digno de enfrentar a situação e apresentar as provas, já que o ônus cabe ao acusador.

Bom trabalho

Lindomar Padilha

Alex Oliveira disse...

Será que uma investigação que contém um inquérito com cerca de 4 mil páginas, realizado pela Polícia mais especializada do país tenha cometido tamanha injustiça contra todos os investigados? Eu sou meio cético em acreditar nessa hipótese. O fato é que o PT criou um poder tão grande dentro do Estado do Acre que achou que nada e ninguém seriam capazes de desafiá-lo. Essa operação G-7 deixou o Partido dos Trabalhadores desestabilizado, suas principais lideranças estão desesperadas. Como conter a queda da máscara? Como conter a opinião pública contrária e enojada por toda essa situação? Pior! Como evitar um desastre às vésperas das eleições estaduais? E esse desespero é visível, refletido nos vários ataques que o Judiciário e a PF vêm sofrendo das lideranças petistas. A situação está tão crítica a ponto do Senador da República Jorge Viana, sair de Brasília, largar tudo só para acompanhar os desdobramentos desta operação.

Sovereign disse...

Excelência, acredito que a menção pública do que acontece e quantos (sem precisar nomes) estão envolvidos, de cada órgão, e de cada autarquia, será A ÚNICA SALVAGUARDA da desembargadora contra esses criminosos que se escondem atrás de mensagens telefônicas e boatos.
Apoio totalmente esse levante da Lei, no sentido de colocar as coisas no rumo certo, em nossa nação
Vou publicar algo a respeito, em meu blog clubedepilantras.blogspot.com