domingo, 17 de março de 2013

SEJA FEITA A VONTADE DE TIÃO VIANA


Apesar dos alertas e críticas do Ministério Público, o governo do Acre inicia nesta segunda-feira (18), na margem direita da BR-364, a cinco quilômetros de Rio Branco, as obras do "Cidade do Povo", estimadas em R$ 1,1 bilhão.

O empreendimento, que se sobrepõe à preocupação ambiental, é apresentado como o maior projeto habitacional da história do Estado.

A "cidade sustentável" terá 10,5 mil moradias - aproximadamente 60 mil pessoas em cima do Aquífero Rio Branco, e será a terceira maior concentração urbana do Estado, excetuando os municípios de Rio Branco e Cruzeiro do Sul.

O aquífero é um recurso hídrico com capacidade de abastecer mais de 1 milhão de pessoas em Rio Branco, uma capital onde a precariedade do abastecimento de água potável é fato público e notório.


O governo estadual desconsidera que o aquífero será impactado e dispõe de parecer dizendo que praticamente não existe aquífero na área.

Para escoar esgoto e água de chuva é necessário que o terreno tenha alguma declividade. A área da "Cidade do Povo" é uma planície quase na cota do Rio Acre.

Terão que bombear a água e o esgoto para conseguir drenar. Além de muito caro, exigirá muita manutenção.

A "Cidade do Povo" está sendo acompanhada por meio de inquérito civil das Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo e Consumidor.


Por sua vez, o Ministério Público Federal acompanha o caso por outros viés: quer saber qual o impacto do aquífero para as construções, se o solo é adequado para a construção de mais de 10 mil imóveis, pois o próprio governo prevê urbanização mais acentuada da área como decorrência do projeto.

Tecnicamente, a área faz parte da planície de inundação do Rio Acre.

Rio Branco já é pobre o suficiente para arcar com mais uma obra que terá que ser consertada eternamente.

O tempo dirá o que significa construir uma "cidade sustentável" dentro de um charco ou várzea.

4 comentários:

Eliane Sinhasique disse...

O projeto é bom. Foi amplamente divulgado como compromisso de campanha do Tião Bocalom à prefeito em 2008. Lembram? O Tião Bocalom chamava de Bairro da Liberdade e tinha o slogan "Agora é a Vez do Povo!". Naquela época fizeram chacota do Bocalom... e pelo que me lembro ele falava em um bairro modelo com distritos de serviços, distritos de pequenas empresas economicamente sustentável e ecologicamente ativo pois, os esgotos seriam canalizados para um biodigestor que produziria gás e adubo para as hortas que também estavam no projeto... Repito o projeto é bom mas o terreno, é inapropriado, de acordo com técnicos e engenheiros que já visitaram o local...

chedi360 disse...

QUERO VER SE PELO MENOS VAI REALMENTE UM TRATAMENTO DE ESGOTO EFICAZ E QUE DEPOIS DE ALGUNS ANOS NÃO SEJAM CASAS DE FARINHA, CONSTRUÍDAS COM REFUGO DE MATERIAL DE 5ª CATEGORIA! TOMARA QUE ISSO SEJA TUDO INVESTIGADO,E QUE NÃO SER SEJA, PASMEM! SOMANDO A OUTRAS UMA ENGANAÇÃO AO POVO DO ACRE! SALVEM-SE QUEM PUDER!

cplauto disse...

Eliane Sinhasique, a Câmara de Vereadores está mau assessorada. Sugiro que a comissão de urbanismo, procure fazer convênios com os órgãos de fiscalização, inclusive profissional, Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Acre - CAU AC e Conselho de Engenharia e Agronomia do Estado do Acre - CREA AC, e assim ouvir a categoria profissional, antes da política, e votar com melhor entendimento, de aspectos técnicos envolvidos, principalmente quando se trata de um empreendimento que afeta a todos do município. Espero sinceramente que der certo. Como falou um técnico do município no dia da apresentação do EIA RIMA " se tiver 5% de dar certo, que dê...". Um projeto que foi imposto, e que, quem vai ser "beneficiado" não pôde se manifestar, através de fóruns adequados e principalmente, opinar quanto a concepção do projeto urbanístico e a localização do empreendimento. Projeto este que deveria ser feito através de concurso público, para que entre os apresentados houvesse a escolha, pela população, daquele que melhor atendesse suas necessidades. Esperar para ver, cabe a todos fiscalizar, inclusive os vereadores. Fico a disposição para fazer a interlocução com o CAU AC. Clênio Plauto S. Farias - arqcplauto@bol.com.br

Cartunista Braga disse...

Parece que vão construir uma sapolândia bem grandona. Este projeto parece com a "Bocalândia" do Tião Bocalom, né não? Espero que tudo dê certo.