sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

CAUTELA E CONTENÇÃO NOS GASTOS

Trecho que considero mais relevante da mensagem do prefeito Marcus Alexandre (PT) na abertura da legislatura na Câmara Municipal de Rio Branco:

- Estamos buscando apoio do Governo Estadual e do Governo Federal para a realização dos investimentos que nossa cidade precisa. A arrecadação da Prefeitura sofreu uma diminuição significativa em 2012, com a redução de R$ 27 milhões dos repasses constitucionais, quase 10% de todas as receitas próprias. Neste ano a realidade não será diferente, pois o Governo Federal prorrogou o incentivo do IPI, fonte dos repasses do FPM. A crise que assola o mundo, também impacta nosso município. O momento requer cautela e contenção nos gastos públicos. Os serviços essenciais e inadiáveis devem ser priorizados.


Ou seja: em campanha eleitoral, político faz discurso heróico, de libertador. Quando eleito, safa-se dizendo ter constatado que não dá para resolver todos os problemas da cidade e que os serviços essenciais e inadiáveis devem ser priorizados.

3 comentários:

Daniel disse...

Crise mundial é o maior clichê dos discursos políticos. Sempre que vejo algo do tipo tenho a impressão de que a pessoa não tem a mínima idéia do que tá falando.

Aldo Nascimento Tavares disse...

Texto de governantes deve ser INCORRIGÍVEL, porque eles exigem o correto. Uma autoridade não pode errar.

Neste texto de Marcos Viana, uso da vírgula errado. Péssimo exemplo ao ensino.

Aldo Nascimento Tavares disse...

Retornei ao Rio de Janeiro desde setembro de 2012 para cuidar de meus pais.

Moro em Maricá, município que faz fronteira com os municípios de Itaborai, Niterói, São Gonçalo e Saquarema, e nunca li nos jornais matéria sobre crise econômica.

Em Niterói, por exemplo, só se fala em investimento na cultura.

Prefeitura de Rio Branco e Câmara gastam muito. Quero ver se Marcos Viana tem coragem de tornar transparente as contas públicas.

Diga à população por meio de um portal com o que se gastou o dinheiro publico. Isso seria o novo.