quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

RIO BRANCO ANTIGA

Catedral, casa do bispo, Palácio Rio Branco, Mini-Bar e benjamins na calçada da Av. Getúlio Vargas. Foto do álbum de Adízia Mesquita, para quem só não aparece o carrinho do vendedor de raspadilha.

8 comentários:

Antonio Alves disse...


Altino, aquele não é o Bar Municipal, que fica mais embaixo (só aparece um cidadão passando por sua calçada circular). O redondinho lá em cima é o Mini-Bar, que foi construído no final dos anos 60 junto com a quadra de esportes, logo acima, da qual se vê uma tabela de basquete. Detalhe delicioso é o nome da loja "A Granfina" junto com a marca dos rádios Semp. A loja pertencia ao Dantinhas, que foi governador entre 1970 e 1974 e deu início à revoada dos jacus, mas isso já outra história.

ALTINO MACHADO disse...

Já vou "corregir". Grato, velho.

Aldo Nascimento Tavares disse...

Minibar.

Aldo Nascimento Tavares disse...

Minibar.

Antonio Alves disse...

Mini-Bar era o nome do estabelecimento, não vou rebatizá-lo por uma mudança ortográfica 40 anos depois de sua extinção. Nos anos 50 do século passado, o jornalista Garibaldi Brasil era editor uma revista chamada Acreana. Devo dizer que ele editava a Acriana?

ALTINO MACHADO disse...

Vou alterar novamente.

ALTINO MACHADO disse...

Professor Aldo, é Colégio Acreano ou Colégio Acriano?

ALTINO MACHADO disse...

Comentário de Alex Branco no Facebook: "Só para tumultuar um pouco mais: "Míni", de "Míni-Bar", reclama acentuação, por ser paroxítona terminada em i. E como se pode justificar e/ou defender "acrIana" no lugar do natural "acrEana"?"