segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

ACRE SEM LEI

Jeitinho permite que boates funcionem sob torre de energia de alta tensão e em posto de gasolina 


Deboche ou piada pronta a "nota de solidariedade" divulgada no domingo (27) por uma boate de Rio Branco:

- A Boate SE7 lamenta a tragédia ocorrida em Santa Maria/RS e expressa aqui sua solidariedade com todos os atingidos. Que Deus console os familiares e amigos nesse momento de dor.

O dono da SE7 devia manifestar solidariedade ao dono da boate de Santa Maria (RS), onde mais de 230 pessoas morreram por falha de segurança.


Explico: a SE7 é a antiga Diesel. Funciona num posto de gasolina. Além do nome, mudaram apenas uma parede. O acesso continua sendo pelo posto. Caso haja alguma explosão talvez seja explicado o que muita gente influente fez para liberar o estabelecimento.

Outra boate em Rio Branco, a Posch Club, funciona na base de uma torre da linha de transmissão da Eletronorte, na Estrada Dias Martins, em Rio Branco, dentro da faixa de servidão, que é o espaço de terra determinado como necessário, em função das características elétricas e mecânicas, para garantir o bom desempenho da linha, inspeção, manutenção e segurança das instalações e das pessoas.


3 comentários:

cplauto disse...

"Jeitinho". Tudo é no JEITÃO, as vistas mesmo. Não há segredo, se fosse só estas edificações resolveríamos dada a repercussão do sinistro de Santa Maria. Regras de uso e ocupação do espaço urbano é coisa séria, é lei, elaborada por técnicos, no entanto, na nossa capital, os políticos já alteraram o Plano Diretor, várias vezes, para dar este JEITÃO aos endinheirados da cidade, esquecem de que tudo que é objeto de um estudo técnico é por uma razão. Não sabem o que é um Código de Obras, não procuram profissionais, arquitetos, engenheiros, fazem primeiro para depois regularizar o que não tem solução técnica, sem custo, preferem então dar o JEITÃO, é mais barato, até custa a vida de alguém.

Roberto Feres disse...

No caso, o próprio posto está num local totalmente inadequado, com o acesso no meio de uma lombada que impede a visibilidade do tráfego.
O mínimo que se tinha que fazer ali seria impdeir fisicamente o cruzamento da via em frente ao posto, como foi feito no Araújo do Aviário ou na Ceará em frente à AABB e FAAO.

Vlaydisson disse...

Aqui em Xapuri, a nossa funciona no barranco do Rio Acre, com a última alagação, 20% da praça que ela se localiza desmoronou e a boate ficou mais ou menos um mês interditada, depois disso ela funciona até hoje.