sábado, 10 de novembro de 2012

OS "BABACAS" E O CHORO DO SIBÁ MACHADO


 
Foi divertido acompanhar na web, ao vivo, na noite de sexta-feira, a solenidade de posse do reitor Minoru Kinpara e da vice-reitora Margarida Aquino na Universidade Federal do Acre.

Contestando a formalidade e tentando dar voz a problemas internos da instituição, além de expor insatisfação com a presença do senador Jorge Viana (PT-AC) no evento, o
estudante Wesley Goldstein, do curso de Filosofia, quebrou o protocolo durante o discurso da vice-reitora.

- Vocês são babacas. Isso aqui é um elefante-branco. Vocês estão aí, engravatados, e os estudantes estão esquecidos, ferrados. Cadê a moradia estudantil que vocês prometem? Tem estudante morando em sala de aula. Isso aqui é uma palhaçada - disse o estudante, que se ausentou do Olindão, ops, do Teatro Universitário não sem antes pegar uma bandeja de salgados.

Outro a quebrar o protocolo foi o deputado Sibá Machado (PT-AC), que insistiu muito junto ao cerimonial para discursar.
 

Percorreu a casa de Galileu Galilei, mergulhou no pré-sal e depois chegou a insinuar diversas vezes que a Universidade Federal do Acre não seria o que é na atualidade sem a atuação parlamentar dele e do senador.

Muita gente torceu o nariz, incluindo quem estava à mesa, enquanto Sibá Machado chorava durante o discurso.


- Não pude conter emoções e lágrimas ontem no ato de transmissão de cargo do Dr. Minoru para reitor da Ufac - registrou o deputado no Twitter.

Mas nem tudo parece perdido na Ufac. Ex-presidente do PT e evangélico, o reitor, bem como a vice, evitaram o discurso da partidarização. Ambos prometeram respeitar e dialogar com as diferenças e saber lidar com as críticas.

15 comentários:

Je vois tout disse...

Podre isso. Mas esse é o Acre que o próprio povo escolheu né.

@eutogorda disse...

Ahh... quer dizer que a ufac é o que é por conta do VIANA? humm, é mesmo? é pra ele que vou me dirigir exigindo melhorias agora? Ai seu Sibá polpe suas lágrimas de crocodilo.

Marcos Thomaz disse...

não sou partidário... mas acho que se todas as vezes que formos ter que realizar uma crítica, quebrarmos protocolos e nos acharmos no direito de sair atacando pessoas em solenidades, eventos ou quaisquer reuniões do tipo, estamos concordando com ações totalmente anárquicas. Teria que ser aceito que, se seu vizinho não gosta ou não concorda com suas ações, ele chega em sua festa de aniversário, onde você conta com amigos e familiares e lhe agride publicamente. Concordo que não se pode ficar calado diante das injustiças e tal, mas aceitar fato tão medonho quanto este, é complicado. É exigir justiça, cometendo injustiças, pois não se deve esquecer que a Universidade é importante, e o evento em questão é importante. Como a troca do reitor (e de basicamente toda a administração) já foi feita, era mais correto tentar conversar com a nova administração, porém, vir de um universitário, uma ação tão incoerente, mais do que inesperado, é de envergonhar qualquer um.

ALTINO MACHADO disse...

Comentário do professor José Ribamar Bessa Freire:

"O escritor Vicki Baum escreveu um livro maravilhoso sobre o seringal, intitulado "Le bois qui pleure" - a árvore que chora. Não quero ser como o sândalo que perfuma o Sibá Machado que o fere, mas confesso que chorei lágrimas de crocodilo vendo o Sibá chorando (também lágrimas de jacaré)."

Fátima Almeida disse...

Foi ridículo ele usar a expressão "ele bancou", como se JV fosse um empresário e não um senador. E ainda usou o termo "simbologia" de forma inadequada. O Sibá Machado parecer ser uma prova inconteste de que o ensino superior no Brasil deteriorou, pois ele é formado em alguma coisa e não assimilou os parâmetros acadêmicos em sua fala em público no recinto de uma Universidade.

Jepeto disse...

Algumas pessoas perdem a oportunidade de ficarem caladas.
A Universidade Federal do Acre não é a casa de um ou outro, é uma instituição publica, minha.. sua.. da comunidade.. da sociedade.. e como tal é dever de qual quer cidadão propor, discutir, fiscalizar e cobrar ações que visam o melhor funcionamento da instituição.
sinceramente, eu tenho vergonha de viver em uma sociedade que tem em seu quadro de deputados uma figura como SibaMachado.

Maga Lopes disse...

Eu estava de mediadora da última mesa redonda do VI Simpósio do Mestrado Linguagens e Identidades, na companhia prazerosa das sábias professoras Ana Pizarro e Maria Chevarría, falando de cultura indígena, genocídio da caucho e coisas mais importantes que me pouparam de participar da cerimônia de tranferência do cargo de reitor. De coração, espero tempos melhores para a UFAC, já tão sofrida e vilipendiada, com professores recebendo cartas anônimas com ameaça de morte, a exmeplo do que acopnteu comigo, que recebi cartas deste tipo por somente estar cumprindo as normas e me recusando a fazer as coisas por cima da LEI, pois LEI não se discute, cumpre-se! Espero dias melhores de coração, cou continuar fazendo um trabalho limpo, com dedicação, compromisso, como sempre foi minha postura, mas a exemplo da cerimônia de posse, haverá esperança?

Eduardo Carneiro & Egina Carli disse...

O cerimonial era de posse do novo reitor ou era palanque político... o reitor quer pagar $$incentivos$$ que dizem que recebeu dando VOZ a esse político? Quer discursar, vai lá para Brasília... Tantos deputados federais do Acre, por que esse foi GALARDOADO com o direito à VOZ?

Altemar disse...

Nao entendi nada:
http://www.ufac.br/news/ufac-tera-campus-politecnico-e-ampliacao-das-vagas-do-curso-de-medicina

Anthony Christino disse...

Acho que para o amigo Marcos falta conhecimento politico p diferenciar politica de politicagem, assim como anarquico de bagunça... aliás falta a grande parte das pessoas! mas se o povo como um todo é omisso, merece não só a "merda" de reitores demagogos, assim como os politicos que temos. Querem mudar algo? não é só falando que se faz... o poder esta na mão de alguns e o povo que acredita no "jeitinho brasileiro" é omisso, então se n temos o poder e ficar parado não resolve, sim temos q ter atitudes chamativas, sinceras, inspiradoras e que marquem a presença dos discursos falaciosos.

Anthony Christino disse...

Acho que para o amigo Marcos falta conhecimento politico p diferenciar politica de politicagem, assim como anarquico de bagunça... aliás falta a grande parte das pessoas! mas se o povo como um todo é omisso, merece não só a "merda" de reitores demagogos, assim como os politicos que temos. Querem mudar algo? não é só falando que se faz... o poder esta na mão de alguns e o povo que acredita no "jeitinho brasileiro" é omisso, então se n temos o poder e ficar parado não resolve, sim temos q ter atitudes chamativas, sinceras, inspiradoras e que marquem a presença dos discursos falaciosos.

Carlos disse...

Ele tem que chorar lágrimas de submissão mesmo, porque ele nunca conseguiria o cargo que tem por seus próprios méritos. #pronto falei#

utilar wer disse...

OS POLITICOS SÓ QUEREM AUMENTO.. NAO TAO NEM AI PRA NINGUEM, LEMBREM DISSO.

utilar wer disse...

OS POLITICOS SÓ QUEREM AUMENTO.. NAO TAO NEM AI PRA QUEM REALMENTE PRECISA, PENSE NISSO.

Enzo Mercurio disse...

Eu sou do tempo que no Acre so se falava da Arena.
Lembro bem do Gen.Geisel entrando em Rio Branco e os alunos dos grupos escolares com bandeirinhas.
Naquele tempo se chorava de verdade.