sexta-feira, 21 de setembro de 2012

IMPUGNAÇÃO DE PESQUISA DO IBOPE

Questões tendenciosas para incutir na mente do eleitor os nomes de Marcus Alexandre e Tião Bocalom
  
O Ministério Público Eleitoral pediu à juíza da 1ª Zona, Maha Kouzi Manasfi e Manasfi, impugnação da divulgação da pesquisa Ibope/Rede Amazônica sobre intenção de voto na disputa pela prefeitura de Rio Branco.

O promotor eleitoral Rodrigo Curti afirma que o questionário da pesquisa do Ibope contem questões tendenciosas, a tentar incutir na mente do eleitor, de maneira subliminar, os nomes de
Marcus Alexandre (PT) e Tião Bocalom (PSDB).

- Segundo a própria pesquisa induz, estariam com maior número de votos e aptos a concorrerem, caso haja, eventual segundo turno - assinala Curti.

O promotor eleitoral reproduz trecho do questionário do Ibope:

"[...] P04) E se a eleição para Prefeito de Rio Branco tiver SEGUNDO TURNO, em quem o(a) sr(a) votaria se tivesse que escolher entre: (LEIA AS ALTERNATIVAS 1 e 2 – RU – FAÇA RODÍZIO ENTRE OS NOMES A CADA ENTREVISTA)
1( ) Marcus Alexandre
2( ) Tião Bocalom
7( ) Nenhum/Branco/Nulo
8( ) Não sabe
9( ) Não respondeu
[...]"

- Como pode ser comprovada através do questionário, a pesquisa se presta tão somente a frisar o nome de apenas dois candidatos, quais sejam Marcus Alexandre e Tião Bocalom, excluindo os demais candidatos.

Rodrigo Curti afirma que existe uma tentativa de condicionamento da escolha do entrevistado somente aos dois candidatos marcados nas alternativas. Ele destaca que até o presente não foi realizada nenhuma pesquisa de intenção de voto para as eleições municipais ao cargo de prefeito no Município de Rio Branco.

- Como poderia a pesquisa indicar os dois candidatos como mais votados para um eventual segundo turno? Não restam dúvidas de que a pesquisa está eivada de irregularidade, pois a exclusão do nome dos demais candidatos da simulação para o 2º turno fere a igualdade da disputa eleitoral.

4 comentários:

João Francisco disse...

Altino,

Não precisa mais impugnar, este são os numeros:

M.Alexandre ..... 43
Bocalom ......... 39
Fernando ........ 6
A.Lucia ......... 5
Brancos e Nulos 2
Não Sabem 3


Francisco Dias disse...

O esquema do Ibope foi desmascarado por analistas políticos. Segundo denúncia de um líder sindical, que pediu anonimato, em três capitais da Regiao Norte – Porto Velho, Rio Branco e Manaus, a empresa fez um acordo com grupos do poder para polarizar, na tentativa de levar para o segundo turno as candidaturas de políticos alinhados com o governo petista. Em Rio Branco, Tião Bocalom (PSDB), que tinha 44,6% da intenção de votos, contra 16,2% Marcus Alexandre (PT), pela pesquisa do Ibope, estão empatados tecnicamente com 37 pontos para o tucano e 38 para o petista. Tudo isso num espaço temporal de dez dias. Em Porto Velho, o Ibope inflaciona o resultado a favor de Fátima Cleide (PT), em detrimento das candidaturas de Lindomar Garcon (PV), Mariana Carvalho (PSDB) e Mauro Nazif (PSB). Na capital de Rondônia, a Justica Eleitoral impediu a publicacao da "pesquisa". Em Manaus, a situação foi idêntica. O Ibope retirou pontos de outros candidatos e "doou" para Vanessa Grazziotin (PCdoB). Os analistas políticos acreditam que os Institutos de Pesquisas se vendem para quem detém o poder tentando induzir os votos dos indecisos e, assim, criarem um clima para que ocorra o segundo turno.
Na capital amazonense, a situação é mais preocupante pois, nas últimas eleições, o grupo que tenta se perpetuar no poder, por meio de cartões corporativos, segundo o Ministério Público Eleitoral (MPE), conseguiram mudar o eixo da vontade popular, elegendo para o Senado dois representantes facilmente identificados como subservientes ao ex-presidente Lula e à presidente Dilma Roussef, mesmo que isso represente o desemprego de milhares de trabalhadores e votar contra o aumento do salário mínimo. Para os analistas, os institutos de pesquisa optaram por um caminho que é facilmente associado "a chantagem".///Rosalvo Reis

Francisco Dias disse...

O esquema do Ibope foi desmascarado por analistas políticos. Segundo denúncia de um líder sindical, que pediu anonimato, em três capitais da Regiao Norte – Porto Velho, Rio Branco e Manaus, a empresa fez um acordo com grupos do poder para polarizar, na tentativa de levar para o segundo turno as candidaturas de políticos alinhados com o governo petista. Em Rio Branco, Tião Bocalom (PSDB), que tinha 44,6% da intenção de votos, contra 16,2% Marcus Alexandre (PT), pela pesquisa do Ibope, estão empatados tecnicamente com 37 pontos para o tucano e 38 para o petista. Tudo isso num espaço temporal de dez dias. Em Porto Velho, o Ibope inflaciona o resultado a favor de Fátima Cleide (PT), em detrimento das candidaturas de Lindomar Garcon (PV), Mariana Carvalho (PSDB) e Mauro Nazif (PSB). Na capital de Rondônia, a Justica Eleitoral impediu a publicacao da "pesquisa". Em Manaus, a situação foi idêntica. O Ibope retirou pontos de outros candidatos e "doou" para Vanessa Grazziotin (PCdoB). Os analistas políticos acreditam que os Institutos de Pesquisas se vendem para quem detém o poder tentando induzir os votos dos indecisos e, assim, criarem um clima para que ocorra o segundo turno.
Na capital amazonense, a situação é mais preocupante pois, nas últimas eleições, o grupo que tenta se perpetuar no poder, por meio de cartões corporativos, segundo o Ministério Público Eleitoral (MPE), conseguiram mudar o eixo da vontade popular, elegendo para o Senado dois representantes facilmente identificados como subservientes ao ex-presidente Lula e à presidente Dilma Roussef, mesmo que isso represente o desemprego de milhares de trabalhadores e votar contra o aumento do salário mínimo. Para os analistas, os institutos de pesquisa optaram por um caminho que é facilmente associado "a chantagem".///Rosalvo Reis

Francisco Dias disse...

Tenho 45 anos, e nunca na minha vida fui entrevistado por um instituto de pesquisa. Fico intrigado como, em São Paulo, a maior metrópole do Brasil, se faz uma pesquisa com 1204 pessoas.haddad passa Serra,incrível.