sábado, 19 de novembro de 2011

GREVE NA UNIR

Ameaçados de morte, professores e estudantes da federal de Rondônia recebem apoio do poeta Thiago de Mello


Professores e estudantes da Universidade Federal de Rondônia (Unir), em greve há 70 dias, receberam na manhã deste sábado (19), em Porto Velho, o apoio do poeta Thiago de Mello, 85, na luta pelo afastamento do reitor Januário Amaral, que está sendo alvo de uma sindicância do Ministério da Educação em decorrência de denúncias de irregularidades administrativas.

De passagem pela capital de Rondônia, onde participa da nona edição do Festcineamazônia, um festival de cinema e vídeo, Thiago de Mello foi recebido por professores e estudantes no prédio da reitoria, no centro da cidade, que está ocupado há mais de 40 dias.

- Mais do que trazer minha palavra solidária, que é um dever meu, uma coerência com minha própria vida e minha poesia de luta, libertária, a minha vinda aqui constitui aprendizagem minha com a luta de vocês. Eu me enriqueço. Num momento em momento em que o Brasil padece de uma enfermidade, o “assimesmismo” - ‘fica assim mesmo’, ‘não, é assim mesmo’- vocês lutam para dizer que não pode ser assim mesmo e é preciso trabalhar na mudança do que é preciso mudar - afirmou.

Leia mais no Blog da Amazônia.

2 comentários:

Joema disse...

Manifestacoes populares esta borbulhando no mundo todo. No oriente medio, Espanha, EUA e no Brasil. As vezes, eu penso que meus 32 anos me "inviabilizam" esse tipo de acao, mas quando lembro que o conformismo e uma chaga, e agora vendo o maravilhoso Thiago de Mello e seu estatuto do Homem, concluo que nao e a idade que importa, mas o fato de se ter um coracao ou nao. Aqui nos EUA tem o OWS (Occupy Wall Street) e a grande maioria dos americanos acha meio sem sentido. Mas ver a enorme diferenca que os mais ricos tem de 99% da populacao me faz questionar se eu vivo na maior democracia do mundo. Os bancos recuam baixando um pouco as taxas abusivas, mas ainda e pouco. Eu nao sei como e porque, mas existe uma onda de inconformismo que sempre chega em boa hora. E cada vez me orgulho dos chilenos que lutam por uma melhor educacao. Pena que os alunos da USP ainda patinam nas acoes, embora eu acredite que a policia dentro de um campus universitario deva ser uma unidade especifica pra atuar no campus, e nunca, mas NUNCA mesmo cercear a liberdade academica (exclui-se nisso o consumo ou vendande drogas ilicitas).

Obrigada,

Joema.

Joema disse...

Altino, desculpe os erros gramaticais e ortograficos. Escrevi na pressa novamente.