quarta-feira, 23 de novembro de 2011

ESQUEÇAM O BOQUETE, DEPUTADOS

Jaidesson Peres

Não é de se estranhar a atitude fundamentalista, medieval e homofóbica de vários deputados estaduais acreanos. Nesta semana, em razão da famosa foto da Parada Gay, eles desinibem seus instintos mais profundos. Em um parlamento em que muitos foram eleitos usando igrejas como currais eleitorais e com pessoas que não acompanham o pensamento evolutivo da humanidade, perderemos o tempo se esperarmos por defesas entusiasmadas dos direitos humanos, discursos calorosos em favor da cidadania de todos e elogios à pluralidade, à diversidade e às diferenças.

É desastroso e constrangedor saber que parlamentares, que foram escolhidos para defender todos os cidadãos e setores da sociedade diante de qualquer circunstância, sobem à tribuna da Asssembléia Legislativa para dar sermões, proferir versículos da Bíblia e apregoar doutrinas religiosas. Esses deputados, que na minha opinião são inservíveis, ganham altos salários à nossa custa sem cumprir as funções que a Constituição Estadual  lhes delega.

Decerto, eles desconhecem as conquistas dos direitos humanos fundamentais e universais, ignoram as leis brasileiras, que não hierarquizam cidadãos, e menosprezam as concepções político-filosóficas que culminaram na formação dos Estados Modernos Ocidentais, entre eles o Brasil, sobretudo no que concerne à separação entre Igreja e Estado e à concessão da liberdade religiosa.

As excelências, em vez de ficarem debatendo o “boquete” da Parada Gay, deveriam procurar ocupação e fazer juz às regalias de que gozam. Há tantas demandas, irregularidades, injustiças e corrupção, e eles ficam emudecidos. Não esbravejam, não protestam nem tomam providências. Preferem fazer motim por uma cena que é comum notar no carnaval e em outras mais festas licenciosas. Abandonem, senhores, seus gabinetes aconchegantes e carros luxuosos e sigam o que Jesus de vocês fez: andar com os pobres, dar de comer a eles e chorar com eles.

Moralismo em pleno século 21 chega a ser algo inadmissível e cômico ao mesmo tempo, principalmente após as mulheres ganharem o direito de fumar e beber em lugares públicos, após o divórcio ser permitido no Código Civil, após a prostituição deixar de ser crime e após ser tolerado duas pessoas do mesmo sexo se beijarem na televisão. É bom avisar a esses legisladores que os valores mudam, que os estereótipos caem por terra e que a religião, embora com força ainda, tende a perder influência.

Tenho medo de que o estado brasileiro se torne uma teocracia, a exemplo de alguns países mulçumanos, onde os próprios cristãos daqui são perseguidos pelos também descendentes de Abraão. Lá, as mulheres, por causa dos preceitos islâmicos, são obrigadas por lei a usar véu e impedidas de estudar, os homossexuais são presos e os jovens têm acesso restrito à internet e à diversão. O fundamentalismo, o radicalismo, o fanatismo, a intolerância, como sabemos, só causam guerras, ódio, desavenças e desgraças.

A pluralidade e diversidade devem ser vistas como riqueza da humanidade, não como obstáculos ou anomalias. Quão feio e desinteressante seria o mundo se não houvesse tantas culturas, tantas línguas, tantas religiões e opiniões divergentes. O respeito e a tolerância são valores aconselhados pela Declaração Universal dos Direitos Humanos, da qual o Brasil é signatário, e decorreram, sobretudo, dos filósofos do Iluminismo, que lutaram contra o absolutismo de monarcas, pela liberdade de expressão e pelo fim dos privilégios dos clérigos.

Portanto, gostaria que os nobres deputados estaduais, especialmente os religiosos, fizessem algo de profícuo à sociedade, que debatessem assuntos mais relevantes e apontassem soluções para os representantes do Poder Executivo. Vivemos em uma democracia, somos um ambiente plural e possuímos hoje igualdade jurídica. Que preguem, que orem, que louvem, mas dentro de seus templos. Respeitem a laicidade do Estado.

Jaidesson Peres, 22 anos, é jornalista e acadêmico de letras

26 comentários:

Lucas Calvin disse...

Caro Jaidesson, vc evoca o "pensamento evolutivo da humanidade"(ressaltando que boa parte da população acreana estar fora dele, inclusive eu e vc), uma impossibilidade de moral neste século (já que vc cita o moralismo como algo inadmissível e cômico), a defende o boquete (defendendo que isso é diversidade e pluralização) como "riqueza da humanidade", e mais, fala ainda em Direitos Humanos. Pois bem, não concordo com vc, creio que respeito tem que ser algo recíproco, creio que por mais que o Estado Moderno(muitas vezes corrupto)e segmentos da sociedade (muitas vezes apoiados por ideologias unilaterais), digam o contrário, a moral tem que existir, já que é sobre o conceito filosófico-prático de moral que se funda a idéia de bem e mal (isso vc destrói e assume uma postura do "Tudo vale"). Outra coisa, aquela cena (aquele boquete) não é, nem de longe, "uma riqueza da humanidade", é sim, uma conduta desrespeitosa de quem diz lutar por respeito, mas que não respeita O Outro(acepção geral). Lamento seu artigo, apesar de bem escrito, é confuso e luta na convergência de pontos paradoxais que vc não defende bem, apenas os cita. Respeito a diversidade, crendo que cada um pode assumir a postura sexual que quiser, mas antes, precisamos saber que precisamos nos respeitar mutualmente (estude um pouco o conceito de alteridade, talvez vc entenda mais o que digo).

Janu Schwab disse...

O simulacro de falo intumescido na boca de um homem pareceu incomodar absurdamente, não é mesmo?

Afinal, ali está um homem adulto e grisalho, não é uma gata dourada de bunda de fora, para que beatas possam corar de vergonha e marmanjos possam enviar a foto por email, malhando a reputação da mocinha, não é mesmo?

É um baita falo de borracha, não é mesmo? E um senhor de idade, como li ontem, uma "bicha velha", não é mesmo? Que fizessem essa "p*taria" dentro dos guetos, na escuridão e no silêncio dos armários, não é mesmo?

O rapaz da foto já pediu desculpas e lamentou o ocorrido. Pra que protelar a questão como se ela fosse a representação universal da diversidade sexual? Lancem logo o manual de conduta e comportamento da bicha recatada, xiitas!

Fátima Almeida disse...

Eu concordo com o jornalista mas penso que a religião não perdeu sua força. Não vemos padres nem freiras se metendo em confusão esbravejando contra gays e paradas gays, ao contrário, a Igreja Católica, tradicional e clássica, permanece na sua, cuidando das coisas sagradas não se metendo no mundo profano. Tenho o maior orgulho de ser católica. Esses deputados não são evangélicos nem cristãos, eles apenas querem aparecer, pensam ser a ALEAC um palco para suas pavonices, querem chamar a atenção dos seus eleitores, coitados, como se essa performance fosse tudo no que se resume o ofício de deputado. Como seus eleitores não sabem nada, acreditam que é isso mesmo que um deputado deve fazer. Está na hora das instituições da república darem um basta nisso tudo. Está na hora do governador Tião Vianna que é um cientista colocar esses deputados em seu devido lugar e dizer a eles quem é que manda sem risco algum porque o povo é manada, segue o boi da frente e o governador deveria adotar daqui em diante um modo mais enérgico, mostrar sua força de governante e não dar essa ideia péssima de que está refém desses deputados como se lê nos jornais de hoje que vai cancelar os pagamentos da parada gay caso os organizadores não peçam desculpas em público. Pedir desculpas por que? Por ter sido um sucesso de público? eles não podem ser responsabilizados pelos excessos cometidos, do mesmo modo como o prefeito não pode ser responsabilizados pelos que se excedem com a bebedeira e fazem coisas deploráveis nos dias de carnaval. Está na hora do Governador cortar as asinhas desses deputados, provar que não precisa deles para nada, começar a tirar as concessões que tem feito até hoje, está nas mãos do Tião Vianna a salvação da república de Galvez!

Kevin Crystopher disse...

Tantas coisas mais absurdas de o poder político para se preocupar e caem em cima de uma coisa tão boba que aconteceu na parada LGBT do Acre.
E o carnaval fica aonde?

PTERIDÓFITAS DO ACRE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
aurelio disse...

Político falando de moralismo chega ser um escárnio. Teatrinho rídiculo nosso parlamentares estão fazendo.

Ismael Maia disse...

Tenho um pensamento que muito se aproxima da teologia da libertação, marginalizada no seio católico. Acho uma tremenda hipocrisia a defesa inveterada dos deputados estaduais dos principios que afirmam ser cristãos. Se de fato isso fosse uma guerra de princpipios porque permitem o carnaval? Nada mais licencioso e amoral para um "verdadeiro cristão". Se a ideia é pregar contra o ato de ingerir bebida alcoólica por que não lutam contra a cervejarias? Se querem de fato combater o adultério, a fornicação, a prostituição em geral, por que não direcionam suas armas contra os empresários donos de motéis, empreendedores que ganham as suas vidas em cima dos chifres alheios. São todos exemplos esdrúxulos, mas que serve para ilustrar que se a luta destes apologetas da moral cristã é o combate contra o pecado então que combatam direito... Como já dizia um escritor "não combatestes ainda até ao sangue lutando contra o pecado". O pecado está manifesto não apenas na felação infeliz clicada por uma camera fotográgica, está nos favores que ocorrem entre deputados e governo. Está na aliança obscura em troca de favorecimento para as próximas campanhas eleitorais. Está no patrocínio governamental que planeja o aumento de seu curral eleitoral. Está na indicação de apadrinhados para cargos públicos em detrimento de pessoas capacitadas, injustiçadas que até agora não tomaram posse nos cargos para os quais foram aprovados. Quando eu ver o sangue de deputados cristãos combatendo o "combate contra o pecado" nestes termos contra a real e verdaeira injustiça que se estrutura em comportamento e instituições, aí sim faz algum sentido uma luta como essa. A luta real não está nos palanques das insituições democráticas, está no becos e valados que nunca serão visitados por nenhum destes deputados, tenho certeza não para combater o pecado e sempre a favor dos pobres...

Wesley de Oliveira disse...

Muito bom!!

Marcos Paulo disse...

Muito bom o comentário do Lucas Calvin.

Nilton disse...

Estas definições estão na mente de várias pessoas que não conheço e não quer dizer que seja o meu pensamento.

homossexual = mulher de respeito, homem fiel, responsável;

gay = mulher atoa, puta, depravada, homem infiel, irresponsável, sem pudor.

parada gay = tirem suas conclusões.

Nilton disse...

Estas definições estão na mente de várias pessoas que não conheço e não quer dizer que seja o meu pensamento.

homossexual = mulher de respeito, homem fiel, responsável;

gay = mulher atoa, puta, depravada, homem infiel, irresponsável, sem pudor.

parada gay = tirem suas conclusões.

Janu Schwab disse...

Seria cômico, se não fosse trágico. Agora o Governo vai cortar verbas do movimento LGBT (e de "todos os movimentos que que atente contra a dignidade humana").

Imagina, daqui a pouco vão ficar fotógrafos de plantão nas festas de carnaval, para "flagrar" os mais afoitos e saidinhos, que se pegam aos beijos e dedadas pelos cantos da folia.

Daí para proibir beijos calorosos em praça pública é um pulinho.

repórter24horas disse...

Palmas para o autor do texto. Um colega de academia que conquistou meu respeito. Parabéns por propor esse debate!

ALTINO MACHADO disse...

Francisco Costa, na verdade ele não está propondo, mas entrando no debate.

@MarcelFla disse...

Maravilhoso.

Chapa 3 disse...

Não estou aqui fazendo apologia à foto que foi publicada. Me refiro ao fanatismo e ao fundamentalismo de alguns, que não respeitam as leis e querem passar por cima da laicidade do Estado.

eliomar m. disse...

Eu não sei o motivo de tanta reclamação por parte destes deputados que se denominam de evangélicos, pois vergonha mesmo são os modos que eles usam para serem eleitos em currais eleitorais dentro das igrejas. E à custa das enganações por parte dos pastores que se acham acima de DEUS. E hora senhores deputados supostos evangélicos, será que vocês são dignos de serem observados por DEUS. Dúvido muito.

André Maia disse...

Parabéns pelo texto!

Olhar Humorado disse...

Cada um enxerga o que quer, eu, particularmente não vi nada de escandaloso no ato do cabeleireiro. Ele simplesmente ensinou para os mais jovens como fazer sexo oral com segurança. Esses papos de que sexo é escandaloso é pura balela, sexo é bom, divino e todo mundo gosta. BASTA de hipocrisia. Esses deputados devem procurar o que fazer...

wsilva disse...

Jaidesson, NINGUEM PODE SER FELIZ VIVENDO PRESO POR TANTO TEMPO.....sai logo do teu armario....hehehehehe

Vingador disse...

Bem,
Se tudo pode que tal orgia na Gameleira?

Adalberto disse...

A pessoa que escreveu esse artigo e todas as pessoas que concordaram com esse artigo, devem ser fuzidos até morre.
Vcs são tudo um bando de fundamentalistas da depravação. Vcs pensam pelo rabo,não tem cerebro.
Bando de lixo ambulantes.
Chamam essa depravação de moderno,vcs são doentes e devenriam ser tratados.

Essa merda de paraga gay é só para promover decadencia moral, putaria em publico, e é só isso que passa na cabeça de viados.
Nós cidadãos de bens e descentes quando vai entra em banheiros publicos, como por exemplo, shopping, tem que ficar deparando com essa putaria de homens que ficam se pegando em banheiros publicos. Vcs são doentes,não são normais.

alisson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CENTRO DE BELEZA SANDRA disse...

Olá jaidesson, simplismete quem são vcs. pessoas que repudia seus proprios sexo. que moral vcs tem pra falar de religião, você sabe o que significa a palavra igreja. não é um curral, porque não somos porcos, não julgue pessoas que são digna . que mesmo vcs, na repudia de seus sexo, Deus nós da a missericordia de levanta as maôs para o ceu e pedir benção por essa grande parte da população icredulas. vc não sabe o que você fala , o juizo final estar chegando e Jesus vai cumpri o que foi dito, seus madamentos vai se cumpri redime-se diante do Grande Deus vivo e terás uma vida feliz. e teras seu nome escrito no livro da vida. infeliz é aquele que não acredita no senhor jesus

alisson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felipe G. Zanon disse...

E o que mais me indigna, Jaidesson, é o fato de que NÓS OS PAGAMOS para que ajam como INQUISIDORES.

felipezanon.blogspot.com.br