quarta-feira, 7 de setembro de 2011

A VELHICE DOS MENINOS DO PT

Gina Menezes


Foi um misto de nostalgia e surpresa ao deparar dia desses com o senador Jorge Viana (PT-AC), quando pude constatar o óbvio e inegável poder do tempo sobre ele. Aos 53 anos, nem de longe é o “menino do PT”, como era tratado pelo então rival Edmundo Pinto. Pena que Pinto não viveu o suficiente para ver Viana se transformar no qüinquagenário bem sucedido, nem o poder que detém há 20 anos. Parece óbvio essa conclusão infantil, mas não é.

Ao ver os cabelos prateados do meu herói da adolescência, pude constatar que necessito de novos “heróis”. Pena que o próprio Partido dos Trabalhadores acreano não reconheça isso. Há duas décadas, vejo o partido reinventar e reutilizar suas lideranças sem dar espaço as novas. Lendo na imprensa local a notícia de que o deputado estadual Ney Amorim, 34 anos, não levará o nome a disputa pela pré-candidatura a Prefeitura de Rio Branco, entreguei os pontos de vez.

Continuaremos a ter como estrelas os senhores petistas, que caminham a passos largos para os 60 anos e repetem, sem nenhuma originalidade, o adversário Flaviano Melo, aquele que levará na biografia o feito de ter tentado com que o PMDB no Acre nascesse e morresse com ele mesmo. O PT vai pelo mesmo caminho, porque os “meninos” se recusam a acreditar que a perpetuação de poder é utopia e imortalidade é sonho aquém da nossa realidade mundana.

A notícias que mencionava Ney Amorim era assinada pela assessoria de imprensa do próprio PT. O parlamentar nem se dignou a deixar que a assessoria dele assinasse a nota. Para que? Se a ideia foi mesmo do PT nada mais justo que o partido assinasse. Amorim pode não entender de momento político, mas entende de direito autoral.

Não é certo a idéia contraditória de tentar a perpetuação no poder pelas mãos de meia dúzia de pessoas. Incrível coincidência: quando Jorge Viana foi eleito prefeito de Rio Branco, em 1990, contava 31 anos de idade. Praticamente a mesma idade de Amorim, sendo que Viana jamais havia desempenhado mandato parlamentar. Ney está no segundo, como deputado estadual.

Naquela época, na distante década dos 1990, aos 13 anos, eu não faltava aos comícios. Praticamente obrigava minha irmã mais velha a me levar para ver o lindo e, juro, achava Jorge Viana alto, um homenzarrão. Ele povoava meus sonhos de adolescente como sua inteligência, juventude e beleza. Tão logo pude votar, comecei e continuei votando nele e nos seus também inteligentes amigos da Frente Popular do Acre.

Hoje, aos 31 anos, caminho pelos corredores da Assembléia Legislativa do Acre, onde trabalho, dividida entre confusão e decepção. O petista “jovem” da vez, Ney Amorim, que tem quase a mesma idade que a minha, não consegue espaço, tampouco recebeu o legado de “ menino do PT". Como assim? Minha geração endeusou os meninos que se tornaram cinquentões para que eles usurpassem os direitos dela? Na nota escrita por algum colega meu, o deputado Amorim afirma que não quer ser prefeito. Ou ele foi obrigado a concordar com isso ou ele não merece mesmo ser prefeito. A decepção é enorme. Seria a mesma coisa que eu, como jornalista, me negasse a ser correspondente internacional. Contrasenso puro.

Existe um falso absoluto no Acre de que apenas o PT pode indicar cabeça de chapa na Frente Popular do Acre. Todos os demais partidos, incluindo o sempre eterno aliado e subserviente PCdoB, não passam de coadjuvantes. Por onde ando não se leva a sério que Perpetua Almeida com sua explosão de popularidade possa ser candidata a prefeita de Rio Branco, porque cometeu o erro fatal de não ser petista ou menina do PT.

O deputado federal Henrique Afonso, 47 anos, que ajudou a fundar a Frente Popular do Acre, apesar de ser só um pouquinho mais novo que os “meninos do PT", não têm o direito sequer de cogitar a ser candidato a prefeito. Se ele o faz com a cara e a coragem, como vem fazendo, é tido como um fanfarrão, piadista. Por quê? Coisas que a vã filosofia política não explica.

Henrique Afonso está no PV, mas foi no PT que se criou politicamente e de onde foi banido por motivos que não se explicam inteiramente. A única coisa que sei é que pode até ter sido “menino” na mesma época que Jorge e Tião Viana, foram do mesmo PT, mas não foi aceito como da mesma “turma”, portanto, está desclassificado segundo os manda chuvas da Frente Popular.

O engraçado é pensar que o conselho regente da FPA é formado por petistas. Enquanto os petistas reservam espaço dentro como quem reserva água no deserto, a oposição vai se beneficiando dessa infantilidade política. Exemplo disso é o ex-deputado federal Fernando Melo, pré-candidato a prefeito de Rio Branco pelo PMDB, com apoio do senador Sérgio Petecão (PSD), outro dissidente. A propósito, se dizia que Petecão não tinha luz própria e que deveria se conformar com o eterno posto de coadjuvante. Os 199.956 votos do senador Petecão mostraram que a análise da Frente Popular, especialmente do PT, estava errada.

Alguém pode questionar o que tenho a ver com isso. Mas tenho muito, pois, a exemplo de milhares de adolescentes, sonhei com a FPA, que agora vejo correr o risco de morrer caso não haja alternância de poder dentro da própria coligação. Pelo tempo perdido com esse sonho de adolescentes, peço: criem novas lideranças e nos façam sonhar outra vez.

Não venham argumentar sobre a capacidade ultra especial de Jorge Viana, Tião Viana, Gilberto Siqueira, Francisco Carioca e os demais iluminados cinqüentões que dominam o ambiente político da Frente Popular. Não duvido da capacidade deles, mas peço que não duvidem da capacidade dos outros. Nem uma pesquisa cientifica me foi apresentada mostrando que Ney Amorim, Perpetua Almeida ou Henrique Afonso é menos capacitado. E mais: título acadêmico, mesmo que seja como professor de história pela Universidade Federal do Acre, como o de Carioca, não podem suprimir, competir ou servir de embasamento para contestar a voz popular que elegeu o não tão alfabetizado Sérgio Petecão.

Gina Menezes é jornalista

33 comentários:

Regina Cavalcanti disse...

Não sei porque me veio à cabeça a música de Belchior...

"Já faz tempo
E eu vi você na rua
Cabelo ao vento
Gente jovem reunida
Na parede da memória
Esta lembrança
É o quadro que dói mais...

Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo, tudo, tudo
Tudo o que fizemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Como os Nossos Pais...

Nossos ídolos
Ainda são os mesmos
E as aparências
As aparências
Não enganam não
Você diz que depois deles
Não apareceu mais ninguém
Você pode até dizer
Que eu estou por fora
Ou então
Que eu estou enganando...

Mas é você
Que ama o passado
E que não vê
É você
Que ama o passado
E que não vê
Que o novo sempre vem...

E hoje eu sei
Eu sei!
Que quem me deu a idéia
De uma nova consciência
E juventude
Está em casa
Guardado por Deus
Contando seus metais..."

Paulo Henrique disse...

"Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir."
George Orwell

Parabenizo o Blog pela habitual prática de publicar o contraditório (quase extinta nesta floresta) e à autora, pela audaciosa coragem de permanecer jovem.

Reinaldo disse...

Excelente análise. Isso se aplica em todas as regões onde o PT fincou seus tentáculos. Parabéns pela publicação. Saudações paraenses...

Renaldo disse...

A recuada de Ney Amorim é estratégica, este é o modus operandi desta FPA VIANISTA, recua-se agora, para em nome da chamada "unidade" prevalecer a vontade da cacicada VIANISTA e prevalecer suas vontades, isso tem sido assim desde quando JNVMN engrossou o pescoço com sua retumbante votação no 1º turno das eleições de 1990, que lhe garantiu a ida ao 2º turno contra o Edmundo Pinto, e depois se tornou prefeito em 1992 embalado nos nossos sonhos de mudar a velha politica no nosso amado ACRE, e infelizmente a montanha pariu um "PROMETEU" mitológico as aversas.Por fim essa estratégia da FPA é tão velha quanto andar pra frente.

Joema disse...

Oi Gina,

Admiro sua coragem, mas acredito que voce tenha sido bem inocente nesse processo todo. Eu tenho 32 anos e fui criada na politica. Acho que a partir de agora voce ira perceber as coisas como realmente sao e nao como dita sua ilusao. Isso que descreveu no texto e da natureza humana, sabe, e nao e motivo pra deixar de sonhar e de lutar pelo bem da sociedade. Lutar de olhos abertos, porem, sem ilusoes.

Grande abraco,

J.

naldo disse...

Desculpe a autora do texto, que nem a conheço, mas eis a impressão que tive:

longe de ser uma análise política, me pareceu mais um desabafo, de quem queria, e não vai ter, o Deputado Amorim como Candidato a Prefeito da capital.

Duas observações que julgo pertinente: H. Afonso não foi criado politicamente no PT (sic) e sim PCdoB;

Jorge Viana quando concorreu e ganhou a prefeitura de Rio Branco representava o novo sim, diferente do Deputado em questão, cuja forma de fazer política, nada tem de novo, e em nada se assemelha aos saudosos tais meninos do PT, se é isso que estão procurando.

Acreucho disse...

Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo, tudo, tudo
Tudo o que fizemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Como os Nossos Pais...

Esta parte da música é realidade pura. Os pais das lideranças da Frente viviam querendo perpetuar-se no poder apoiados pelo regime militar (Arena) ao qual serviam e seus filhos estão fazendo a mesma coisa... O duro é que "isto tudo acontecendo e "nós" aqui na praça dando milho aos pombos"!

Ouvidor disse...

Acho que a autora tremeu ao escrever sobre os "meninos do PT". Teve medo de por no papel o que seu coração pedia. Conheçemos todos eles de perto e sabemos que são, no máximo, experientes e de uma capacidade intelectual mediana! Levam vantagem apenas pelo fato de que chegaram ao poder num momento crítico da nossa vida política, social e econômica...e para não esquecer do ambiental, souberam aproveitar conceitos que eram e permanecem modernos. Esse momento crítico, na minha humilde opinião, regressou e tomou conta da nossa sociedade. Porém, agora, com uma outra cor...a cor do medo e da perseguição aos que se posicionam contrário aos ditos dos tais "meninos do PT". Mas, certo teórico escreveu uma vez que: não podemos perder a capacidade de nos indignarmos". Isso nunca o fiz! Isso nunca faremos,pois somos bravos e aguerridos ACREAN@S.
Avante, 2012 e 2014...MUDANÇA PELA MUDANÇA!

Altemar disse...

Brrrrrrr!

joao disse...

A questão não está na idade dos candidatos (tampouco na "beleza"), mas nos projetos políticos-ideológicos que os mesmos representam. O problema é que o eleitorado acreano, em grande parte, vai (ou foi, espero)na onda da aparência, digamos, estética esquecendo de ver o conteúdo. Os pleitos eleitorais não podem ser entendidos como concursos de miss e mister ou, no caso do artigo, quem vai ou não entrar no "lar dos vicentinos", pensar assim só faz o jogo deles, dos vianas e quem eles representam, posto que não passar por perto do que realmente está em jogo: os intertesses econômicos do capitalismo global (e isto não é um conto de fadas!).

Janu disse...

Guardei até certo tempo atrás uma ousada camiseta petista da campanha de 90. Para a época, era de encher os olhos de quem não curtia aquelas estampas caretas com foto de candidato fazendo o V da vitória ou beijando criancinha. Era um 13 enorme, estampado em fundo verde-limão e rosa choque. Dizem que foi desenhada pelo Binho Marques.

Assim como a estampa diferente, Jorge Viana e os "meninos do PT" representavam o "novo". Eram um respiro no "pega-pra-capar" da conjuntura e contexto político-social da época. O respiro veio, trouxe ar novo, mudou o que tinha pra mudar, capacitou uns, encheu o bolso de outros e, como é de praxe, acomodou-se como novidade e como novidade quer se manter.

Novidade não se acomoda. Portanto, o colega Naldo tem razãona sua afirmação quanto "aquele tempo". Os que poderiam ser os novos meninos do PT ( ou da FPA, como queiram) não fazem nada de novo. São "velhos" antes do tempo.

Velhos no sentido do pensar dentro da caixa da zona de conforto na qual estão e pretendem ficar, disfarçando seus anseios de brilho, num discurso de "unidade" que, convenhamos, é mais bonito que as puxadas de tapete em público que muitos partidos fazem. É bonito, mas para ser franco, não é honesto.

Gina Menezes tem razão em se decepcionar. Seja lá por conta de um Ney Amorim que não será, ou pelo brilho de um passado ideal que não volta, ou porque seus ídolos já acizentados, não provocam mais o torpor da novidade, da mudança e do respiro no que aí está.

JV e os demais medalhões da FPA cumpriram o seu papel. Talvez resistam a ideia, talvez não vislumbremos de onde virão os "novos meninos", mas um ciclo natural vem se fechando. A observação de Gina Menezes é a prova disso.

Tem uma meninada chegando ao grosso do eleitorado que cresceu com o tal "orgulho acreano" restaurado pelas mudanças. Para essa meninada, evocar o "passado sombrio" da era Pré-FPA, pode até servir de ilustração, mas não surte o mesmo efeito de antes.

Da mesma forma que apontar os caciques de hoje (ou mesmo os seus apadrinhados quadrados) como os "colírios revolucionários" de ontem, de hoje e do amanhã não cola. A meninada acompanha solícita, mas vira para o colega do lado e diz (evocando, as vezes sem saber, uma Xuxa na aurora de sua carreira, olha a ironia!) "Aham, Cláudia, senta lá!". Ainda que uns sejam mais carismáticos que outros, aos olhos da juventude, os políticos que aí estão, são só isso, políticos.

Tem muita gente que não é de oposição, nem de situação que quer um respiro, um sopro de ar na conjuntura política que, hora ou outra, lembra o antigo "pega-pra-capar". E, uma hora ou outra, com ou sem camisetas ousadas, vai conseguir. E o melhor, sem o ranço utópico e ideológico de antes, que essa meninada é pragmática - ou seja: é mais difícil de ludibriar.

Altemar disse...

Janu Janu, imagina se bebes tu!
"meus heróis morreram de overdose..."
Pra viver!

Enzo Mercurio disse...

Que tal ler o livro " A revolução dos bichos" quem sabe possa entender melhor essa do " menino não querer sair ".
La no inicio da Rua seis de agosto também nasceu um menino .Quem sabe ele aproveite a oportunidade que se abre a sua frente.

jean jacks disse...

Tó contigo mulher esses caras,só querem ver o lado delesssss!!!!!!!!!!

Julio Cesar disse...

Altino, bom dia.

Os dois meninos do PT, que antigamente eram os meninos da extinta ARENA envelheceram e ficaram todos muitos ricos, parabéns vocês conseguiram destruir sonhos de muitos jovens.

sergio souto disse...

Parabens Gina pelo belo texto!
Compartilho com o teu sentimento, e daqui do outro lado,onde me exilo, te mando um abraço!

Andarilho disse...

Bom dia Altino.
Parabéns, a reporter, pelo texto. Nos fez lembrar de muitas coisas. Dentre elas que a 'frente' nunca iria chegar ao ponto que estar hoje. Fazendo os mesmo desmandos de outrora, quando pregavam mudança e justiça. 'Lavava-se' até a escadaria do 'tribunal' para isso.
A na lista de pré-candidatos não estar o seu 'preferido', não se 'apoquente', não iria mudar muito. Explico. Pelo texto, crescertes indo nos comícios assistindo os espetáculos de baixo, na platéia. Ele, 'preferido', cresceu nos bastidores do espetaculo, acompanhando seu 'paterno' vereador. Aprendeu como se faz espetaculo. Como um pouco das migalhas jogadas.
Não pela idade ou juventude, a inteligencia dos 'medalhões' só melhorou, aprimorou com o tempo.
Sabe que não iriam 'entregar', como num jogo de xadrez, uma dama para um ou tres peões, se fartarem de poder em sua posição.
Se for pela beleza e juventude, muitos da 'frente', nunca iriam sonhar em ser candidatos. Sem ofender.
Mas, o buraco é mais em baixo e crescendo cada vez mais.

Ser ou Não Ser... disse...

Sabe Gina, vivenciei também esse período, tenho apenas nove anos a mais que você, e ainda tenho em minha memória o Jorge sendo carregado literalmente nos braços do povo, contornando a esquina da alegria, no pleito que o levou a governar esse Estado pela primeira vez. O achava lindo também, mais era uma beleza que ia além do aspecto físico, era uma lindeza de tudo, de ideias, de esperança, de alma. Hoje vejo que fui muito ingênua (perdoável até certo ponto, pois não me considero letrada em política e especialmente em seus meandros),apesar de continuar achando que o Jorge se tornou um cinquentão bem afeiçoado, todo o resto de lindeza foi diluída por esses longos anos que o PT governa o Acre. Já que novos "meninos" estão "proibidos" de chegarem ao poder, façamos nós, com nosso voto, a mudança necessária, por amor a nós mesmos.

Carlos disse...

Faço minhas as suas palavras, sou da sua idade....não faltava a um comício...sonhava com a mudança!

Parabéns pelo texto!

Estou Sabendo disse...

O JOVEM JV FICOU VELHO, E COMO OS DITADORES, QUER SE PERPETUAR NO PODER COM SUA "DITADURA DA FELICIDADE". HOJE, QUALQUER NOVA LIDERANÇA QUE SURGE, É LOGO PODADA, OU ESMAGADA PELOS IRMÃOS VIANAS! A MUDANÇA SE FAZ URGENTEMENTE NECESSÁRIA, NO ACRE E NO BRASIL!!!!

Marcel Marques disse...

Só acho estranho pensar que novas se 'lideranças' se criam assim. Novas lideranças na minha opinião aparecem justamente como apareceram os meninos do PT, combatendo veementemente os desmandos de um governo, atendendo as vontades do povo, e nisso, nem posição ou oposição conseguem realizar.

Marcel Marques disse...

Aprimorando o comentário anterior, sei que essa formula foi destacada no texto e falo especificamente da parte "peço: criem novas lideranças e nos façam sonhar outra vez."

abs

мαરια נσร૯ - D૯υร ૯ ƒι૯ℓ disse...

Amiga, cada dia que passa sinto mais orgulho de ser sua amiga. Seu artigo é o desabafo de centenas de acreanos.

Josafá Batista disse...

Isso, peçam novos líderes. Novos pastores. Talvez a próxima grama seja mais verde, talvez tenha açúcar. Ou farinha de Cruzeiro do Sul. Talvez os próximos líderes não envelheçam, talvez não se deslumbrem com o poder que se baseia em todo um modo de produção de necessidades.
.
Acham mesmo que isso começou com o JV? Qua, qua, qua! São processos históricos que remontam à origem do Acre (na verdade, que são anteriores ao Acre, estão ligados à vida em sociedades de classes)! Esses processos são cíclicos, criam as necessidades, depois criam os líderes, e mais tarde os depõem para substitui-los por outros. É mudar para continuar tudo como está! Aqui sempre foi assim, desde o Movimento Autonomista, desde a Revolução dos Poetas, desde os jovens filhos de seringueiros que embrenharam-se na mata acompanhando o louco do Plácido de Castro.
.
E em todas estas épocas há gente assim, pedindo "mais, por favor. Nos façam sonhar. Nos façam ter utopias. Nos façam pensar em coisas boas porque não suportamos ter líderes dos quais não nos orgulhamos".
.
Qual é o contraponto perfeito de uma situação política como a autora critica, a não ser pessoas que pedem, que imploram, que praticamente se flagelam para pedir governo, Estado, direção, pastoreio?
.
Uma coisa só é viabilizada pela outra! Mas o grande público não percebe porque, na verdade, está tão dentro do processo, querendo se narcotizar do mundo, que nada mais vê.
.
Uma das melhores expressões de Nietzsche é "espírito de rebanho". É exatamente isso que a autora do artigo demonstra, e a maior parte dos leitores, inclusive negativamente, confirma. Patético. E revoltante pelo espírito de passividade que salta do texto. Uma passividade que, aliás, não é estranha, tem razões históricas: a tradição dos "grandes líderes" que nos dominam a alma e fazem os olhinhos das moçoilas casadoiras revirar advém simplesmente da nossa miséria política. A nossa democracia formal foi surrupiada repetidas vezes por acordaços entre golpistas e pilantras de cada época. E mesmo na democracia funciona aquele sistema, como dizem, "manda quem pode, obedece quem tem juízo". E aí?
.
Agora todos ficam nessa de "queremos heróis". Não quero p. de herói nenhum. Heróis são meus pais, como todos os pais, homens e mulheres que lutam a vida toda contra todo tipo de intempérie pra criar seus filhos nessa província de Sucupira.
.
Ou vocês, jovens do Acre, tomam vergonha e mudam esta subserviência passiva, somada a um falso espírito blasé que apareceu em algumas falas, ou vão ganhar de presente a gangorra da história que tanto reivindicam. Aliás, caso não tenham percebido, estão sentadinhos nela.

ALTINO MACHADO disse...

Comentário que ouvi sobre o artigo: "A menina apenas demonstra estar chateada porque o super herói dela tirou e rasgou a máscara e a fantasia. Esquece de fazer qualquer análise histórica ou política."

joao disse...

Ao Josafá e quem quiser: "Desde o Bolivian Sindicate até o Acre sindicate...", como diz a letra da música acreana "Acre sindicate", de Heloy e João Veras.

Altemar disse...

Ainda estou tentando uma exegese do texto,

Fátima Almeida disse...

Amei o artigo, pelo conteúdo, pelo estilo, pela sinceridade tipo coração aberto.

Acy Maria Prado disse...

Parabens Gina,
Seu artigo orgulha-me, e me dar a esperança de ainda ver jornalistas mostrando a realidade,onde nossos filhos possam ter a visão real de nossa sociedade, que ela pode e deve ser; uma sociedade de justiça, onde ninguém possa viver prejudicando seus semelhantes; uma sociedade de abundância, onde o vício e a pobreza não possam medrar; uma sociedade de fraternidade, onde todo o êxito se alicerce no ideal de servir, e onde honras sejam prestadas à verdadeira nobreza de ânimo e coração; uma sociedade de paz, na qual a ordem não se funda na garantia de força, mas na do amor de todos pela sua pátria, a grande mãe da vida coletiva e de todos os seus lares.”


Povo do Acre, eleitores do Acre, nesse período político em que estamos vivenciando, " O egoísmo está sendo um fator determinante no uso da inteligência e da força bruta para a permanência dos Meninos do PT.Estamos anestesiados!

Gabi Ramos disse...

Querida Gina, parabéns pelo teu texto. Precisamos de mais jornalistaS que expressem seus verdadeiros sentimentos sobre o PT. Fico entristecida em ver como se comporta a grande maioria de nossa imprensa acreana. Fiquei indignada ao saber que a verba que o governo repassa para a imprensa é maior que a verba para a secretaria de educação; ou seja; se investe mais em marketing do que em educação. Não estou tirando o meríto de Binho, pois em minha visão ele melhorou muito, até no quesito estruturas físicas de nossas escolas públicas, mas mesmo melhorando seus filhos não estudam nelas. Diz ele que é pra deixar as vagas para aquelas crianças que não tem condições de pagar uma escola particular, e acredite quem quiser nessa desculpa esfarrapada. Mas voltando ao texto, quero mais uma vez te parabenizar, pois quando leio algum artigo de algum jornalista do Acre expressando seus sentimentos e pensamentos contra essa politica enganosa do Estado fico sem acreditar, porque a 20 anos não vejo a imprensa acreana, além do Altino é claro, divulgar o que realmente pensa dos meninos do PT.
Um abtaço

vilmar disse...

Parabéns ao Josafá pela colocação de uma sintese que, com certesa, é resultado de uma profunda análise sociológica que, infelizmente poucos chegam e rarissimos entendem...

disse tudo!

vilmar disse...

Retificando:
Parabéns ao Josafá pela colocação de uma sintese que, com certeZa, é resultado de uma profunda análise sociológica que, infelizmente poucos chegam e rarissimos entendem...

disse tudo!

Mario Marcelo disse...

A alternancia de poder é saudavel para a democracia... Qualquer um que ignora isso , tambem ignora a voz das ruas e fadado está a ruina . Eterno só Muh ha (do dezenho He mam)