segunda-feira, 15 de agosto de 2011

FORÇA NACIONAL NA ÁREA DOS ÍNDIOS ISOLADOS

Homens da Força Nacional de Segurança (FNS) já estão na base da Frente de Proteção Etnoambiental, mantida pela Funai (Fundação Nacional do Índio), no igarapé Xinane, na fronteira Brasil-Peru, habitada por quatro etnias que vivem em isolamento.

A FNS substitui os seis homens do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Acre, que foram enviados para a área após a base da Funai ter sido atacada por grupos paramilitares peruanos. Sem data definida, a FNS será substituída pelo Exército.

- Agora, no auge do verão amazônico, quando os isolados estão espalhados pelas beiras dos igarapés, comendo peixes, vamos começar a dar uma olhada nas cabeceiras dos igarapés pra ver se os peruanos estão escondidos por lá, esperando a poeira baixar - relatou o sertanista José Carlos dos Reis Mereilles.

O sertanista disse que “é hora de a Funai ter uma relação estreita e forte com as embaixadas dos países vizinhos, se quisermos um futuro mais longo aos nosso parentes brabos.”

- Ou repensamos tudo isso ou os dias dos parentes estarão contados. Tudo gira em torno das fronteiras de países vizinhos, que pensam só em desenvolvimento, estradas, petróleo e tudo mais. É preciso deixar espaço e tempo para os povos indígenas dessas fronteiras, isolados ou não. Ou todos estarão a serviço das madereiras, petroleiras e traficantes num futuro bem próximo - alerta Meirelles.

“Angústia extrema”

Baseada em Londres, a organização Survival International elogiou nesta segunda-feira (15) a decisão do governo brasileiro de enviar agentes da FNS para ajudar a proteger  os índios isolados que teriam desaparecido após o ataque dos peruanos à base da Funai no Xinane.

- A Funai fez um sobrevoo na área para procurar sinais dos índios isolados e viu que a aldeia e as plantações estavam em boa condição. Mas os temores permanecem elevados, já que ainda não há visualização confirmada dos índios - alerta a Survival International.

A organização tem enviado apelos ao presidente do Peru para evitar novas invasões ao território dos índios isolados e para que sejam adotadas medidas para proteger as tribos. O diretor da Survival, Stephen Corry, classificou o desaparecimento deles como uma “angústia extrema”.

- Parece que medidas estão sendo tomadas pelo Brasil para melhorar a segurança na área, e esperamos que essa parte da Amazônia seja protegida e não se torne um abrigo para os traficantes de drogas. Mas o Peru deve fazer a sua parte também - afirmou Corry.

4 comentários:

Enzo Mercurio disse...

Altino quando eu era pequeno eu vi algumas " VISAGENS " la na beira do rio Judia na seis de agosto.
Voçe tem alguma pesquisa sobre isso ?

Silvio Margarido disse...

nera eu não....

Marcel Marques disse...

A FNS assegurou a base da Frente de Proteção Etnoambiental, até ai tudo bem, e as nossas fronteiras? E a nossa soberania? Fomos invadidos por milicias armadas e não há uma resposta do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas? Triste.

Se bem que com o Dilmão na presidência eu já esperava por situações do tipo, um sucateamento ainda maior das forças armadas.

Allan Kenned - Motion Designer (68) 8401 3426 disse...

Altino, então deve ser por esse esforço todo na floresta que estamos sem segurança na capital acreana, por hoje(19/08/2011) por volta de 12h(meio dia) estava eu indo eum direção ao meu carro ao lado da Tecidos Cuiabá, e um engraxate( MENOR DE IDADE ) estava com uma faca tipo peixeira (aproximadamente 25cm )tentanto esfaquear um outro indivíduo que trabalhava como flanelinha na mesma localidade, então como a Polícia sempre faz hondas e multas a menos de 200 metros dalí, corri procurando um mísero policial para socorro da vítima e segurança dos populares que alíestavam, caminhei até a esquina do colégio meta (o calçadão inteiro) e nada, voltei e ainda a mesma cena, caminhei novamente até o Palácio Rio Branco, pra ver se encontrava algum daqueles quardas(policiais) que ficam diretamente no palácio, e nada, aflito (após caminhar cerca de 20 minutos procurando um policial ou viatura, qualquer coisa que me oferecesse segurança ) liguei para o CIOSPE e só dava musiquinha, então desisti, e voltei até meu carro e pensei, " É, já que a segurança é de primeiro mundo e prioridade aqui no acre e de grande tecnologia também, eles devem estar camuflados ou invisíveis, ou até mesmo monitorando tudo com as Supercâmeras de vigilância do Ciospe" então entrei em meu carro e fui pra minha casa, me sentindo super seguro por não entontrar nenhum policial num raio de quase 500 metros, próximo aso bancos e tudo que os bandidos tem como atrativo naquela região do centro da cidade.