terça-feira, 12 de abril de 2011

RIO BRANCO EM SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA


O prefeito de Rio Branco (AC), Raimundo Angelim (PT), decretou, nesta terça-feira (12), situação de emergência em 22 áreas das zonas urbana e rural do município.

O nível do Rio Acre atingiu a marca de 15,53 m nesta tarde, o que supera a cota de transbordamento em mais de 1,50 m na área urbana e afeta consideráveis áreas rurais.

Mais de 250 famílias já foram removidas de suas casas e levadas para o parque onde anualmente é realizada a Feira Agropecuária do Estado do Acre.

Raimundo Angelim pediu paciência aos moradores e transferiu seu gabinete para o local onde estão mais de mil desabrigados.

A enchente já atingiu mais de três mil imóveis na cidade. Segundo a prefeitura, 60% dos desabrigados são menores de 18 anos e a maioria das famílias é liderada por mulheres.

O decreto autoriza a  convocação de voluntários para reforçar as ações de resposta à  situação emergencial e a realização de campanhas de arrecadação de recursos, junto à comunidade, com o objetivo de facilitar as ações de assistência à população afetada pela enchente.

O prazo de vigência do decreto é de 30 dias, mas poderá ser prorrogado até 180 dias. Foram registradas nos primeiros 11 dias de abril chuvas abundantes em toda a Bacia do Alto Acre, Riozinho do Rola e na região de fronteira com o Peru, nascente do Rio Acre. A cota de alerta (13,50 m) e de transbordamento (14 m) foi atingida no dia 2 de abril.

Agentes da Defesa Civil estão autorizados a adentrar nas casas, a qualquer hora do dia ou da noite, mesmo sem o consentimento do morador, para prestar socorro ou para determinar a imediata evacuação das mesmas.

2 comentários:

Brunoo disse...

Complicado essa situação, esse final de semana fui a brasileia... outro lugar que bastante complicado a vida la .

Alana disse...

É diante desse quadro que podemos observar o quanto nós interferimos na dinâmica das águas dos nossos rios, e quanto devemos trabalhar para amenizar essa situação.
O excesso de água hoje visto em nossa capital e municípios, será daqui a alguns meses, seca e dificuldade de abastecimento.
A preocupação com essa manutenção do Rio Acre já foi percebida pelos professores e acadêmicos do curso de Engenharia Florestal da UFAC, através do projeto Ciliar Só Rio Acre (http://ciliarsorioacre.blogspot.com/) já comentado neste blog por voce em outro momento. Resta saber se nossos representantes do governo também estão sensíveis a essa realidade, e torcermos para que nos próximos anos essa triste realidade não se repita.

Alana Chocorosqui Fernandes
Acadêmica do 9 período de Eng. Florestal da UFAC e bolsista do projeto Ciliar Só Rio Acre.