terça-feira, 19 de abril de 2011

APERTO NO CURRAL

O Ministério Público Federal no Acre oficiou as redes varejistas e de supermercados do País para que informem se compram carne bovina de algum dos 14 frigoríficos acionados na Justiça Federal na semana passada (leia) por causa do comércio de carne oriunda de áreas embargadas por desmatamento ilegal ou com processo por prática de trabalho semelhante ao escravo.

O objetivo da investigação, conduzida pelo procurador da República Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, é seguir a cadeia de comércio da carne ilegal até o consumidor final. Os supermercados deverão informar também, caso sejam abastecidos pelos frigoríficos já acionados na Justiça Federal, qual a média mensal, em quilos de carne, que recebem de cada um dos frigoríficos.

No ofício as empresas são alertadas que comercializar carne oriunda de área embargada por órgão ambiental sujeita o comprador ou vendedor à multa prevista no art. 54 do Decreto 6.514/2008, no valor de R$ 500 por quilo de produto comercializado indevidamente.

No Acre foram oficiados, por exemplo, os supermercados Araújo, Gonçalves, Casa dos Cereais, Pague Pouco, Varejão Popular, além das redes de outros estados que são potenciais compradoras da região, como Walmart, Carrefour e Pão de Açúcar.

Um comentário:

José de Freitas disse...

sou leitor assíduo parabéns ao ACRE por ter um jornalista sério, dinâmico levando a informação aos milhares de leitores de todo o mundo,moro em Feijó, mais acompanho seu Blog a muito tempo.Me orgulho de ser acriano.