terça-feira, 29 de março de 2011

LUCI MARIA TESTON

Professora da Ufac, chefe de gabinete no governo estadual e acadêmica de direito

A contratação da professora catarinense Luci Maria Teston pela Universidade Federal do Acre (Ufac), ocorrida na véspera do vencimento do concurso para o qual fora aprovada, é mais uma evidência de que alguém pode gozar de uma vida repleta de facilidades quando conta com a salvaguarda de grupos políticos que controlam o Estado.

Luci Maria Teston é casada com Valdemiro Francalino, ex-secretário nacional de apoio rural e cooperação do Ministério da Agricultura. Ambos são petistas e contam com as bênçãos do suplente de senador Nilson Mourão (PT) e do deputado Sibá Machado (PT), além do professor José Rego, secretário estadual de Articulação Institucional.

O concurso foi homologado em 24 de dezembro de 2008 e a contratação de Luci Teston efetivada em 23 dezembro de 2010, portanto no último dia para o prazo final de validade do mesmo, segundo um professor, "sob as trevas das indicações de um grupo político que rege o Estado há alguns anos".

A vaga não foi solicitada pelo Centro de Filosofia e Ciências Humanas, mas partiu de uma ordem direta do vice-reitor Pascoal Muniz, que não respeitou critério algum, como costuma acontecer nas contratações legais realizadas por concursos públicos em instituições federais.

Luci Teston foi contratada como professora de Redação Jornalística, sendo que já existem outros dois profissionais concursados atuando, além de outros quatro aptos para a disciplina.

A professora se apresentou em janeiro, mas não está dando aula de Redação Jornalística porque, obviamente, não existe necessidade dela na área para a qual foi contratada.

Em março, Luci Teston foi nomeada pelo governador Tião Viana (PT) para exercer cargo comissionado, referência CEC-5, na Secretaria de Estado de Articulação Institucional. Na quinta-feira (23), foi designada para ocupar a função de chefe de gabinete do secretário José Rego.

Em qual horário Luci Teston desempenhará suas atividades acadêmicas, já que ocupa um cargo comissionado de 40 horas? Além de professora da Ufac e chefe de gabinete de secretaria estadual, é acadêmica de direito no período noturno na mesma Ufac.

Consultado pelo blog, o vice-reitor Pascoal Muniz revelou que Luci Teston foi contratada para lecionar Redação Jornalística, mas está dando aula de Antropologia Filosófica no curso de medicina. Segundo professores, é uma área que ela não domina e para a qual não fez concurso.

- Ela entrou por mérito - rebate Muniz.

Na verdade Luci Teston foi deslocada para ficar sob a proteção do vice-reitor, no Centro de Ciências da Saúde e do Desporto, porque  no Centro de Filosofia e Ciências Humanas, para o qual ela foi nomeada, teria que conviver com os olhares críticos dos colegas e dos alunos que sabem dos meandros da contratação.

É no Centro de Ciências da Saúde e do Desporto que fica o curso de medicina. Trata-se do centro onde atua Pascoal Muniz, que pretende vir a ser o próximo reitor da universidade.


Diante disso, professores da Ufac insistem que houve apenas um arranjo político para beneficiar Luci Teston e vão denunciar o caso ao Ministério Público Federal. Segundo os professores, a decisão da Ufac prejudicou professores que pleiteavam dedicação exclusiva, além de alunos, que permanecerão sem aula, uma vez que a contratação de Luci não supre as áreas realmente necessitadas de professores.

Muniz considera "pleito justo" dos professores que entraram com 20 horas e querem passar para dedicação exclusiva. Ele disse que Luci Teston está apta para uma jornada intensa de professora, ocupante de cargo de confiança e acadêmica de direito.

- O que ela não pode é argumentar que não vai dar aula porque é acadêmica de direito, mas asseguro que todos os critérios legais foram garantidos.

Professores lamentam que a Ufac, em pleno século 21, seja regida por conchavos políticos e não pelo debate e construção mútua.

- A Ufac deveria ser o exemplo de democracia, não de autoridade. Com essa conduta, a Ufac só tem um destino perante a sociedade: a decadência. O que a universidade precisa é de colaboração, construção coletiva e pesquisa, não de reis e rainhas - afirma um professor.


O blog vem sendo procurado por servidores, professores e alunos da Ufac desde janeiro para que o caso se torne de conhecimento público.

22 comentários:

hannibal disse...

Sem contar que o Valdemiro Francalino se acha no direito de intimidar instituições públicas federais e seus servidores. Quer obrigar as instituições organizadas a oferecerem apoio incondicional à desorganizada e vergonhosa FETACRE, que se encontra com débito de 1,5mi na dívida ativa da União. Ao adentrar em qualquer reunião faz sempre questão de proferir a frase "fui procurado pelo Sibá e ele me pediu que viesse aqui conversar sobre isso" em tom jocoso e de intimidação.

renaldo.chagas disse...

Já viu as últimas nomeações do DIÁRIO OFICIAL, lá está a senhora MARIA JOSÉ DANTAS MUNIZ, com um CC5 na maquina estadual, eis a resposta para essa indagação? AOS AMIGOS DO REI TUDO, AOS INIMIGOS A LEI!

Supimpa Azul disse...

Essa moça é onipresente... rs

Ana Paula Cameli disse...

Altino,

sou ex aluna da UFAC...estou saindo de lá com a sensação de que não temos mais confiança em órgãos federais. Por que quem manda é quem tá no poder. Primeiro que quem tem 40h de serviços semanais para prestar la na UFAC é dedicação exclusiva, nÃo pode ter outros vínculos. Agora contrata uma pessoa sem necessidade enquanto nas coordenação dos cursos não existem secretários (um pequeno exemplo)...pegam bolsistas de ensino médio que querendo ou não não tem compromisso com o órgão publico e o serviço não anda. Tá aí pra onde está indo dinheiro que deveria estar sendo empregado onde é necessário. Você pode perguntar a qualquer aluno ou ex aluno como que é a fama dos serviços da UFAC. Tudo que você vai procurar resolver algo, ninguém sabe e ninguém viu. Meu curso era integral, a coordenação por falta de funcionário estava funcionando 1 período. Enquanto tem gente ganhando sem trabalhar...
Palhaçada!

Andarilho disse...

Essa UFAC, depois que o cumpanheiros assumiram, virou mais um lugar para cabide de emprego.
Essa senhora tem que ser catalogada, estudada e enviado o caso para ser estudado a nível internacional. Caso os responsaveis em apurar essa monstruosidade administrativa não tenha capacidade de dar uma resposta a sociedade. Pq catalogar?
Meus amigos uma mulher onipresente como essa tem ser estudada internacionalmente.
Podemos estar diante de um ser inimaginário.

BárbaraCameli disse...

Cheguei a conclusão de q não conhecemos as pessoas mesmo... ela aparentava ser tão séria em tudo que fazia, pelo menos nos quesitos de CONSU. O SEU PASCOAL REITOR? começar desde hoje a campanha contra!

Vingador disse...

Bem,
Quando ainda estudava na UFAC a prefessora Olinda já queria ser reitora. Agora me pergunto, por quê ela insistiu tanto pra chegar ao cargo de reitora?
Só pra fazer cagadas?

Antonio do Carmo disse...

Parafraseando nossos amigos gaúchos: "BARBARIDADE TCHÊ! Meu nobre amigo ALTINO, se continuar deste jeito, vai ser preciso reconvocar o eterno Plácido de Castro para oiberTAR o ACRE de NOvo!!!

Mari@d@acre disse...

Sabendo-se do histórico da olinda à elegeram, principalmente funcionários que agora terão que devolver dinheiro, segundo o TCU. Afinal, quem, consicentemente votaria numa presidente de DCE biônica, posta pela ditadura, sem histórico de comando administrativo, e que entrou na justiça contra eleições? Só os petralhas apoiando, com, o acordo de eleger na próxima PASCOAL... A maioria "pensante" tem o governante que merece....

Ana Paula Cameli disse...

"petralhas" adorei

traquinos disse...

È TRISTE MAS ISSO EXISTE EM NOSSO ESTADO,QUANDO VOCÊ ESTÁ DO LADO "DELES", VOCE TEM PRIVILÉGIOS ULTRAMEGAPOLÍTICO,QUANDO VOCE NAO ESTÁ, FICA A MERCÊ DAS "MANOBRAS OCULTAS COM TOQUES E RETOQUES DA ANTIGA DITADURA,(SILêNCIO!).

naruto disse...

Trite... nojeto... a UFAC sempre esteve envolvida em escandâlos, esse senhor, pascoal muniz, essa reitora, é um caso após o outro, a universidade se arrasta pelos anos servindo de hospedeiro para esses parasitas, caia fora bando de despreparados.

Hercules

Felipe disse...

NO curso de medicina na ufac, quem da aula sao os monitores dos professores, pq os medicos professores estao tds em hospitais e clinicas, dar aula para eles é apenas um bico e status.FAlei !!!!!!

Acy disse...

Santo da Casa não obra milagres... Vaguinhas como essa só tem vez os Doutos de fora... Os daquí tem que ser é operários...

GERA disse...

Ao realizarmos um concurso temos uma relação dos aprovados, que de acordo com a CF/88, deverão ser obedecidos a relação homolagada pela instituição promotora do concurso.
Será que a professora era a próxima a ser chamada ou pulou-se algum candidatos?

Roberto Feres disse...

Oi Altino,
Para os conflitos no campo ja ha diretrizes oficiais sobre como devem ocorrer as reintegraçoes de posse. O documento é da lavra do desembargador acreano Gercino Filho.
O grosso das recomendações cabe às reintegrações urbanas.

http://www.mda.gov.br/portal/ouvidoria/arquivos/view/links/Manual_Dir_Nac.pdf

Mari@d@acre disse...

Caro Felipe, isso acontece mesmo "professores não dão aula" ainda mais por troca por voto, na próxima eleição. Mas o que esperar do maior centro de ensino, pelo menos em quantidade dentro da UFAC? E quando alguém altera até leis para poder entrar como professor neste centro, e continua sem dar aulas? Só pra ter o estatus de professor universitário? Dá pra esperar o que? Os monitores dando aulas.....petralhas.......

José Sávio disse...

Sou daqueles que defendem o direito da crítica, mesmo quando é só crítica. Ninguém é obrigado a apresentar solução por criticar determinada situação, porém, nos comentários deste post há um tipo de generalização crítica perversa contra a Universidade Federal do Acre que não se coaduna com uma análise mais acurada. A maior parte das críticas são dirigidas contra a universidade em si (sem entar no mérito todo e parte e quem forma quem), que é um bem público, legítimo, necessário. No post são apresentados os nomes dos "responsáveis" pelas supostas diversas "irregularidades", então porque não dirigir-lhes as críticas devidas, presevando a instituição que entre erros e acertos vem tentando cumprir sua árdua missão de existir? Conheço alguns dos comentaristas que passaram por lá (há os que deveriam, inclusive, procurar uma instituição particular para ver se melhoram sua forma literal de expressão, já que fizeram um péssimo curso na UFAC), aos quais se aplicaria bem uma citação do filósofo e psicanalista Slavoj Zizek: "É como se o estuprador usasse uma camiseta com os dizeres: sexo dá prazer".

Maria disse...

A UFAC, por meio de sua reitoria, precisa vir a público esclarecer cada uma das denúncias que tem recebido, informando as providencias que adotou ou está adotando para sanar cada uma das questões levantadas, se for o caso, sob pena de ter sua história de serviço prestado ao Acre jogada na lata do lixo. Esse caso, por exemplo, parece indicar uma "troca de favores" explícita entre o reitor em exercício e dirigentes do Estado, já que Maria José Dantas, nomeada pelo Estado em seguida 'a contratação dessa professora, é esposa de Pascoal Muniz, o vice-reitor. Isso me parece muito grave e não ter resposta da UFAC só aumenta a suspeita de que algo criminoso foi praticado.

Mari@d@acre disse...

A lei que permite a políticos ministrarem aulas em Universidades Federais é de autoria do mesmo senador que mudou o horário do ACRE. Talvez por isso os monitores devam acordar mais cedo SIM para dar aulas......

ELSOUZA disse...

Por sempre acreditar que tais fatos jamais irão passar despercebidos aos olhos sempre atentos da justiça, imagino que em breve a Procuradoria-Geral da República e a Polícia Federal estarão dando uma resposta exemplar à sociedade. Podem aguardar.

Correio da Boa Notícia disse...

Prezado Altino, foi confirmado a atual rotina da Srª Luci teston? pelo que eu saiba ela só está matriculada institucionalmente na UFAC, pois é um direito que cabe a ela, pois não foi jubilada. Enquanto acadêmica do curso de Direito da UFAC posso dizer que durante o tempo que estive junto a Luci Teston no referido curso ela demonstrou ser muito inteligente e principalmente educada, demonstração clara do que ela é. Não duvido de sua competência profissional, enfim, ela foi aprovada no Curso de direito da UFAC, e por ser um dos cursos mais concorridos da Universidade, não me encontra estranheza que também possa passar em qualquer outra seleção. Por fim, acredito que quando se tem indicios que comprovem determinado fato, junta-se os elementos e se denuncia onde é cabível. Bem... acredito que esta deve ser a forma mais adequada de se procurar a adequada aplicação da Justiça e exterminar qualquer tipo de corrupção. Eu torço por meus colegas e fico feliz que ela tenha sido selecionada, porém se há algo irregular, que seja instaurada investigação, até porque não há nenhuma discrepância entre ocupar uma função pública e lecionar na UFAC, se houvesse não teríamos inúmeros professores juízes, promotores, procuradores, etc..