domingo, 27 de março de 2011

DEDÉ

Elson Martins


Faleceu na madrugada de sábado (26), em São Paulo, após um transplante de fígado, o advogado e funcionário da Fazenda Estadual do Acre, Demóstenes da Silveira Cavalcanti.

Dedé, como era mais conhecido, faria 59 anos em julho. Ele deixa viúva Maria de Nazaré Souza Cavalcanti, com quem gerou um casal de filhos: Sid Henrique, 31, que lhe deu o neto José Henrique, de 2; e Ana Carolina, 28, que atualmente cursa medicina em Cochabamba,na Bolívia.

Dedé nasceu no seringal Nova Olinda, em Sena Madureira. É filho do delegado de policia civil aposentado José Tristão Cavalcanti Neto com Nires da Silveira Cavalcanti. É irmão de Francisco Carlos (Carlitinho), ex-reitor da Universidade Federal do Acre, Margarida, José Tristão (Tantão) e Márcio.

Alegre e extrovertido, Dedé mantinha uma legião de amigos, sobretudo no esporte. Pertencia à comunidade de jipeiros do Acre, percorrendo trilhas arriscadas na região de fronteira com Perú e Bolívia. Há alguns anos, porém, vinha diminuindo suas atividades em decorrência de uma hepatite e câncer no fígado.

Estava esperançoso quando foi chamado a fazer transplante de fígado em São Paulo há cerca de dois meses, no Hospital Bandeirantes. Os médicos informaram aos seus familiares que a operação foi bem sucedida, entretanto, Dedé entrou em coma e nas poucas vezes que acordou reagia com muita irritação e não conseguia falar.

Nesse período de agonia, em que esteve submetido à respiração artificial, os médicos descobriram que ele tinha um enfisema pulmonar que os exames não teriam revelado antes. Na madrugada de sábado, seu sofrimento chegou ao fim.

O corpo de Demóstenes chega a Rio Branco às 14 horas deste domingo (27) e será velado na Funerária São João Batista. O enterro ocorrerá ainda na segunda-feira (28).

12 comentários:

I D A I L D O disse...

Meus sinceros votos de pesar à família enlutada. Está indo o nobre amigo Dedé, mas fica as lembranças e a saudade de alguém descontraído e fantástico.

os caetanos disse...

Grande Amigo Dedé, sempre alegre e de bem com a vida, uma grande perda para familia. meus sinceros votos de pesar.

PaulinhodeTarso disse...

Dedé, amigo de sempre, irmão, camarada, botafoguense, comandante da Mangabeira - um familiar lugar de aconchego que acolhe de coração aberto quem chega em paz.
Temos saudades, boas recordações e sentimentos felizes do seu sorriso maroto.
Nos seus cabelos brancos vimos com alegria o brio do bom avô. Passou a ser chamado de "Dedé, o vô do José".
Como diz Thiago de Melo, ele atravessou o rio.
Que seja bem acolhido meu amigo, as boas recordações trarão conforto e conformação para a Mariazinha, os filhos, o neto, os irmãos, os pais, os cunhados e cunhadas... à todos nós....
Paulo de Tarso e Fátima Nobre

ALTINO MACHADO disse...

Comentário da Perpétua Almeida:

"Lendo aqui o texto do nosso querido Elson Martins, é impossível segurar as lagrimas. Fico imaginando a legião de amigos que só saberão da morte do Dedé daqui uns dias, a medida que a notícia for se espalhando; e quantos ainda vão chorar.

É que o Dedé era daquelas pessoas, tão presentes na vida dos amigos, que vai ser difícil não lembrar dele sempre. Há 10 eleições no Acre que passo o dia todo em cima de um jipe circulando nas ruas de Rio Branco. O Dedé foi o primeiro motora do jipe e me ajudou a tomar a decisão de usar o jipe. Nas vezes em que ele não podia ir, eu não me arriscava a dizer com quem ia. Isso era uma decisão e ordem expressa do Dedé. Como era legal os dias de eleição. Ora debaixo do sol tinindo, ora debaixo da chuva. Mas eu gostava daqueles momentos, eles eram ainda mais especiais porque o Dedé o deixava assim com a alegria dele.

Vou sentir sua falta, parceiro. Subir num jipe num dia de eleição não terá mais o mesmo gostinho. Será diferente daqui pra frente.

E vocês, Mariazinha, Carol e Cid, muita força. Temos muita coisa boa do Dedé pra lembrar. Ele nos fará rir muito ainda

Um carinhoso abraço, solidário e esperançoso que o Dedé tá lá em cima se enturmando."

Antonio disse...

Dedé nos deixa muitas saudades. Vou pensar que ele e o Martins Bruzugu estão botando a conversa em dia lá no céu.
Aos familiares meus sentimentos.

Valterlucio disse...

Pouco conheci o Dedé, nossos contatos não foram muito além da cordialidade, mas sou amigo de sua família. Seu Tristão, Carlitinho, Tantão, Marcio. De onde estou, minhas orações e pesar.

QUINARI disse...

Tive o prazer de fazer uma viagem ao Peru, Chile e Bolívia com o Dedé, além de ser colega dele. Adeus Dedé! Novos caminhos surgirão onde voce está.

luiz gardel disse...

Dedé, uma figura rara, amado por todos. Vai fazer muita falta. Descanse em paz, meu amigo.

ARMANDO disse...

meu cunhadao predileto, ta no momento deixando seu sogro martins bruzugu em dias sobre a politica do nosso estado, to por ver a macacuagem da conversa, que deus te ilumine, vou guardar boas lembrancas das nossas viagem.

Lú (Simples assim) disse...

Grande Dedé, sorridente, alegre, home de familia. Vá com Deus! A família deixo o carinho e Carolzinha, força amiga! Teu pai tá com Deus!

Ednaldo disse...

Ednaldo Jr.

Esse cara vai fazer muita falta com a sua alegria que contagiava à todos. Grande figura especial. Fica com Deus, grande Dedé.

Núbia disse...

Dedé, um cunhado muito querido. O mais sensível dos Cavalcanti (como bom canceriano que era). Você deixará muita saudade, mas viverá sempre na nossa lembrança. Com certeza, todas as vezes que nos reunirmos, assim como temos feito até hoje, você fará parte de nossas lembranças, porque nunca vamos esquecer o seu jeito de chegar, de ficar e de partir. Sua história sempre fará parte da nossa história.
E aqui um trecho da música de Milton Nascimento, Encontros e Despedidas: "... Todos os dias é um vai e vem, a vida se repete na estação, tem gente que chega pra ficar, tem gente que vai pra nunca mais, tem gente que vem e quer voltar, tem gente que vai e quer ficar, tem gente que veio só olhar,
tem gente a sorrir e a chorar. E assim chegar e partir. São só dois lados da mesma viagem, o trem que chega é o mesmo trem da partida. A
hora do encontro é também despedida
A plataforma dessa estação é a vida desse meu lugar ... é a vida..."
Você veio pra ficar.
Núbia, Joana e Paulo José