quinta-feira, 31 de março de 2011

CHUVA AFETA TRÁFEGO NA BR-317


Toinho Alves é mesmo pé molhado e frio. Estávamos a caminho de Xapuri, considerada a meca virtual do ambientalismo e da alta capacidade gerencial do PT.

Fomos impedidos, às 9 horas desta manhã de quinta-feira (31), de prosseguir na BR-317, 11 quilômetros após o município de Capixaba. Apenas caminhonetes e caminhões conseguiam romper a água que encobre trecho da rodovia onde não existe rio, açude ou igarapé.

Trata-se de um velho problema que a engenharia não resolve. Em vários trechos da estrada existe perigo de aquaplanar por falta de obras de drenagem que "esqueceram" de executar.

Imaginem nas próximas semanas, quando, segundo o governo estadual, as indústrias vão começar a se instalar no Acre e passar a exportar para o país, América Andina e Ásia.

5 comentários:

Roberto Feres disse...

Há vários açudes que usam a estrada como barragem. Isso não poderia acontecer e é o motivo poque de vez em quando a estrada rompe ou inunda, como se ve na foto.

VÍTOR FARIAS disse...

Hahahahahahaha! Indústrias? Hahahaha!
Não que eu não queira, mas, no melhor lugar para se viver ainda não há espaço (ou condições) para a tal industrialização. E, se houvesse, logo afundaria nas nossas estradas.

FLÁVIO SANTOS disse...

falta só vcs dizerem que a culpa é do Tião viana, a quantos anos a estrada foi contruída e por quem???Mas não custa nada resolver o problema.

Kelvin Pinho disse...

Já dá pra fazer uma ponte aí...

É o que precisa!

Acy disse...

Afff! Ponte de novo?