sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

PETRÓLEO, GADO E FLORESTA DESAFIAM VIANA

Cristiane Agostine, do Valor Econômico

Ao iniciar o governo mais longo do PT em um Estado, o governador do Acre, Tião Viana, terá como desafio conciliar bandeiras históricas de seu partido com as propostas de seu mandato.  A possível exploração de petróleo e a criação de gado para exportação constam nas propostas de governo do petista e já despertam a atenção de ambientalistas, agricultores e povos indígenas, que temem eventuais impactos socioambientais no Estado.

A posse do governador eleito do Acre, Tião Viana (PT), deve coincidir com o início dos estudos que vão definir se existe ou não petróleo e gás no Estado.  Se a prospecção for possível, Tião diz que investirá nessa matriz energética.  "É bobagem imaginar que vamos explorar o pré-sal e que no Acre não podemos pesquisar para ver se há petróleo", diz ao Valor.  "Não vamos fazer a política do avestruz, de fingir que não vemos. Se tiver petróleo, por que não explorá-lo?", comenta.  "Mas não perderemos de vista a responsabilidade ambiental", afirma Tião.

Um dos principais problemas do Estado está ligado à questão energética.  Os apagões são constantes.  As usinas térmicas são a principal fonte de energia do Acre e o consumo de diesel é superior a 1 milhão de litros de diesel, trazido de Porto Velho (RO). A exploração do gás, diz Tião, poluiria menos do que o diesel.

Estudos preliminares indicam que o petróleo estaria concentrado no Estado no Vale do Juruá, uma região marcada pela biodiversidade e povoada por ribeirinhos e indígenas. A exploração, alertam ambientalistas, poderia colocar em risco essa população e iria contra o movimento contemporâneo de se orientar a economia para baixo carbono.

Em paralelo ao problema energético, Tião pretende reforçar a Zona de Processamento para Exportação do Acre, para impulsionar a política industrial do Estado.

Mesmo com a proposta de aumentar o crescimento da pecuária de corte e a criação de gado para a exportação, Tião Viana afirma que uma das marcas de seu governo será o manejo sustentável da floresta.  "Nossa ideia é aumentar a floresta plantada. Não vamos tirar árvore para colocar boi", diz.

Segundo o governador, o Acre tem o melhor índice de certificação do uso da madeira do país e isso credenciaria o Estado para exportação para a Europa.  Tião diz que reforçará a "economia florestal", bandeira dos governos da Frente Popular, que elegeu o petista.  Uma das principais propostas voltadas à política ambiental é a expansão do programa "Florestas Plantadas", que Tião promete levar a 100 mil hectares em quatro anos.

Os investimentos no Estado deverão continuar calcados em recursos do governo federal, em especial do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), voltados para a infraestrutura.  Cerca de 40% da receita do Acre é de repasses federais.  O governador diz que o Estado tem 60% da capacidade de empréstimo ocupada e que esse percentual poderá aumentar em seu mandato. No entanto, não diz se o Estado tomará mais empréstimos nos próximos quatro anos.

Tião propõe um grande programa de pavimentação no Estado, com a troca do asfalto por tijolos.  As ruas principais, no entanto, devem continuar com asfalto, que é levado de Minas Gerais ao Acre.  "É uma matéria prima ecológica e aquece menos", diz.

O PT vai para o quarto mandato seguido no Acre.  Tião destaca que nesse período o Estado "deu um salto" e que o PIB estadual foi de R$ 500 milhões para R$ 5 bilhões.

O grupo do petista deu maioria ao governador na Assembleia Legislativa, onde 16 dos 24 deputados são da base.  Na Câmara Federal, cinco dos oito deputados estão com o governo.  A Frente Popular elegeu para o Senado o ex-governador Jorge Viana, irmão de Tião.

A frente política, no entanto, desgastou-se nos últimos anos e o resultado foi claro nas urnas.  A disputa eleitoral no Estado foi acirrada e Tião obteve 50,51% dos votos.  Por pouco, não foi derrotado pelo candidato do PSDB, Tião Bocalom, que deve se lançar na disputa municipal de 2012.  Na disputa nacional, o candidato do PSDB, José Serra, foi vitorioso no primeiro e no segundo turno.  Tião deverá liderar o processo de rearticulação da frente.  "Precisamos estudar o que aconteceu e acompanhar bem de perto para entender", diz.

7 comentários:

Luiz disse...

Esse dado sobre a dependencia de repasses do governo federal está errado.
Oa transferencias representam mais de 70%
Luiz

Matthew Meyer disse...

Eu ia fazer a mesma observação, pois o próprio Altino já notou várias vezes números bem maiores, entre 70-80 porcento.
A reportagem erra mais, porém, em dar palco ao Tião Viana sem citar detalhadamente as preocupações de líderes indígenas, ambientalistas etc.
Notei que TV não fala nada sobre fiscalização, que tem que ser a base de qualquer política de desenvolvimento sustentável no Acre.
Olha, eu esperava mais do Valor Econômico.

Julio Cesar disse...

Feliz Ano, Altino.

Você viu quais são os principais doadores da campanha do Tião e do Jorgito que residem e tem negócios no Acre ? Isso mesmo, são os fazendeiros amigos dos dois ex-arenistas. A mascara do Jorgito já caiu, agora é esperar as maldades do Tião Medonho.

João Francisco disse...

SECRETÁRIO DE DESENVOLVIMENTO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INDÚSTRIA E COMÉRCIO



Nome completo: Edvaldo Soares de Magalhães

Altino,

Veja como o Edvaldo Magalhães é uma farsa. Copiei do sitio do Governo do Acre.

"Cidade e estado de nascimento: Cruzeiro do Sul, AC

"Formação Acadêmica: Graduando em Direito, pela Universidade Federal do Acre."

Meu comentário: pesquisei na NET e descobri que o rapaz passou no vestibular da FIRB/FAAO, famosa por passar vestibulando endinheirado. Com a palavra alguns membros do PC do B.

Ativista d'Acre disse...

Altino,Feliz Ano de 2011,Otimista que
Sou e Persistente por Convicções!!!
Ooops...FALSIDADE IDEOLÓGICA na Aleac
e MIGRANDO para o Poder Executivo ???
Recomeça e Continua Mal 'esse rapaz'!
Eu Sou,Joana D'Arc Valente Santana

Mario Marcelo disse...

Grande Altino,
Vc sabe como ninguem , discordar e ser ao mesmo tempo elegante e contundente. Gosto muito de suas postagens , principalmente porque vc nunca se manifesta de maneira exdruxula sempre elegante com as palavras, mesmo quando discorda, isso sim que eh jornalismo. Parabens...

Lindomar disse...

Caro Altino,

O Tião se recusa a ouvir os movimentos sociais e depois diz não saber porque a frente levou um susto.
Petróleo sustentável? só faltava essa!!

Bom trabalho

Lindomar Padilha