segunda-feira, 11 de outubro de 2010

MARINA CHORA AO LEMBRAR DO BAGAÇO


Terceira colocada na disputa presidencial, a senadora Marina Silva (PV-AC) se tornou o centro das atenções do país porque uma decisão dela em relação aos candidatos que disputam o segundo turno é capaz de influir no destino eleitoral de José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT).

Após 16 anos morando em Brasília, a senadora abriu pela primeira vez as portas do apartamento funcional onde vive com a família para atender a um pedido de entrevista. O Terra presenciou-a lendo a Bíblia, arrumando gavetas, vasculhando estantes com livros e ouvindo o marido Fábio Vaz fazer a leitura de revistas e jornais.

Marina Silva não conseguiu conter a emoção e o choro ao lembrar dos ensinamentos da avó no Seringal Bagaço, no Acre, de onde saiu apenas com um saco de pano nas costas e poucas mudas de roupas dentro, para começar a sua trajetória como empregada doméstica em Rio Branco, a capital do Acre. Após controlar o choro, a ex-seringueira assinalou que "a inteligência não pode ser desperdiçada em maquinar o mal, ainda que ele esteja presente e faça parte de nossa natureza".

"Eu fui fazendo escolhas aparentemente impossíveis. Você me pegou de surpresa ao fazer me lembrar disso e agora eu respondo: valeu a pena ter deixado aquela família, sem conseguir olhar para trás, adiando o choro dentro do ônibus até que ficasse escuro para que eu pudesse chorar e ninguém me visse chorando. Tudo valeu a pena porque hoje eu posso sorrir e dizer que aquelas lágrimas semearem muita esperança para mim, para minha família e para os ideais que eu acredito", acrescentou.

No momento da entrevista, Marina Silva estava particularmente saudosa de um pequeno tabuleiro com milhares de sementes da Amazônia, principalmente de açaí, mulungu e jarina, que usa para confeccionar as bijuterias que adornam seu corpo franzino mundo afora. Ela desenha cada "biojóia" e depois as executa num ateliê improvisado, que não permitiu fosse fotografado sob a alegação de que "está muito abandonado por causa da campanha".

Mas mesmo quando tenta voltar à rotina caseira e descansar dos estafantes meses de campanha, ela continua a refletir sobre a surpreendente virada política que a deixou com quase 20 milhões de votos no final do primeiro turno. "Agora é o momento de fazer uma espécie de desaceleração e de criar um espaço de reflexão, de conversas, de escutar e também de me escutar. O desafio é não sofrer de ansiedade tóxica, de querer puxar pra si, como se tudo isso pudesse se privatizado ou particularizado. O desafio é ver tudo isso que aconteceu como algo grandioso, que precisa ser investido, trabalhado, para que, de fato, esse embrião possa se estabelecer como uma terceira via", afirmou.

Clique aqui para ler no portal Terra a entrevista, gravada enquanto a menina do Seringal Bagaço ajustava colares usados durante a campanha eleitoral.

Meu comentário: atenção acreanos para o relato da Marina Silva sobre a maior tristeza que sentiu durante a campanha presidencial -um fato ocorrido em Rio Branco, onde nasceu. Atenção, ainda, para a avaliação que a ex-seringueira faz sobre a mensagem que o povo deu nas urnas à Frente Popular do Acre.

7 comentários:

Keilah disse...

Meu caro Altino, parabéns pela entrevista. Marina é mesmo uma grande professora de vida e é sempre um prazer enorme poder apreciar suas palavras de sabedoria, de sensibilidade e delicadeza. O Brasil precisa de Marina, para que nossa trajetória política tenha um significado maior, com a esperança de um País grande, rico em justiça social, em cidadania, um povo que confia em sua capacidade de se realizar plenamente.
Obrigada, Marina. Como registro, lembro que minha primeira entrada na floresta acreana, com Kleber, Dalmir e Fátima, foi exatamente no Seringal Bagaço, em 1977.

Janu Schwab disse...

"É preciso que a gente tenha uma abertura maior para a diversidade, para a crítica, para o processo, para dividir a autoria, a realização e o reconhecimento das coisas. Se a gente continuar pondo o talento de todos em apenas alguns, daqui a pouco cada um vai reivindicar o seu talento com justa razão ou vai colocar suas insígnias em outras lideranças que imaginam possam ser mais horizontais."

Marina, como disse o blogueiro vejista Reinaldo Azevedo, parece ter feito um "download" dos sábios da floresta. Parece mesmo! Ele, claro, disse isso em tom jocoso (ou até pejorativo). Eu digo de forma sincera. Tem sabedoria na fala dessa jovem senhora.

Ao contrário de muitos correligionários da Frente, faz o certo. Não só como liderança, mas como pessoa capaz, traz para si o que é de sua alçada. Afinal, são eles, os políticos, candidatos, parlamentares, prefeitos e governadores, os representantes dos anseios das pessoas, e os responsáveis por decodificar esses anseios em projetos para todos.

O povo ter votado nos candidatos de oposição é um sinal. Os correligionários da situação chamarem o povo de burro por isso, é outro sinal. Pode ser a hora de tirar de perto quem tem opiniões tão maniqueístas e trazer quem realmente enxerga o todo. Uma reciclagem de talentos, " (...) uma abertura maior para a crítica", como disse Marina.

Ativistadacre disse...

Altino,Entrevista Histórica!!!
Post Para Daqui Alguna Anos Luz!!!
O futuro É Agora!
Marina Silva "Pachamama Atualíssima
e Globalizada"...Isso Incomoda!!!
Brilho e Luz Próprios,Natos!!!

Sem Palavras,Eu Sou Mais Marina!!!
Marina É Patrimônio Imaterial,VIVA!

Joana D'Arc Valente Santana,
Advogada Ativista ,Presidente da U.SOS.-Organização Universalista
em Direitos Humanos-Acre-Amazônia-
Brasil

Silvana disse...

Altino, BRAVO pela entrevista. Obrigada por esse momento de história do Acre e do Brasil. Me senti comovida. Amém. Abços. Silvana

silene.farias disse...

À biojóia do Brasil

Marina, agora que você vai ter mais tempo para montagem e criação das peças em sementes e cipós, conte comigo também nessa empreitada, sou do ramo.
Saudações MBS!

César Claudino disse...

Quero ver a velha mídia nacional continuar mostrando os valores da Marina após 31/10, até agora tudo perfeito igual o Serra e a velha mídia sonharam quando arquitetaram o seu malicioso projeto Verde usando a figura carismática de Marina para abalar a candidatura governista !!!!!!!! No entando Marina vive uma odisséia de Messias a Judas, poderá deixar de ser a via alternativa messianica para se tornar a traídora dos companheiros e camaradas do bom combate que um dia sentaram a mesa ao lado dela, contribuindo decisivamente para devolver o poder àqueles que um dia ela lutou para derrubar !!!!!!!!!!! Talvez o choro do retrocesso político seja bem pior que o choro da saída do Bagaço !!!!!!!!!!!Uma coisa é fato a coluna semanal dela no tradicional folhetim paulistano deve continuar, afinal ela ainda se diz a via alternativa para um futuro democrático!!!!!!!!!!!!

silene.farias disse...

Quem retrocedeu e quem traiu quem?
O governo dos companheiros de Marina "tá no bagaço" e não por culpa dela. Marina tem motivos de sobra prá chorar.chore também amigo, pois a situação é prá pranto.