terça-feira, 14 de abril de 2009

HORÁRIO DE ORAÇÃO

Evite telefonar para repartições públicas do Acre entre 8 e 9 horas da matina. Você corre o risco de se irritar logo cedo ao ouvir do outro lado da linha o seguinte apelo de alguma voz sussurrante:

- Volte a ligar depois, pois agora estamos em horário de oração.

Durante uma hora ou mais o atendimento ao público é interrompido. As pessoas dão as mãos, se abraçam, cantam, dançam, lêem e oram. Em certos ambientes públicos, o comportamento de alguns grupos beira o fanatismo.

Existe uma seita evangélica, por exemplo, que incentiva os "fiéis" a estabelecerem o momento de oração e estudo da palavra de Deus nos ambientes de trabalho. Até incentiva fortemente que sejam convidados justamente quem não comunga na mesma denominação. A ofensiva de intolerância é clara.


As pessoas poderiam orar em suas casas, o que evitaria tornar ainda mais precário o atendimento no serviço público. Alguém poderia avaliar se o acesso irrestrito à web a partir de repartições públicas seria tão danoso quanto esse tal horário de oração.

Um gaiato conta que uma empresa foi processada fora do Acre por algo semelhante. O cliente telefonava e uma voz dizia:

- Para falar, aperte um.

E alguns adolescentes telefonavam apenas para ouvir a mensagem e apertar mais um baseado. O pai de um deles decidiu processar a empresa.

- Nas repartições públicas do Acre, poderiam combinar: "Aperte 1, estamos em nosso momento de oração" - sugere o gaiato.

Um amiga, evangélica, costuma orar com seus colegas na repartição. Ela considera que o momento de oração não é justo, mas é comum.

- Oração é algo bom em qualquer lugar, desde que seja breve e deixe alguém para atendimento. O estado só poderá ser laico no dia em que as pessoas forem laicas. É o mesmo assunto daquela invocação do nome de Deus na Constituição - disse.

No meu ponto de vista, argumentei, para Deus tanto faz se o nome dele consta ou não em alguma constituição, que bobos somos nós que inventamos de incluir ou suprimir.

- Acho que Deus tem que estar em tudo. Até no sexo, na política, em casa. Ele é tudo em todos, porém deve haver limites quando se trata de serviço público, horários, atendimentos etc - acrescentou ela.

Contou que já viu o impacto de oração na sala de trabalho, quando um ateu que a condenava por causa das orações, anos depois reapareceu para dizer que deixara o ateísmo. Falei que não existe ninguém ateu.

- Mas ele se dizia ateu e não aceitava meu convite para cinco minutos de oração no ambiente de trabalho. Pedi a Deus por ele. Agora vou pedir a Deus por você, Altino. Ele vai te encontrar lá dentro.

Bem, tem gente que ora ou faz milhares de preces de modo contrito e silente, sem necessidade de comprometimento do atendimento na esfera pública.

Mas existem também aqueles que necessitam de exposição e se valem da coerção para obrigar os outros a participarem de suas orações. E que dão até coices no público após a oração.

Em tempo: o Acre é recordista no país em feriados estaduais. Um deles é o Dia do Evangélico.

17 comentários:

A moderadora do blog disse...

Nada contra a oração, muito pelo contrário, mas não dá para confundir as coisas. Repartições públicas não são espaços destinados à oração. É importante lembrar também que existem funcionários que são ateus, agnósticos, etc. e que precisam ser respeitados. Aos desavisados fica um aviso: existem espaços destinados exclusivamente à oração, as igrejas.
Mas, se em todo caso, algum grupo deseja orar antes do trabalho, pode chegar na repartição ás 6h da manhã, e ás 7h já estará livre para cumprir as funções para as quais foi contratado.
É preciso antes de tudo respeitar o público.
Só um lembrete, a República Federativa do Brasil é um Estado Laico. A Carta Magna de 1988 é clara a este respeito, em seus artigos 5º, inc. VI e 19, inc. I, segundo qual "é vedado a União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança"

Oliveira Neto disse...

Rapaz...fiquei impressionado mesmo com o atendimeto da prefeitura, pois não consigo obter o código tributário do municipio nem na internet e quando resolvi ligar o descaso foi comprovado!
Ninguém merece!

Oliveira Neto.

acreucho disse...

Orar, pra quem acredita em Deus é uma das melhores coisas da vida. Sempre que oro, Deus tem atendido as minhas preces. Ele, porém, não é rigoroso em quando e como a gente dedica tempo à oração. Esse negócio de "oração em ambiente de trabalho" tem dois lados. Um deles é a propaganda que fazem os evangélicos de suas denominações nestes momentos de oração, o outro é a perturbação do ambiente de trabalho com tal prática. Um evangélico que tem consciência de sua religião e de suas obrigações para com Deus e para com os homens, no caso, seu trabalho, jamais interromperá seu horário de trabalho para se dedicar à oração, isso seria "roubar a César" e todo crente sabe que: "dai a César o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus". Não devemos nem roubar a Deus nem a César. Alguns evangélicos acham que orando longas e gritantes orações no ambiente de trabalho, poderão influenciar as pessoas à sua volta de alguma maneira, ledo engano, muitos até os ridicularizam e debocham. A Bíblia Sagrada diz: Há tempo para tudo. Tempo de orar e tempo de trabalhar...só isso.

fatima almeida disse...

Relações de dependencia ou aliança é só o que há no Acre entre políticos e dirigentes públicos com a igrejas evangélicas. Mas tenho certeza que isso acontece nas repartições cujos funcionários são pessoas desinformadas, que nunca estiveram numa universidade e se estiveram foi em mil novecentos e vote. Se o Governo estabelecesse um programa de leitura e desse bônus para quem lesse determinadas obras desde Machado de Assis a algum pé-de-boi do marxismo com certeza todo mundo iria virar ateu.

Willyan Sales disse...

Fui um dia desses no horário de abertura das portas de uma loja da cidade para pagar a parcela do crediário que fiz e fiquei "aguardando" meia-hora para ser atendido, o pessoal da loja orando e fazendo alongamentos, creio que deve ser a mesma "política de bem-estar" que acometeu as repartições públicas - locais de trabalho, de atendimento ao cidadão e não lugar para na hora do expediente se estar desligando o telefone na cara das pessoas.

Dulcivânia Freitas. disse...

Deus é uma questão de convicção, cada um tem a sua. Ou melhor, tem gente que nem tem, nem na religião, nem na política, nem em por...(pim!) nenhuma. E ninguém tem nada com isso. No horário de trabalho, seja repartição pública ou empresa privada, creio (meu Deus, Todo Poderoso) que é pura fuga, que pode ser objetiva ou subjetiva, das obrigações do ofício ou de problemas pessoais. É só uma opinião.

jc disse...

Eu ja fui vitima desses "horario de oraçao" que na verdade quer dizer "culto no trabalho" pois estao levando até pastores para dentro das repartiçoes publicas, que em suas oraçoes desandam a descriminarem e ostilisarem quem nao pertecem a uma dessas ceitas,um ex diretor do saerb fazia isso muito bem.Tem que ir pra minha celula, sempre falava ele.Sugiro que essas oraçoes sejam feitas as seis da manha no mesmo local.joaozinho das condongas

GERA disse...

Na Secretaria onde trabalho, começou uma pequena oração e foi aumentando e começou atrapalhar até os próprios colegas que queriam trabalhar, em vista disto foi solicitado que a oração poderiam ser feita em outro horario fora do expediente.

ALTINO MACHADO disse...

O bom mesmo é o pessoal chegar ao trabalho com duas ou três horas de antecedência. Aí fica orando, orando, orando e pára na hora de começar o expediente. Outra opção é permanecer orando no local de trabalho após o expediente. Dá pra ficar até a meia-noite.

Sandro disse...

Lei 1491/2006 em:

http://www.cmrb.ac.gov.br/leis/legislacao-municipal/


Oliveira Neto disse...
Rapaz...fiquei impressionado mesmo com o atendimeto da prefeitura, pois não consigo obter o código tributário do municipio nem na internet e quando resolvi ligar o descaso foi comprovado!
Ninguém merece!

Oliveira Neto.

7:42 AM

Sandro disse...

LEI 1491/2006 em

http://www.cmrb.ac.gov.br/leis/legislacao-municipal/


Oliveira Neto disse...
Rapaz...fiquei impressionado mesmo com o atendimeto da prefeitura, pois não consigo obter o código tributário do municipio nem na internet e quando resolvi ligar o descaso foi comprovado!
Ninguém merece!
Oliveira Neto.
7:42 AM

Ana de Longe disse...

Trabalhei num órgão público e isso era muito chato. Havia quase uma pressão para irmos. A oração melhor feita nao é a que sai da boca, é a que se expressa nas atitudes, no tratamento respeitoso às pessoas, na escuta atenta aquele/a que nos busca para resolver um problema e que ja está muitas vezes, cansado de dar voltas inúteis por inúmeras repartições, no interesse e na disponibilidade em fazer o melhor por essa pessoa. O que foge do que deve ser ambiente no trabalho, é hipocrisia, e uma maneira tortuosa de gastar tempo precioso pago com os recursos públicos.

Marcelo disse...

Sempre tive uma certeza comigo: É evangélico quem nasceu já em uma família de evangélicos ou quem já fez de tudo que não presta na vida ai decide ser "crente", essa segunda opção é a mais frequente que conheço!!! Geralmente os que são de berço, não costumam encher o saco de quem ainda leva uma vida mundana, os que saíram do "mundo" são os mais imbecis possíveis, um bando de chatos que só pensam no Cão, no Capiroto, no Demônio e se esquecem que este ser está na falta de respeito com outras religiões, na fome, na miséria, bem como na ignorania de impor algo, alguma situação a alguém. Outro dia fui numa repeartição fui atendido por uma mulher bem gordinha com unhas de Alcione (a cantora), que ao se dirigir a mim chamou de "amado", dai respondi a ela que "amado" é gíria de "crente".

C.Forasteira disse...

O fato do Dia do Evangélico ser feriado no Acre realmente me chamou a atenção. Não sei se existe alguma estatística, mas certamente os frequentadores de igrejas evangélicas são maioria por aqui. Nada contra. Nada a favor também. Porém, um feriado assim é um tanto quanto partidário. E os católicos? Os mórmons, os espíritas? Imaginem se todos eles resolvessem requisitar um feriado em sua honra? Estaríamos fritos!

juruacre disse...

Meu amado Marcelo acredito que você não tenha ficado magoado por uma "pessoa gordinha com unhas de alcione", a não ser que preferisse que te chamasse de "ei pilantra, bandido, noiado,etc). Outra coisa Jesus veio para salvar e estar no meio dos "doentes", não nos sadios, se é que me entende!!!!
Deus te abençõe meu AMADO. JESUS TE AMA.

Janu Schwab disse...

Felizes são os uruguaios, que têm um Estado Laico de fato. Lá, hospitais e escolas públicas não penduram nem crucifixo nas paredes. Para tanto, irmãos, oremos... rsrsrs!

TCastela disse...

Além de todas as opiniões expressadas nos comentários ainda há uma coisa muito pior, se você é de outra creça, corre o risco de ser taxado de "perdido", "não-salvo" e se for daímista é pior ainda, porque quem toma daime, para eles "é do cão", vergonhoso, as igrejas usam do "poder" para ensinar práticas absolutistas, muitos se acham donos da verdade absoluta e em vez de dar o braço para atravessar um cego na av. ceará, preferem dizer que a pessoa é cega porque é pecadora e tem que se arrepender senão não vai ser salva! Hipocrisia religiosa tá na moda aqui em RBO!