sábado, 24 de maio de 2008

A HIPOCRISIA DO PT

Partido não incorporou a questão ambiental,
critica a ex-ministra Marina Silva


A foto acima mostra bem o que o PT do Acre fez a pretexto de homenagear a senadora Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente, na tarde deste sábado, 24, num pequeno auditório no centro de Rio Branco, a capital do Acre.

O partido mobilizou uma pequena platéia para a "homenagem" àquela que é considerada umas das 50 personalidades que podem ajudar a salvar o Planeta.

Além de alguns amigos da senadora, havia o suplente dela, o prefeito de uma cidade do interior e um secretário de Estado que falou em nome do governador do Acre, o petista Binho Marques.

Não compareceu nenhum vereador, deputado estadual, deputado federal, senador ou ex-governador.

Não estavam lá os petistas que defendem o cultivo de cana-de-açúcar no Acre, a prospecção de petróleo, muito menos aqueles que organizaram caravanas para defender nas audiências públicas, em Rondônia, a construção das usinas do Rio Madeira a qualquer custo.

Tampouco compareceram os petistas que viraram pecuaristas, que bebem uísque contrabandeado da Bolívia nas mansões de fazendeiros que participaram do complô que assassinou o seringueiro Chico Mendes, os que conspiram pela redução da área de reserva legal na Amazônia ou que passaram a defender os transgênicos após ganhar viagem ao exterior patrocinada pela multinacional Monsanto.

A ex-ministra e ex-seringueira impressionou, especialmente, ao finalizar o discurso:

- O PT do Acre não é o PT do Brasil. E o PT do Brasil não incorporou a questão ambiental em suas fileiras. O PT precisa compreender que, se ele não for capaz de se alinhar às utopias do século XXI, vai ficar fazendo o discurso do século XIX. O PT do Acre pode dar essa contribuição. Nós precisamos nos atualizar e nos ressignificar sob pena de ficarmos na contramão da história e não sermos mais capazes de tocar no coração e nas mentes daqueles que projetam as esperanças e as utopias para o futuro - afirmou.



Marina Silva disse que "o ministro Carlos Minc é da agenda" e que aprendeu o "be-a-bá da ecologia" com ele, Fernando Gabeira, Alfredo Sirkis e Fabio Feldmann e, no Acre, com a antropóloga Mary Allegretti e com o poeta Antonio Alves, a quem citou várias vezes como alguém que foi capaz de compreender bem antes de todos vários conceitos da sustentabilidade.

A ex-ministra tratou com deferência o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Lembrou que chegou a telefonar para pedir que FHC convencesse os parlamentares do PSDB a aprovar, entre outros, o projeto da lei de concessão de florestas públicas.

- Pedi que me ajudasse a aprovar porque muitos do meu partido e da base do governo não foram capazes de compreender e aprovar a proposta. Existem coisas que são maiores do que nós. A questão ambiental é maior do que nós individualmente e é maior do que cada um de nós isolados de nossos partidos. Os tucanos, petistas e pefelistas precisam de terra fértil, água limpa e de ar puro para respirar - disse.

O retorno de Marina Silva ao Senado representa o reposicionamento de forças na Frente Popular do Acre, a coligação que domina a política no Estado há mais de 10 anos. Vários amigos dela comentavam após a "homenagem" que não conseguem entender de onde a "neguinha" tira tanta força para suportar os "cabeças-de-bagre e suas trairagens", dentro e fora do Acre.

- Ela é maior que o partido. PT saudações - afirmou resignado um deles.

Texto atualizado para Terra Magazine.

16 comentários:

Acreucho disse...

Incrível como na política se é tudo e nada ao mesmo tempo.
Este governo que ela ajudou a subir ao poder, deveria ter pelo menos fingido que ela era importante...

Unknown disse...

Acreucho / a importância da senadora Marina dependeria do reconhecimento deles?

morenocris disse...

Bom dia, Altino.

Mas você estava lá. E isso é importante.

Beijos.
Bom domingo.

somos poucos porem somos...ole! disse...

Bom dia,a senadora,assim como outros "companheiros"Elena do PSOL,Cristovão do PDT,etc.que ajudaram a chegar ao poder a suposta ezquerda,mostra mais uma vez sua faz "fascista"de defenestrar "companheiros"que não servem mais aos interesses de seus projetos neoliberais aliado do imperio do grande capital.Elio

Juruá disse...

Grande Marina!
Sempre nos dando lições de grandiosidade e simplicidade. Não é somente sua figura "frágil" que nos lembra Ghandi.
Grande Marina!

Wesley Diogenes disse...

Com a proporção que a Marina chegou no Brasil e no Mundo ela não precisa da saudação nem reconhecimento desse PTzinho de hoje.

ALTINO MACHADO disse...

Realmente, mas o que ocorreu é apenas reflexo da "companheirada", que está atônita com reposicionamento que significa o retorno dela ao Senado e à política. Mas não conseguem apagar o brilho dela com essa firulas de baixo nível.

Internacionalistas Mundo Afora disse...

Então, essa foi a grande homenagem do PT do Acre? Que vergonha!


Myris

Acreucho disse...

Absolutamente mjlima.ac, a importância da Marina é dela, não desse bando ao qual ela alçou para a carreira política, ela o fez por ideologia, coisa que eles nem sabem o que é, são um bando de alugadores de partido para subir na vida. Você se lembra quem eram eles antes...não tinham nem a cachorrinha pra puxar...agora...

Odele Souza disse...

A saída de Marina do Ministério do Meio Ambiente, deixa todo o ambiente mais pobre, mais PT.

Jalul disse...

Duvido que o Minc tenha "cojones" para desafiar a Sargenta, o Blairo e o gringo Mangabeira.
Tá tudo dominado!

Acreucho disse...

Odele, de pobre o PT não tem nada, estão de bolsos cheios só o que é pobre neles é o espírito...de alguns obviamente...não se pode generalizar...

ALTINO MACHADO disse...

Comentário do Germano Marino:

"Altino

Não tenho cadastro para postar comentário no seu BLOG, repasso através deste e-mail o comentário sobre a matéria da Marina.

Não precisamos ter um diploma para sermos sábios ou transcorremos algumas impressões de alguns fatos muito importantes na nossa história. Marina Silva vai ser sempre nossa ministra, não é a estrutura que concede isso a ela, mas é a sábia nação brasileira que a concede este titulo. Marina já não é mais por muito tempo simplesmente algo do PT, mas é com toda certeza do Partido que movimenta todos os corações e mentes desta nação. Ela e a portadora legitima da democracia, legitimada sua filiação tão somente no Partido da Democracia, do Partido da solidariedade, de ser essa mulher forte de espírito que reconhece a hora e o momento certo de resignar-se para enfrentar o que ainda há de ser a mais seria de todas as lutas. O EMPATE que a nobre Senadora irá enfrentar desta vez, será o de salvar e chamar novamente os amigos e amigas de sua própria casa, aqueles que andam perdidos ou sonhando, para também saber resignar-se aos novos tempos, aos novos princípios, aos novos moldes, aos novos conceitos, mas de tudo que é novo, o importante que nunca mudou, foi que tudo se transforma, mas tudo tem que servir para preservar e promover a vida. Nada vale a pena, se a vida não tiver sendo preservada e promovida. Marina e simplesmente o ser humano que é reconhecida como o ser que alimenta a DEMOCRACIA PARA PRESERVAR E PROMOVER A VIDA NESTE PLANETA. Marina o auditório não estava cheio de pessoas, mas o auditório e símbolo de tua jornada, de teu começo, de tua sabia experiência de vida. Sou apenas conhecedor e ouvinte de tuas histórias e lutas, mas faço-me partidário e filiado a este partido de solidariedade de vida, de democracia, de honestidade e de sonhos".

lindomarpadilha.blogspot disse...

Caro Altino,

Transcrevo a seguir um texto do Frei Beto com o qual concordo com todas as letras.

Bom trabalho

Lindomar Padilha


Querida Marina

Frei Betto*

Caíste de pé! Trazes no sangue a efervescente biodiversidade da floresta amazônica. Teu coração desenha-se no formato do Acre e em teus ouvidos ressoa o grito de alerta de Chico Mendes. Corre em tuas veias o curso caudoloso dos rios ora ameaçados por aqueles que ignoram o teu valor e o significado de sustentabilidade.

Na Esplanada dos Ministérios, como ministra do Meio Ambiente, tu eras a Amazônia cabocla, indígena, mulher. Muitas vezes, ao ouvir tua voz clamar no deserto, me perguntei até quando agüentarias. Não te merece um governo que se cerca de latifundiários e cúmplices do massacre de ianomâmis. Não te merecem aqueles que miram impassíveis os densos rolos de fumaça volatilizando a nossa floresta para abrir espaço ao gado, à soja, à cana, ao corte irresponsável de madeiras nobres.

Por que foste excluída do Plano Amazônia Sustentável? A quem beneficiará este plano, aos ribeirinhos, aos povos indígenas, aos caiçaras, aos seringueiros ou às mineradoras, hidrelétricas, madeireiras e empresas do agronegócio? Quantas derrotas amargaste no governo? Lutaste ingloriamente para impedir a importação de pneus usados e transformar o nosso país em lixeira das nações metropolitanas; para evitar a aprovação dos transgênicos; para que se cumprisse a promessa histórica de reforma agrária.

Não te muniram de recursos necessários à execução do Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento da Amazônia Legal, aprovado pelo governo em 2004. Entre 1990 e 2006, a área de cultivo de soja na Amazônia se expandiu ao ritmo médio de 18% ao ano. O rebanho se multiplicou 11% ao ano. Os satélites do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) detectaram, entre agosto e dezembro de 2007, a derrubada de 3.235 km2 de floresta.

É importante salientar que os satélites não contabilizam queimadas, apenas o corte raso de árvores. Portanto, nem dá para pôr a culpa na prolongada estiagem do segundo semestre de 2007. Como os satélites só captam cerca de 40% da área devastada, o próprio governo estima que 7.000 km2 tenham sido desmatados. Mato Grosso é responsável por 53,7% do estrago; o Pará, por 17,8%; e Rondônia, por 16%. Do total de emissões de carbono do Brasil, 70% resultam de queimadas na Amazônia.

Quem será punido? Tudo indica que ninguém. A bancada ruralista no Congresso conta com cerca de 200 parlamentares, um terço dos membros da Câmara dos Deputados e do Senado. E, em ano de eleições municipais, não há nenhum indício de que os governos federal e estaduais pretendam infligir qualquer punição aos donos das motosserras com poder de abater árvores e eleger ($ ) candidatos.

Tu eras, Marina, um estorvo àqueles que comemoram, jubilosos, a tua demissão - os agressores ao meio ambiente, os mesmos que repudiam a proposta de se proibir no Brasil o fabrico de placas de amianto e consideram que "índio atrapalha o progresso". Defendeste com ousadia nossas florestas, biomas e ecossistemas, incomodando a quem não raciocina senão em cifrões e lucros, de costas aos direitos das futuras gerações.

Teus passos, Marina, foram sempre guiados pela ponderação e fé. Em teu coração jamais encontrou abrigo a sede de poder, o apego a cargos, a bajulação aos poderosos, e tua bolsa não conhece o dinheiro escuso da corrupção.

Retorna à tua cadeira no Senado. Lembra-te ali de teu colega Cícero, de quem estás separada por séculos, porém unida pela coerência ética, a justa indignação e o amor ao bem comum. Cícero se esforçou para que Catilina admitisse seus graves erros: "É tempo, acredita-me, de mudares essas disposições; desiste das chacinas e dos incêndios. Estás apanhado por todos os lados. Todos os teus planos são para nós mais claros que a luz do dia. Em que país do mundo estamos nós, afinal? Que governo é o nosso?"

Faz ressoar ali tudo que calaste como ministra. Não temas, Marina. As gerações futuras haverão de te agradecer e reconhecer o teu inestimável mérito.

[A autor de "A Obra do Artista - uma visão holística do Universo" (Ática), entre outros livros].

* Frei dominicano. Escritor.



Fonte: Frei Betto

Anônimo disse...

Caro Altino,
Não sou filiado ao PT e muito menos experto em política mas, como observador, tenho a convicção de que a Marina é muito, muito maior que o PT.
Na verdade, quem perde muito com a sua saída do MME é o Brasil, aliás...,Pensando bem, o PT - especialmente do Acre - perdeu também a oportunidade de homenagear condignamente a sua principal estrela.

Universidade de Direito á Distância disse...

Se Marina não fosse tão traíra, até que poderia receber ajuda da oposição.Mas,negou-se a apoiar o Serra.Ela não tinha que dizer que iria analisar as duas propostas de governo,tanto da PT como do PSDB,ora ele não já conhecia o PT?