sexta-feira, 23 de março de 2007

CERVEJA PRO CORAÇÃO

Na sexta-feira, uma respeitável professora acreana sentiu-se mal e procurou o atendimento de urgência da Unimed em Rio Branco. Sem realizar qualquer exame, a médica de plantão diagnosticou depressão e recomendou que a paciente fosse para casa e tratasse de se divertir e de tomar algumas cervejas para relaxar.

A mulher comprou uma caixa de cervejas e, no sábado, quando bebia o conteúdo da terceira latinha, voltou a passar mal. Novamente procurou a emergência e foi atendida pela mesma médica, que tirava plantão de um colega.

A mulher disse que sentia dores no peito, na nuca, e que seu coração parecia agitado. Novamente a médica insistiu no diagnóstico da tal depressão. Trouxe um copo com água e serviu um comprimido de diazepan e mandou que a paciente fosse relaxar em casa.

No domingo, a professora voltou novamente a passar mal e então a família dela telefonou para um médico. Ele recomendou que a professora fosse levada imediatamente ao Pronto Socorro, pois havia sintomas de problema cardíaco.

No Pronto Socorro, a professora voltou a encontrar a mesma médica. Felizmente foi atendida por um cardiologista. Ela, que já havia sofrido três enfartes, foi imediatamente internada e voltou a sofrer o quarto dois dias depois.

Será levada para o Incor na segunda-feira, mas a família agora não consegue encontrar um médico disposto a acompanhá-la na viagem. O que eles ganham nos consultórios é bem mais do que a família pode pagá-los como acompanhante.

- Sou muito supersticioso, mas não ao ponto de acreditar em médico - arrematou o jornalista Antonio Alves, que compartilhou o relato de uma irmã da paciente, vítima da nossa medicina de fim de mundo.

No Acre, o avião ainda é o melhor remédio.

15 comentários:

Anônimo disse...

Por que não dizer o nome do santo?

Não seria de utilidade para a população?

Jornal da Hora disse...

ALTINO, VC PODE PASSAR PRA MIM O TELEFONE DE CONTATO DA FANILIA DESSA MULHER PRA MIM FAZER UMA MATERIA PRA TV COM ELA.
MEU EMAIL: nayplessa@yahoo.com.br e o meu telefone é 9281.7009
DE: nayara lessa(amiga do orkut)

Mancabira disse...

Vai daí pra pior...tenho a história do meu tio que aconteceu nesta semana...comoeçou na segunda-feira num município e terminará quando meu tio estiver no caixão...Altino, vc acredita que meu tio chegou ao pronto socorro tendo convulsões e deram alta pra ele sem ele ter passado por um médico especialista (neurologista)!!!

Anônimo disse...

jornal da hora não, mamãe. já chega sofrer na mãos dos médicos, ainda precisa passar pelos jornalistas?

Luc disse...

Uma amiga apelidou o sistema médico hospitalar do Acre de "morra-brasil". Infelizmente ela não estava errada, tenho o relado de minha esposa que ao estagiar na maternidade barbara heliodora durante o seu curso de enfermagem da ufac, uma jovem que acabara de ser mãe sentiu-se mal, o médico só apareceu para ve-la depois de várias tentativas da enfermeira de plantão, a jove mãe piorou, juntou um grupo de médicos, tentaram entuba-la mas não conseguiram (OS MÉDICOS NÃO CONSEGUIRAM ENTUBAR UMA PACIENTE). Infelizmente essa jovem mãe veio a falecer ali no próprio leito da maternidade, o médico sai da sala de leitos e volta em seguida ameaçando todo mundo que se denunciarem todos serão processados. Minha esposa me ligou quando estava indo pra casa, aos prantos porque se viu inútil diante da situação.
Infelizmente era uma jovem de familia humilde que deixou órfão um bebê que acabara de vir ao mundo, ela poderia ter sido salva se o médico tivesse atendido no memento em que ela se sentiu mal na primeira vez.
Casos como esses se repetem quase que diariamente, o máximo que se faz é uma cobertura no momento do fato mas depois se esquece.
Realmente o melhor tratamento médico do Acre é o avião.

Anônimo disse...

Vamos ver se o famoso, justo, titânico e paladino Conselho Regional de Medicina faz alguma coisinha, pelo menos um bilhetinho puxão de orelha, pra médica picareta.
Se usarem da mesma intensidade que proíbe os médicos bolivianos e peruanos atenderem os carentes dos municípios, essa "medicazinha pinguça" deve arrumar as trouxas e dar o pira do Acre.

Anônimo disse...

A Unimed é assim mesmo, também já esperei horas por um médico, passando mal. Ainda bem que a dor aliviou, porque se fosse depender da vinda do médico..

E isso porque é particular, nem quero imaginar como é o atendimento nos hospitais e centros de saúde públicos..

Anônimo disse...

também do lado da bolivia e o CRM aceitando médicos formados lá...., não sei se esta médica formou-se na bolívia...mas no interior do estado onde a coisa é pior ainda tem muitos medicos-enfermeiros-bolivianos.....

Saramar disse...

Altino, fatos como esse não são privilégio (?) do Acre.
Infelizmente, em um país cuja característica principal é a amoralidade, a mercantilização da medicina é muito mais grave.
Em um mero comentário é impossível falar da indiferença que cerca o atendimento médico no Brasil e de como os planos de saúde se nivelam com a realidade do SUS na má qualidade.

Anônimo disse...

É a saúde de primeiro mundo do tião viana. Por favor, não falem nada, o dono do blog pode se prejudicar.

Angela Ursa disse...

Que médica é essa que receita cerveja e diazepam para uma pessoa que estava com problema cardíaco??!! Será que fez mesmo curso de medicina?

Anônimo disse...

Em Rio Branco ainda é muito precário o atendimento médico e com as especialidades,foi ficando pior.Cardiologista é coisa rara,pneumologista então nem se fala,ainda tem um agravante, os médicos também são mortais,minha mãe que tem problemas respiratórios, está preocupada pois seu médico, o doutor Cirinêz, está hospitalizado,antes era a doutora Célia que sofreu um acidente de avião e durante algum tempo ficou sem poder cuidar dos seus clientes/pacientes. A saúde de Rio Branco inspira cuidados. O doutor Tião fazendo prospecção, agora piorou mais ainda.Será sentença? Se for não tem cura.

Marcel Marques disse...

Altino, pelo amor de deus cite o nome da médica ***** para que todos os leitores do seu blog continuem vivo, lhe imploro que diga pelo menos a mim por e-mail: marcel_marques@brturbo.com.br e digo mais sua liberdade de impresa lhe permite dizer nomes não?

Anônimo disse...

Altino, estou estarrecido com esta reportagem onde uma médica receita cerveja para uma pessoa que está com um princípio de infarto. Faço coro com um outro comentário para que divulgue o nome da médica, que imagino eu saber quem seja tal mulher, que por engano, veste um jaleco para um(a)médico(a)! Estou solidário com a família da professora, porque sei como é a labuta desses profissionais pela qualificação da educação. Acima de tudo isso está Deus, nos protegendo contra tudo e todos que se acham incontestáveis!!!!!!!!!!!!
DEUS NOS ABENÇOE, NOS PROTEJA, AMÉM!!!!!!!!!!!!!

Maurício Bittencourt disse...

O lado bom dessa notícia está no fino comentário do Toinho. Tem um personagem de Dostoiévski (Irmãos Karamazovi) q aponta os médicos como curandeiros. Só q eles não têm a humildade do curandeiro. A maioria continua positivista, achando q pessoas são máquinas. Para tentar contrabalançar, surge a linha pseudo-liberal q provoca tragédias como essa. Se pelo menos ajudá-los a tratar do problema com coragem e, mais uma vez, humildade...