sexta-feira, 7 de setembro de 2012

ACORDA, ELIEZER

Casal Eliezer dos Santos Almeida, 26, e Luiza Primosic, 16, no balneário Fortaleza do Abunã (RO)



Famoso em Rio Branco pelos acidentes de trânsito em que se envolveu nos últimos anos conduzindo carros de luxo em alta velocidade, Eliezer dos Santos Almeida aguarda para ser julgado na Vara do Tribunal do Júri por causa do último acidente, ocorrido na madrugada do dia 20 de agosto de 2010, no Parque da Maternidade.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual, Eliezer Almeida cometeu homicídio doloso “ao dirigir embriagado e, sob efeito de substância entorpecente”, provocou o acidente que culminou na morte de uma garota de apenas 13 anos, além de lesões corporais de natureza grave em outra menor, e lesões leves em mais uma mulher que estava presente no veículo.


Leia mais:

Eliezer Ayache já está na penal

Segundo a acusação, além dos indícios de o condutor do veículo estar embriagado ao volante na ocasião, a perícia realizada pelo Instituto de Criminalística do Acre detectou a presença de maconha na caminhonete envolvida no acidente.

O crime se configurou pela combinação de embriaguez, excesso de velocidade, manobras perigosas ilegais, desatenção na condução do veículo e, não menos grave, permissão para que a vítima (fatal) ficasse em pé sobre o banco com parte do corpo de fora do teto solar do carro. Essas circunstâncias caracterizam o dolo eventual.

Conforme a legislação penal brasileira, o dolo eventual se configura como um tipo de crime que ocorre quando o agente, ainda que não queira produzir o resultado, assume o risco de produzi-lo. Eliezer Almeida foi considerado responsável pela ação, pois, de modo consciente, dirigiu o veículo, aceitando o risco de produzir um resultado, como o acidente.

Em maio, a Corte de Justiça Acreana decidiu por maioria negar provimento aos embargos infringentes e de nulidade criminal a Eliezer Almeida. A defesa dele havia ingressado com o recurso para que os membros do Tribunal Pleno desclassificassem o seu crime (homicídio doloso, na modalidade dolo eventual) para homicídio culposo (sem intenção de matar).

Após o pedido ter sido negado, o processo foi remetido à Vara do Tribunal do Júri. Eliezer Almeida poderá ou não ser pronunciado pela Vara do Tribunal do Júri, a quem caberá decidir se ele será ou não submetido a Júri Popular, “não sendo possível outra conclusão, razão por que lhe foi negado provimento aos embargos infringentes e de nulidade criminal”, de acordo com o desembargador Roberto Barros, que foi o relator do processo.

Parece que o jovem Eliezer, que chegou a ficar preso na penitenciária Francisco D'Oliveira Conde e teve a carteira de motorista suspensa por um ano, ainda não acordou. Eliezer Ayache, como é mais conhecido, é filho adotivo de Yacut Ayache, servidora aposentada da procuradoria jurídica da Assembléia Legislativa do Acre.

Nesta terça-feira (4), Luiza publicou no Facebook três fotos em que aparece dirigindo a nova Pajero do namorado, em Frotaleza do Abunã. Uma amiga dela fez comentário advertindo que Lídia Diógenes, que aparece nas fotos com a menor, motorista sem carteira, é corajosa por andar com Luiza Primosic.

- kkk, jaamais querida a gente ainda parou pra comprar uma cerveja e ouvindo a musica do meu amor Danilo Hudson - respondeu Luiza.



10 comentários:

@MarcelFla disse...

Sem querer julgar, há lições para serem tiradas de qualquer mal que possa nos acometer, daí o ditado "não há mal que não venha para o bem." e é entender o "Pra que?" das coisas ao invés do "por que?", e assim tentarmos ser pessoas melhores.

As oportunidades e chances aparecem, mas também se fecham. O título diz tudo.

. disse...

Um viva a impunidade!!!

João.

Alexandre disse...

Não tem como ter pena destas criaturas quando morrem em acidentes no transito provocados por eles mesmos. O problema é quando atingem gente que não tem nada a ver com essa "vida louca" que estas criaturas retardadas insistem em viver. Quando uma destas pragas morrem eu acho é muito bom. Se as "famílias" desses filhinhos de papais minados dependerem de meu ombro pra chorar no velório deles vão se decepcionar. Vou dar é uma festa, menos uma praga no mundo.

ELSOUZA disse...

Pelo óbvio, a foto já constitui prova inequívoca e circunstancial para a instauração de procedimento administrativo por parte do DETRAN/AC, pois apesar da infração de trânsito haver sido consumada no Estado de Rondônia, o veículo com certeza é emplacado no DETRAN/AC. De outra forma, hoje se mata por tudo e por nada. O ser humano está deixando de lado o seu conceito sobre os valores da vida. Mas, mesmo assim ainda acredito na JUSTIÇA, todavia, certos fatos estão passando despercebidos aos olhos sempre atentos do JUDICIÁRIO o que favorece a fertilidade de mentes como a do cidadão Alexandre.

Regina Cavalcanti disse...

Parece-me que esse rapaz é caso perdido, na verdade caso pra justiça. Tenho mesmo é pena dessa garota, tão novinha, entrando em uma `roubada`...

Daniel Faria disse...

Tanto o nosso Acre quanto o nosso Brasil têm muito a evoluir no que concerne à legislação e fiscalização de direitos x deveres de menores de idade.
São lamentáveis, sob todos os aspectos, os fatos narrados nessa postagem.

eliomar m. disse...

É pelo visto a melhor coisa que existe na vida é: Cair, beber e levanta. Mais como as vitimas da impunidade não se levantam mais o resto deixa prá lá.

Alexandre disse...

Continue acreditando na JUSTIÇA Sr. ELSOUZA, se você acha que vale a pena. Eu prefiro acreditar em valorizar o que tem valor. É claro que a vida tem valor. Mas entre a vida de UM assassino e de várias vítimas (de antes e futuras) eu prefiro valorizar a vida dos inocentes. Temos que decidir isso ou manter nesse sistema hipócrita que o sr. prefere acreditar.

ELSOUZA disse...

Sr. Alexandre! Reconheço que o sr. está certíssimo. Continue com a sua mente fértil que continuarei acreditando na JUSTIÇA, pelo óbvio. Ressalto que as agressividades de suas palavras no seu primeiro comentário me abalaram a ponto de jamais querer ser seu inimigo. Que JESUS continue iluminando seus passos e de sua família.

patrick leon disse...

A irresponsabilidade desse jovem acabou com a vida de uma familia,ele deveria pensar nisso!