quarta-feira, 10 de agosto de 2011

EM RIO BRANCO, 39ºC


8 comentários:

Fátima Almeida disse...

As carretas passam pela BR-364, aos sábados, domingo e até de noite. Eles dizem que isso é Plano de Manejo. Eles não têm programa nenhum de reflorestamento, muito menos de arborização urbana. a própria praça no centro da cidade que possuía árvores de copas mais fartas depois da reforma não convida ninguém a sentar-se ali ao meio-dia que é a hora das onze, de antes. Enfim, querem nos matar. Quem pode - fica em ambiente climatizado - pode, quem não pode se sacode..

Enzo Mercurio disse...

Para o ser humano esse calor de 39 graus é hostil ; por isso a amazonia é chamada de " Inferno Verde "

Fátima Almeida disse...

A amazônia também foi chamada de Um paraíso perdido. aliás, todo o Brasil é um paraíso perdido.exatamente porque nativos brigavam e brigam ainda hoje entre si pois são tribais, sem exceção, e, uma tribo é tribo pela distinção contra tribos, e agora, existem as tribos urbanas e que, além disso, ajudam, apoiam ou ficam de camarote assistindo os estrangeiros levarem as florestas embora em forma de toras...quem duvidar faça um simples teste: caminhe alguns minutos numa área de pasto sob o sol alto e depois adentre numa floresta..daí saberá finalmente, pelos sentidos que nunca falham, qual a diferença entre céu e inferno. O problema é ter acesso á floresta que já está muito distante desta cidade/estufa. Vale lembrar que Sartre tb usou essa metáfora: o inferno são os outros...

Janu Schwab disse...

A Fátima tem razão. Rio Branco já foi menos quente. Hoje é uma das cidades com o menor número de árvores em perímetro urbano.

Até São Paulo, que chamam de selva de pedra, tem ruas inteiras cobertas de árvores. Elas formam verdadeiros viadutos verdes. Em Rio Branco, você anda a av. Ceará inteira e conta nos dedos as árvores que fazem sombra.

Eu tinha dois ficus (da família da nossa gameleira) enormes na frente do meu condomínio acreano. Pro meu espanto, quando cheguei de viagem vi o que sobrou deles: dois tocos enormes. O argumento da turma: "Fazia muita sujeira".

E esse tipo de coisa acontece por toda cidade. Ou cortam as árvores inteiras ou "podam" de um jeito que elas não se recuperam.

Toda vez que vou a Rio Branco tiro fotos do absurdo que é uma cidade com incidência solar tão grande, capital da florestania, não ter um plano de arborização decente. É muita burrice. Deurrulivre!

aurelio disse...

Ta foda demais esse calor...

Acy disse...

Aquí Florestania? Nunca foi e nunca será! Gente aquí se faz paradas de ônibus com madeira... em seis meses a madeira já tá estragada, e como se recupera? com madeira... e de onde vem a madeira? de mais uma árvore tombada! e aí fica o Governo com tantos discursos bonitos para agradarem quem mesmo? Agradar somente os que dizem serem românticos sonhadores que só sabem sentarem num belo restaurante para beberem e comerem uma bela picanha... Afff!

Mario Marcelo disse...

Paciencia gente , o povo aqui acha lindo o terreiro carpido ou até mesmo lajotado, a maioria derruba as arvores em frente sua propria casa . não dá pra culpar governo nenhum por isso

Fátima Almeida disse...

E haja picanha! Como eles gostam de picanha! De noite, de dia, de segunda a sábado..