sábado, 18 de junho de 2011

MARCHA FOI CONSIDERADA UM FIASCO


Sem ninguém para defender publicamente a liberação da maconha, cerca de 200 pessoas participaram neste sábado (18), em Rio Branco (AC), da Marcha da Liberdade de Expressão e Direitos Humanos.

Os manifestantes percorreram duas ruas do centro da cidade e se concentraram na escadaria em frente ao Palácio Rio Branco, sede simbólica do governo estadual.

O professor Gerson Albuquerque, da Universidade Federal do Acre, foi o mais aplaudido ao criticar o governo estadual e a própria manifestação como “fiasco” em decorrência da reduzida participação num Estado famoso pelo movimento social em defesa da preservação das florestas.



Albuquerque disse que a manifestação se restringiu a temas que já deveriam ter sido superados há 12 anos, quando o PT assumiu o governo estadual.

Segundo o professor, problemas cruciais do Estado, como corrupção e cerceamento da imprensa local, foram deslocados por bandeiras universais.

- Nós não temos no Acre governo democrático. O silêncio, a conivência, o cinismo, a promiscuidade que existe entre os poderes nesse Estado são vergonhosas - afirmou.

Leia mais no Terra.

15 comentários:

utohpico disse...

A marcha do Acre não se resumia a llegalização da droga. Era a Marcha da Liberdade de Expressão e DIREITOS HUMANOS. Muitos temas foram foco do movimento, várias pessoas de entidas ligadas ao ambiente, causa gay, contra o racismo e outras mais se pronunciaram.

A marcha foi linda e o recado foi dado, não teve nada de fiasco. Foi um movimento da sociedade civil organizada, as pessoas compareceram. Nunca é fiasco se existem pessoas que vão pras ruas lutar pelos seus direitos. O número de cidadãos que estava lá foi suficiente e esse é apenas o primeiro passo. Fico triste vendo uma notícia sendo manipulada para conseguir mais acessos pro blog. Fico triste pelo sensacionalismo.

Um jornalista nunca pode ouvir apenas uma pessoa, um lado, e foi isso que aconteceu. Cadê a fala do público, cadê a fala dos manifestantes? "Sem ninguém para defender publicamente a liberação da maconha", quem disse que o motivo da marcha era pra defender a maconha? E os outros motivos, cadê? Bem, leio esse absurso de matéria e fico morrendo de vergonha. Não comunica nada. O texto da matéria é um... e a pessoa que você usa como personagem fala exatamente outra coisa. Estranho, não?

Fiasco é a notícia da marcha ter sido esquecida aqui neste blog até o dia de hoje. Antes disso nada foi divulgado. Apenas ignorado.

Mais informações sobre o objetivo da marcha no www.marchadaliberdadeac.blogspot.com

utohpico disse...

errei: o título da matéria é um, mas o personagem que você usa fala sobre outro assunto. Totalmente estranho.

Hedislandes ( O Perseguido PT ) disse...

Faço suas Palavras professor,as minhas Parabéns!

Hedislandes ( O Perseguido PT ) disse...

Entidades que apóiam a Marcha da Liberdade de Expressão e Direitos Humanos
POSTADO POR UTOHPICO ÀS 21:24
- CERNEGRO/AC

- Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas do Acre;

- Associação dos Homossexuais do Acre – AHAC;

- Centro Acreano de Hip Hop;

- Cineclube Opiniões;

- Centro de Defesa dos Direitos Humanos e Educação Popular – CDDHEP;

- Central Única dos Trabalhadores – CUT;

- Centro dos Trabalhadores da Amazônia – CTA;

- Associação Samaúma Cinema e Vídeo;

- Comissão Pró Índio do Acre – CPI/AC

- Comissão Pastoral da Terra – CPT;

- Comitê Chico Mendes;

- Grupo de Pesquisa e Extensão em Sistemas Agroflorestais do Acre - PESACRE

- Organização dos povos indígenas do Rio Juruá – OPIRJ;

- Rede Acreana de Mulheres e Homens;

- S.O.S Amazônia;

- Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre - SINTEAC;

- União Municipal das Associações de Moradores de Rio Branco – UMAMRB;

- Coletivo Catraia;

- Circuito Fora do Eixo;

- PIUM Fotoclube;

- Cineclube Cocar;

- Sociedade Philosophia.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Fala serio so gente ligado ao governo,não foram com medo.
Umarb ?kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Rodrigo disse...

É uma pena Altino, que você vá a um evento desse (que crucificou e disse claramente nas redes sociais que não participaria) e registra apenas a fala desse infeliz. Bom, mas como estive lá defendendo a liberdade de expressão, então me cabe respeitar a opinião deste professor. Mas não estive lá por um ato político. Não vejo problema em manifestar pacificamente uma luta por liberdade, seja ela de expressão, de cor de gênero... E contar com apoio de organizações de segurança para um ato de liberdade. Afinal, para este professor, o que seria então um ato de sucesso? Sair quebrando carros e atropelando gente? Queimar bandeira em praça pública? Ora, faça-me o favor. Assim como queremos respeito, temos que agir com respeito. E ele definitivamente foi de longe o mais aplaudido. Espero que esse comentário possa sair em seu blog. Att,
Rodrigo.

ProfeGélson disse...

Esqueceram de convidar o FHC!!!

Jocivan Santos disse...

Uma macha sem sentido, um monte de gente chapa branca, empregados em seus cargos temporários do governo, outros nem isso tem, são só puxa saco mesmo. Estava la Ex-secretários do estado e município, vi um vereador da base do governo por la, o pessoal da secretaria de direitos humanos estava todo la. Estava la um dos assessores da articulação politica do prefeito. O pessoal da fundação garibalde brasil estava todo la, talvez até tenham dado até o som pro evento. Mais qual a finalidade mesmo deste crito por liberdade de expressão em Rio Branco ??? no meu ver seria mesmo criticar e responsabilizar o próprio governo deles, como bem disse o professor Gérson. No meu ver em outras palavras os próprios empregados do governo disse que o atual sistema politico vigente no estado do acre, viola o direito de liberdade de expressão do seu povo. Que apesar do fiasco foi para isso que o pessoal do governo foi pra rua hoje. Para mim o evento era outra coisa, falar dos direitos humanos e liberdade de expressão, não responsabilizando os governantes deste estado e uma vergonha. Vi somente o Prof. Gérson acerta o fio da meada como diz o ditado.

joaomaci disse...

E tenho dito: não somos nós, que podemos a qualquer momento navegar na internet e fazer comentários neste ou naquele blog que temos a capacidade de alterar a situação que aí está. Assim como não será, com todo respeito as manifestações contrárias, esta marcha tutelada por representantes das elites locais que representará as populações que historicamente sofrem preconceito, discriminação e exclusão social nesta cidade e neste estado.

O discurso do professor Gerson foi muito lúcido.

Concretos e Sólidos Pensamentos disse...

Bom, eu acredito que as pessoas que participaram da marcha pela Liberdade de Expressão e Direitos Humanos conseguiram transcender o conceito de "uso isso ou aquilo" ou até mesmo "padrim que falou..." a marcha marca sim a pluralidade, coragem, vanguarda, e o reflexo do novo que VEM. Somente reitero o que já foi dito pelos demais. Fico triste que nossa impressa ainda caduque em conceitos próprios e encastelados e seus pequenos mundos.

Janu Schwab disse...

A versão acreana da Marcha só tem seu valor na intenção de querer se integrar a um movimento nacional, como se resmungassem "Também somos Brasil". E só. O resto é dúdiva. Como diz um dos cartazes que vi nos cliques: "Marcha da Liberdade, protesto ou evento de fim de semana?".

A causa é válida, mas não apresenta soluções e, como disse o Professor no vídeo, faz uso de diversidades de fachada/temas universais para desviar os olhares (e ações?) do que realmente importa: combate a corrupção, ao tráfico de influência e a politicagem seja de esquerda, de direita ou de centro/em cima do muro.

O fiasco não está no grande ou pequeno número de pessoas presentes ou no teor brando ou inflamado do protesto. O fiasco repousa justamente na individualidade que sucumbe ao peso de uma pretensa coletividade. A mesma coletividade que, em nome da liberdade, diz: Ou você está com a gente ou você não presta! Ou você está com a gente ou você faz Mau Jornalismo! Ou você está com a gente ou..." Oi?

Ainda que seja assustador, a tentativa de censura ao curta metragem exibido em programa do Ministério da Justiça em prol dos Direitos Humanos é totalmente compreensível. Dava para esperar algo diferente de quem transforma medos, receios e bandeiras genuínas da sociedade em moeda de troca política? Não, não dava.

Doze anos se passaram sem a ALEAC convocar nenhum membro de Governo para explicar a menor suspeita que fosse. Doze anos. E quando chamam, chamam para tirar satisfação de uma interpretação melindrosa de um texto contundente: sentiram-se ofendidos com uma ofensa que não aconteceu.

Mais assustador é ver gente acostumada a perseguir, difamar e sabotar gritando por respeito a diversidade e liberdade de expressão só para estar na "crista da onda" dos protestos que acontecem ao mesmo tempo como se fossem "o maior festival integrado de música da América Latina".

É como se resmungassem, soberbos: "Vejam a nossa força de articulação!" Essas pessoas, tão acostumadas ao policiamento moral e político típico (policiando e/ou sendo policiadas), que se dizem do Bem, da Paz e do Amor, não conseguem enxergar o Grande Censor dentro delas mesmas.

Nesse contexto, o zarolho (ele mesmo se debochava) Sartre tinha razão: o inferno são os outros. E para essa turma, os outros são sempre (da) oposição.

Esse mesmo entusiasmo em empunhar cartazes e entoar palavras (roucas) de ordem não se vê na hora de uma reflexão em relação ao respeito as reais diferenças, essas que acontecem no dia a dia, vestidas de opiniões e posturas divergentes, assim como opções e orientações idem.

Entusiasmo equivalente só vejo na hora quem criam factóides, distorcer meias verdades, espalhar boatos e repassar "babados fortes" a respeito de quem deu, quem comeu, quem traiu, foi traído, quem bateu ou apanhou, pariu ou abortou, isso e aquilo, etc, etc, etc. Tudo, claro, por debaixo dos panos, costas e sombras, que essa turma não é chegada num olho no olho.

Lembro bem: muitas figuras que, em nome da liberdade de expressão e do respeito a diversidade, marcharam esse sábado, meses atrás, chamaram de burro parte do eleitorado acreano pelo resultado apertado das eleições ao governo do estado e a derrota do 55 no Referendo do Fuso Horário.

Que diacho de respeito a diferença é esse? Que tipo de sociedade se quer construir no grito, sendo que no silêncio oportuno das relações interpessoais se joga sujo, julgando e condenando terceiros ausentes, em nome dos próprios interesses?

Latente, essa hipocrisia não é, pois a coisa é escancarada. Resta saber se ela é patente, marca registrada dessa turma que, como menino birrento, bate o pé pra dizer: eu tenho direitos. Mas ignora que o limite do próprio direito é o dever para com o direito do próximo.

La Luna disse...

Altino, um tanto tendenciosa o título da matéria não achas??
Não se preocupou em se informar mais sobre o assunto.
A fala e presença do Prof.Gerson foi importantíssima como a de todas as outras pessoas ali presentes, mas o jornalista não pegou uma fala de alguém da organização ou de outras pessoas por qual motivo??
Sua imparcialidade ficou na sexta-feira, não a usa no final de semana??
Tá ficando coleguinha dos Viana(que tanto diz atacar) ou da bancada evangélica??
Cuidado, quando acenderam a fogueira( que não é a de São João), muitos serão queimados e não serão só os gays e maconheiros não viu!!
Sua presença foi a serviço de quem??
Dos mesmos que abriram uma cratera no meio da rua?
Pensava que suas notícias eram verdadeiras e imparciais, mas de fato não temos um único veículo imparcial.

sérgio de carvalho disse...

Altino,

De verdade, não entendi. Eu mesmo fiz questão de te informar de tudo o que vinha acontecendo. Te enviei o manifesto da marcha, que é nacional,todas as cartas de censura. Enfim ? Não consigo entender, bem que queria. Cadê a fala do Haru Kuntanawa sobre as mudanças do código florestal ? Do Lhé sobre as mortes no campo ? Minha sobre a censura da bancada evangélica ? Por que usou a fala mais polêmica para embasar uma matéria com informações tendenciosas, como a necessidade de imprimir na marcha a bandeira da maconha? Vc só filmou a fala do Gerson por que ?

Anne Nascimento disse...

Porque o Altino é tudo, menos jornalista, Sérgio de Carvalho

ALTINO MACHADO disse...

Anne, eu já teria morrido se não existissem pessoas que se corroem de inveja do que não sou. Gente como você me deixa muito feliz. Veja esta frase: "Mas mamãe, muito bondosa, já comprou-me um bom remédio que dizem que é muito bom.". A frase é de sua autoria. Não se venda, Anne.

ISAAC RONALTTI disse...

éeee....casa de ferreiro...espeto de pau....kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk