quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

SOCIEDADE REFÉM DE BANDIDOS

Justiça e segurança pública em descrédito
Da juíza Denise Castelo Bonfim, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco, na sentença em que condena por duplo latrocínio Artur Ramoile Alves da Silva e Silva, 19, neto do fazendeiro Darly Alves da Silva, a 50 anos de cadeia:

- Eventos como esses deixam toda sociedade em pânico, horrorizada, refém de bandidos inescrupulosos, que no alto de suas reações psicopáticas não poupam ninguém. A população não mais agüenta tamanha insegurança e audácia dos meliantes, e encontra-se estarrecida com a enorme onda de criminalidade que vem assolando esta Cidade nos últimos meses, colocando em descrédito o próprio Judiciário e as demais instituições responsáveis pela segurança pública neste Estado.

Quem contesta Denise Bonfim?

Leia mais no Blog da Amazônia.

4 comentários:

...vdj... disse...

E depois dizem que vivemos numa sociedade (leia-se Rio Branco) livre e independente. Tá... sei... ¬¬

Se criticamos as atitudes e decisões de um Secretário de Estado - que nada mais é do que uma noeação do Governador - ELEITO PELO POVO, somos acuados e ameaçados, pois eles se acham inatigíveis.

Coronelismo? Imagina! Isso era na época do Hildebrando. Hoje vivemos numa redoma com cercas, mordaças e outros artefatos invisíveis, mas muito eficientes, quando necessário.

Nosso voto serve pra que mesmo? Ah ja sei, pra nos dar a sentença de "cale-se e não se meta!"

.
.
.

Jalul disse...

A palavra da Dra. Denise é incontestável. A jovem juíza sabe o que diz, o que faz e o que quer. A magistratura acreana é bem representada em todos os níveis, de modo geral. Alguns deveriam se aposentar para abrir espaço aos meninos e meninas de mentes frescas e de saber jurídico não menos perfeitos e bem menos viciados pela egocentricidade fr poucos.A mudança é, antes de perda, uma necessidade de alteração do acomodamento prejudicial à saúde e aos bons costumes dos juridicionados.
A justiça do Acre tem velhos entraves. Não cabe mais a onipotência medíocre e atrasada.
Dra. Denise, receba meus cumprimentos e minha admiração.

Luís Eduardo C. R. Valle disse...

Chegamos ao ponto de sermos assaltados e sairmos com uma sensação de alívio por não termos sidos violentados. Foi o que senti da última vez que me assaltaram. Desta vez o assaltante estava armado com um facão. Nem perco mais tempo com B.O.
Indo rumo ao apocalipse.

George Cruijff disse...

A situação que aparentemente caminhava para uma posição de esgotamento total, cada dia nos surpreende com mais casos de violência e barbárie. A impunidade galopeia entre nós, que passamos a assistir de "camarote" à nossa própria ruina. Se as nossa "Autoridades" não fizerem jus aos seus gordos salarios e privilégios, a nossa frágil sociedade será literalmente tomada de assalto pela foice dos criminosos e seus aceclas. Talvez nem precisaremos esperar por 2012, para ver instaurado o caos em nossa comezinha comunidade amazonica. Que Deus tenha piedade de nós.