quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

NO CORAÇÃO DE 2010

Recebi do escritor e deputado Moisés Diniz (PCdoB), líder do governo do Acre na Assembléia Legislativa, um texto com a observação seguinte:

- Caro Altino, mesmo que você incomode e até provoque sentimentos nada nobres em algumas pessoas, continue assim. Você está ajudando o Acre a ser melhor, mais livre, mais tolerante, mais moderno e mais justo.

Eis a mensagem de fim de ano de Moisés Diniz:

"O ano que vem será maior do que esse que morre, esse terrível ano que me levou o emprego, a mulher que eu amava, a casa financiada, os amigos que não me viam sem carro e cheque especial, a esperança escatológica, que de lógica não tinha nada, de perdoar minhas dores no colo divino de todos os anjos.

O ano que vem não pode ser menor do que esse que se despede, esse bendito ano que me manteve vivo, sem aids, hanseníase, verminose, psoríase, morte de avião, no fogo, no trânsito, na água, encurralado pelos traficantes, balas perdidas, a morte precoce que embruteceu o mundo e derramou lágrimas de um milhão de mães e irmãs.

Um ano bom que eu não soube guardar as manhãs que ele me ofereceu, as madrugadas para amar em silêncio, as tardes mornas para erguer amigos e cada entardecer para convencer os meus inimigos de que o ódio não é maior do que algumas gotas de chuva ácida, demônios perdidos, fezes.

Vou entrar na porta iluminada de 2010 como um mendigo que implora o alimento e a afeição, cheio de salmos nos lábios, como se um profeta me dissesse aonde se encontra a morada sagrada dos deuses que constituíram meus rins e o meu cérebro de antropóide que não ama mais do que uma formiga ou um lobo.

Olharei para os meus calcanhares para tirar a prova do meu egoísmo e da minha profunda letargia em amar aqueles que precisam de amor, atrofiado na minha oração mendicante que implorou aos céus para que o meu corpo tomado de vermes fosse limpo, sob as bênçãos do meu padroeiro, nas águas santas do meu último rio.

Lembrarei da mensagem dos purgatórios de que um pecado nem tão grave e nem tão leve cabe na palma da mão paternal de Deus e o único incômodo que traz é o tempo que os anjos levam entre o inferno e os céus para conhecer a angústia nos olhos de Lúcifer quando perde uma alma do mundo dos filhos do sol.

Lembrarei aos poderosos de todos os tipos de palácios de que o sol desde sempre divide com a chuva a magia eterna de aquecer e fecundar, que a sua energia e o seu acalanto tocando as folhas das pequeninas árvores são eternos porque são simples, porque são naturais, porque são belos.

Assim, eu amarei os pequeninos que sangram sob a chuva imemorial da exploração humana que, na verdade, nasceu com a expropriação do universo e de seus bens naturais, como uma bruxa criada pela imaginação dos homens que se apropriaram do néctar dos deuses e das frutas do jardim de Éden e entregaram aos filhos da sombra a miséria humana e suas indisfarçáveis sevícias.

E que nenhum demônio da condição humana venha me dizer em que igreja eu devo me ajoelhar e para qual anjo padroeiro eu preciso pagar as minhas silenciosas promessas e sob os pés de quantas mulheres santas eu posso entregar meus desejos perdidos e meus dízimos.

Que eles saibam que Judas foi mais honesto do que Pedro, porque não traiu Jesus três vezes e porque devolveu as suas infames trinta moedas de prata, só então eu vou descansar das andanças desse belo e terrível ano de 2009, onde minhas angústias enfrentaram sol e chuva, demônios e deuses.

Contemplarei os homens na sua essência, capazes de amar e de odiar, de abraçar e de matar o semelhante, de perceber um tiroteio na periferia e uma abelha distribuindo mel sem pagamento à vista e nenhuma promessa de que a sua floresta profunda não será dizimada.

Guardarei meu tempo, nem que seja apenas um pedaço de preciosos minutos dourados de lua, para pedir perdão àqueles que pagam o pão e o agasalho dos meus e lhes direi que não desisti de ser justo, mesmo sabendo que a justiça não paga os crimes dos homens infames.

No coração de 2010 eu vou aportar o meu barco primitivo e carregado dos tesouros que trago de 2009, grato pelas dores e pelas angústias que me fizeram mais próximo dos anjos, quando me afastaram dos demônios que me cercavam como se eu fosse um rato, e me ensinaram o caminho sagrado da ressurreição.

Guardarei cada minuto de 2009 porque eles compõem a infinita sinfonia da vida eterna, da cósmica matéria que constituiu meus pulmões, meu fígado e minha digital de homo sapiens, mesmo que alguns deles tenham me aproximado do inferno e tornado refém a minha alma de peregrino.

No coração de 2010 vai dormir meu desejo insatisfeito de 2009 e minhas vontades que se fizeram luz e velas nas catedrais e risos de escárnio e prazer em todos os prostíbulos, como se todas as agonias do homem pudessem receber acolhida.

No coração de 2010."

13 comentários:

Odele Souza disse...

Como escreve bonito o Moisés Diniz.
Lindo o texto. Para 2010, espero que o que ele espera ACONTEÇA!

Abraço pra você Altino. FELIZ 2010.

Vingador disse...

Bem,
Tô falando que o homem abilolou de vez...

raimundo disse...

Jornalismo é a atividade profissional que consiste em lidar com notícias..........
MANDA TODOS A MERDA MEU AMIGO

TE AMOOOOOOOOO!!!!!

Vingador disse...

Bem,
Como eu falei em um comentário anterior que o senhor Moisés Diniz estava aluado, pude perceber neste novo texto que talvez a palavra certa não seja aluado e sim perturbado mesmo, pois uma pessoa que numa mensagem de ano novo vai dos vermes as fezes, da redenção de Judas a condenação de Pedro, do prostíbulo a catedral, essa pessoa deve estar mesmo perturbada.
A única coisa lógica que escreveu foi; “... No coração de 2010 eu vou aportar o meu barco primitivo e carregado dos tesouros que trago de 2009...”. Com certeza o que não faltou para o nobre foi o acúmulo de tesouros no coração de 2009.
Que todos tenham um FELIZ 2010.

Rosangela Barros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Moisés Diniz disse...

Desculoa, Rosãngela, mas eu não lembro de você, muito menos de Tarauacá.

Quanto ao meu comportamento político, eu sou bastante conhecido e, se há uma coisa que eu não sou é oportunista.

Se você me conhece mesmo, você deve saber disso.

Quanto ao meu texto, eu peço desculpa a você se ele te ofende ou te agride.

Eu não sei quem é você, tentei descobrir pela foto mas não lembrei. Desculpa.

No mais, fica com Deus no coração!

Ah! Leia aquele versículo em que eu comparo o ódio à chuva ácida e fezes...

Fica com Deus.

Um abraço,

Moisés Diniz

Moisés Diniz disse...

Caro Altino,

Se eu fosse você não permitia que comentários anônimos, como esse do tal VINGADOR, pudessem ser publicados, de forma anônima, como diz lá na tua caixa de comentários.

Todo texto que eu publico no teu blog, esse babaca do VINGADOR escreve essas asneiras contra.

Eu não estou escrevendo nenhum ensaio político, mas uma mensagem de fim de ano e esse otário fica atraindo o ódio.

Isso é muito irritante, não é democracia e nem liberdade.

Um palhaço assim só suja a imagem da humanidade, deixa-a mais pobre, sem amor e sem perdão.

Divergir é uma coisa, agredir é outra. Ele tenta desqualificar os meus textos, de forma covarde, anônima.

Sinto pena de um cara desses. Se ele se identificasse, a gente podia debater.

Sugiro, Altino, que se ele escrever de novo anonimamente, diga para ele enviar para o meu email.

Ele conseguiu me irritar, no último dia do ano.

Peço desculpas aos teus leitores, mas isso não está correto.

Por fim, eu vou perdoar o VINGADOR e isso vai doer nele, porque o perdão doi em quem cultiva o ódio.

Fica com Deus, irmão!

Um abraço,

Moisés Diniz

Rosangela Barros disse...

Não vou “descoloar” o senhor, não, deputado: já esqueceu o início da sua carreira política na própria terra em que nasceu!

Não lhe conheço o suficiente para dizer se o senhor é totalmente oportunista: deixei bem claro que é em relação a questão indígena, se o senhor tem problemas de interpretação, então responda-me:

1- Quais foram suas ações para que a União das Nações Indígenas não chegasse ao fim que teve?

2- Quais são seus projetos de contribuição a questão indígena atualmente?

3- É verdade os botos que dizem que as verbas do Programa de Saúde indígena foram repassados para a sua Campanha, ocasionando a falênciaa da União das Nações Indígenas-UNI?

Desculpe-me, também, por não ter me feito entender, mas não EXPRESSO em nenhum momento ódio ou rancor: meu coração é puro amor!... Deus já está no meu Coração, na minha Razão, no meu Corpo, bem como na minha Alma: eu sou toda dominada por Deus!

Quanto ao seu texto nada me agride ou me ofende, apenas nada me diz: é longo, contraditório e vazio de significância para o blog e para um deputado apresentar aos seus eleitores! Por isso, não vou ler aquele versículo em que o senhor compara o “ódio à chuva ácida e fezes:” isso é nojento e me causa mal estar, é simplesmente profano e esdrúxulo!..

Que o Ano de 2010 seja repleto de ações concretas na sua política, Feliz Ano Novo!

Moisés Diniz disse...

ROSÂNGELA BARROS,

Quem escreve assim é porque tem ódio no coração sim. Você escreve sobre os povos indígenas de um jeito que demonstra conhecer a sua luta, portanto, deve conhece o que eu fiz e faço a favor dos povos indígenas.

Sobre a minha honestidade (em relação aos recursos da UNI), você deveria entrar no MPF, se tem alguma dúvida. Você está sendo indigna e prostituindo as informações.

Se você continuar agindo assim, eu vou acionar a Justiça. Você vai ter que provar!

Eu não tenho que dar satisfaçao do meu mandato para você. Eu não dialogo com quem tem ódio no coração.

Eu copiei todos os teus comentários e aqueles que agridem a minha honra e colocam em dúvida a minha honestidade, serão tratados na Justiça.

Sobre a UNI, converse com o Manoel Kaxianawá, o Carlos Brandão, o Antônio Apurinã, O Chico Preto, a Letícia, o Joel, o Siã...


Eu não sei que mal te fiz, mas você escreve com ódio sim. Eu não entendo como alguém que escreve com tanto rancor, ainda tem um blog chamado O MUNDO DA ROSA.

EU NÃO ESCREVI NADA SOBRE POLÍTICA, NÃO AGREDI NINGUÉM, NÃO CONTESTEI NENHUMA POSIÇÃO POLÍTICA OU IDEOLÓGICA. EU APENAS ESCREVI UMA MENSAGEM DE FIM DE ANO. O QUE TINHA DE VOCê VIR COM ESSE ÓDIO?

Se você tem alguma acusação, acione o MPF. Se você quer conhecer os meus projetos, vá no meu gabinete ou me envie um e-mail. Não é correto o que você está fazendo, você sabe disso.

JÁ PENSOU SE EU RESOLVESSE QUESTIONAR O TEU COMPORTAMENTO, DEPOIS DE VOCÊ ME ENVIAR UM CARTÃO DE NATAL?

Mas, eu não guardo mágoa. Eu não consigo ter ódio.

Se você quiser, eu te envio tudo que eu já fiz (no mandato e fora dele), nesse 23 anos de militância, pela causa indígena.

Mais: se você tiver sugestões, eu estou disposto a ouvir. Nessa semana, estarei visitando as aldeias indígenas do rio Tarauacá e do rio Jordão.

Lá na Água Viva (Carapanã), vamos montar uma Oficina de Artesanato para o Edmilton fazer os seus belos móveis kaxinawás.

Na Morada Nova (Shanenawa), estamos trabalhando para montar uma pequena Fábrica de Ração para peixe.

No Caucho, acabou de chegar o Luz Para Todos. Pergunte ao Narço qual foi a minha participação.

Lá na Boa Vista (kaxinawá de Jordão), estamos tentando colocar um motor de luz mais potente.

Eu não vou seguir falando de outras ações, que desenvolvemos junto com o Francisco Pianko. Pergunte a ele sobre o meu papel.

Eu estou limpo! Um comunista como eu, não estaria de pé, se tivesse feito alguma canalhice na vida pública ou privada.

Veja só o teu ódio, de uma pessoa simples. Imagine dos políticos que eu combato. Por isso, tenho certeza de que eu estou limpo!

Enquanto eu não ficar sem internet (nos 15 dias que estarei subindo os rios da minha terra), eu vou responder aos teus comentários. Estou de recesso...

No mais, Rosãngela, se você se aproximar de mim, vai descobrir que eu não tenho maldade, não guardo rancor.

Fica com Deus, menina.

Um abraço,

Moisés Diniz

Rosangela Barros disse...

Caríssimo Deputado, perdoe-me mais uma vez, por favor, por eu não ter feito me entender: eu juro por tudo de mais Sagrado que não é ódio e nem rancor, eu apenas lhe fiz três perguntas mediante a sua dificuldade em entender aonde que eu lhe chamei de oportunista.

“O MUNDO DA ROSA”: é exatamente a expressão da minha falta de ódio e de rancor: é puro amor, loucuras, sedução, paixão, erotismo, orgasmo e sexo!... É a mais profunda expressão de uma alma feminina desprovida de qualquer conhecimento político, caro deputado! Jamais quis lhe questionar: a única dúvida que eu tinha em relação ao senhor fui franca, sincera e transparente em lhe perguntar, ou melhor, a minha única tentativa foi explicar em que eu tinha as minhas dúvidas: se eram fofocas ou se veracidade!... Agora, vá lá no MUNDO DA ROSA que eu estou tentando explicar que vou reconstruí-lo, também influenciada pelo seu texto No Coração de 2009, texto esse que se encaixaria muito bem no Meu Mundo...

Quanto ao Ministério Público: vá lá, acione-o! O momento é oportuno: aproveite e converse com a Dra. Neuma Promotora que me atendeu, pois o meu nome já está lá, sem conseguir solucionar os fatos que me comprometem, seria mais uma injustiça contra a minha pessoa dentro do meu próprio estado, que me levou a falência e quase a morte para eu ver pessoas como o senhor governar! Iremos nos encontrar sim (lhe procurarei para o senhor me reconhecer) e para eu lhe relembrar lá em Tarauacá aonde eu estive a trabalhar para o deputado federal Nilson Mourão, e o senhor estava sempre presente: aproveito também para lhe contar o que me levou a falência total na minha vida profissional!...

Desejo-lhe um Bom Inicio de Década!...

E que a Luz Divina Ilumine sua mente e seu coração!

Moisés Diniz disse...

ROSÂNGELA,

Esse é o meu último post sobre o assunto.

Fico feliz que você tenha vindo agora com o coração. Você há de convir de que o fígado não é bom companheiro na hora de escrever.

Se quiseres, a gente marca uma conversa, franca, fraterna.

Quanto ao seu problema na justiça, eu não sei do que se trata. Mas, percebo que algo de muito amargo e, talvez, injusto, lhe atingiu.

Se há algo que eu abomino é a injustiça. Independente de nossas posições políticas, eu estou aberto aa diálogo.

Se eu puder te ajudar, pode contar comigo.

Quanto ao MPF, é só zoada minha. Eu sou incapaz de ferir uma formiga. Imagine se eu fosse processar os jornalistas que me atingem...

No mais, paz, sorte, sucesso, luz e alegria em 2010.

Um abraço,

Moisés Diniz

Rosangela Barros disse...

Fico grata pela sua compreensão! Diante do que acabo de ler: vou lhe procurar e conversaremos francamente. Até lá!...

Paz aos Homens de Boa Vontade!

Vingador disse...

Bem,
Foi divertido ver o debate entre a Rosa e o Moisés.
Mais uma cooptada e assim cairemos todos diante deles...Uma pena!